24 de novembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais

Fotos

Evento, que oferece serviços como baixa, registro e licenciamento de pequenos negócios, segue até sexta-feira (4) no estacionamento da Feira Permanente

MARIANA DAMACENO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

Paula Carina Oliveira Tasso, de 38 anos, tirou a manhã desta quarta-feira (2) para emitir o licenciamento da empresa que tem com o marido, Juliano, de 40 anos. A moradora de Samambaia foi uma das mais de mil pessoas atendidas desde segunda-feira (31) na quarta edição do Mutirão da Simplificação.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e terno
Governador Rollemberg entregou o licenciamento da empresa de Paula Carina Oliveira Tasso. A moradora de Samambaia foi uma das mais de mil pessoas atendidas desde segunda-feira (31) na quarta edição do Mutirão da Simplificação. Foto: Dênio Alves

A dona de uma loja de forros e artigos de decoração recebeu o documento na hora, das mãos do governador Rodrigo Rollemberg. “Nós estávamos tentando tirar pelo site, mas não conseguimos. Hoje, com a ajuda dos atendentes, foi muito fácil”, explicou o esposo de Paula.

“Brasília hoje é a unidade da Federação em que se demora menos tempo para abrir uma empresa, no caso de empresas de baixa complexidade. E nós estamos fazendo um esforço muito grande para melhorar o ambiente de empreendedorismo e de inovação na nossa cidade”, discursou Rollemberg nesta manhã (2), em visita ao mutirão.

O evento em Samambaia é uma parceria do governo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Além de baixas, registros e licenciamentos de pequenos negócios, oferece capacitações gratuitas para as áreas de vendas e de obrigações tributárias, por exemplo.

Como funciona o Mutirão da Simplificação

Não é necessária inscrição prévia, basta se cadastrar na hora dos cursos. Os atendimentos estão disponíveis no estacionamento da Feira Permanente de Samambaia (Quadra 202, Conjunto 1), das 8 às 18 horas. A expectativa é que mais de 5 mil pessoas passem pelo espaço até sexta-feira (4), último dia do mutirão.

O local também tem atendimentos de órgãos como a Administração Regional de Samambaia, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), a Agência de Fiscalização (Agefis) e a Defesa Civil.

Salão do Empreendedorismo Social

Esta foi a primeira vez que o mutirão contou com o Salão de Empreendedorismo Social, onde estão sendo oferecidos gratuitamente serviços de beleza e venda de artesanato feito pela comunidade por meio de cursos ministrados na associação Casa Azul Felipe Augusto, parceira do Sebrae.

LEIA TAMBÉM

Atingida pelo temporal que causou destruições em Samambaia em outubro do ano passado, a Casa Azul Felipe Augusto reinaugurou nesta quinta-feira (1°) o espaço de formação e convivência dos jovens atendidos na sede da unidade.

INSTITUIÇÃO SOCIAL REABRE ESPAÇO ATINGIDO POR TEMPORAL EM SAMAMBAIA

Depois do evento, o governador visitou as instalações da instituição de formação e convivência de jovens e lembrou que é a primeira vez que vai ao local já recuperado depois do temporal que causou destruições em Samambaia em outubro do ano passado.

EDIÇÃO: MARINA MERCANTE

 

GALERIA DE FOTOS

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo
A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé
A imagem pode conter: 1 pessoa, terno e casamento
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé e terno
A imagem pode conter: 1 pessoa
A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé, multidão e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 11 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, terno e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
Considerado um dos maiores eventos do calendário brasiliense voltado para o setor, o Salão do Artesanato está de volta na sua nona edição, teve inicio nesta quarta-feira (29) no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, até domingo (2 de abril), com entrada franca e expectativa de público para mais de 60 mil pessoas.
Além da exposição e comercialização de produtos, haverá oficinas, opções gastronômicas locais e shows de música/apresentações artísticas que ocorrerão a partir das 21 horas.
Completa o grupo de mestres a artesã Cleziânia Ribeiro de Lima Paiva, de 38 anos. A matéria-prima é a cerâmica, com a qual retrata temas do cotidiano, especialmente do meio rural.
Os artesãos de Brasília também vão expor na área reservada para o Programa do Artesanato Brasileiro e no setor montado em parceria com as regiões administrativas do Distrito Federal. O stand de Samambaia conta com 08(oito) artesãos da cidade.
9º Salão do Artesanato

A imagem pode conter: 2 pessoas, área interna
De 29 de março a 2 de abril (de quarta-feira a domingo)
De quarta a sexta-feira, das 16 às 22 horas
Sábado e domingo, das 11 às 22 horas
No Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade
Entrada franca

 

Nenhum texto alternativo automático disponível.A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 1 pessoaNenhum texto alternativo automático disponível.
A imagem pode conter: 1 pessoaA imagem pode conter: área interna
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em péA imagem pode conter: 2 pessoas, comida e área interna
Nenhum texto alternativo automático disponível.A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e área interna
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas, comida e área internaA imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área interna
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e área internaNenhum texto alternativo automático disponível.
Foto: Dènio Alves

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, visitou na manhã desta segunda-feira (6) o Centro de Educação de Primeira Infância Cutia, na QS 127, em Samambaia Sul. A unidade, que funciona desde 16 de fevereiro, atende 136 crianças de até 5 anos em turno integral, de 10 horas. As crianças recebem cinco refeições diariamente.

SAMIRA PÁDUA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sentadas
Rodrigo Rollemberg esteve no Centro de Educação de Primeira Infância Cutia, em Samambaia Sul, na manhã desta segunda-feira (6). Foto: Dênio Alves

“Essa é a quinta creche inaugurada em Samambaia no nosso governo. Já são cerca de 12 mil vagas criadas desde o início da gestão, entre unidades públicas e conveniadas, em todo o Distrito Federal. Dessa maneira, traçamos um novo horizonte para as crianças das diversas regiões administrativas de Brasília”, disse o governador Rodrigo Rollemberg, acompanhado da esposa e colaboradora do governo, Márcia Rollemberg.

A unidade tem oito salas de aula, área administrativa e de serviços, salas de informática, de leitura e multiuso, além de pátio coberto, anfiteatro e brinquedos. O investimento foi de R$ 2.613.467,33.

Acompanharam a visita o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho; o administrador regional de Samambaia, Paulo Antônio da Silva; e o deputado distrital Júlio César (PRB).

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas, tabela e área internaA imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área internaA imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé e barbaA imagem pode conter: 10 pessoas, pessoas em péA imagem pode conter: 16 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

ÁDAMO ARAUJO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, árvore, planta, céu, atividades ao ar livre e natureza
Equipe da Samambaia e Novacap trabalham na poda de árvores na Escola Classe 318. Foto: Dênio Alves/Adm Samambaia
Até 9 de fevereiro, unidades recebem ações como roçagem do mato e poda de árvores. Ideia é preparar o ambiente para a volta às aulas.

As 667 escolas das 14 coordenações regionais de ensino de Brasília recebem, até 9 de fevereiro, corte de mato alto e poda de árvores, entre outros serviços de limpeza e manutenção. Executado pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), o mutirão, iniciado nesta terça-feira (31), prepara as unidades para o retorno às aulas em 10 de fevereiro, conforme calendário da Secretaria de Educação.

Esse trabalho também ocorreu no ano passado, na semana que antecedeu o começo do ano letivo. De acordo com o diretor-presidente da Novacap, Júlio Menegotto, a ideia é preparar o ambiente para os estudantes. “Vamos seguir um cronograma de prioridades das regionais, principalmente para a poda de árvore”, informou.

300Número de profissionais que atuam na operação de limpeza e manutenção das escolas públicas do DF

Para a ação, foram colocadas cinco equipes à disposição da secretaria. São atendidas até quatro regionais por vez. A maior delas recebe dois grupos, devido ao tipo de equipamento necessário, mais pesado e específico.

Segundo a companhia, são usados 219 roçadeiras laterais, 17 máquinas especiais (minitratores de roçagem) e quatro tratores com roçadeira para podas mais altas. Há ainda motopodas, motosserras e caminhões.

 

IMG_3723
Fim do drama de alagamentos: Quadra 408 recebe obras de drenagem pluvial!

Há cerca de 20 anos moradores da quadra 408, Samambaia Norte convivem com o risco de alagamentos em suas residências sempre que o período chuvoso se inicia. O motivo era que o sistema de drenagem pluvial era insuficiente para atender a demanda. 
Nesta quarta(7), em parceria com a Administração Regional, a Novacap deu início a obras de rede de drenagem pluvial e execução de novas bocas de lobo para atender àquela região. A previsão de término desta obra é de no máximo 30 dias, favorecendo a comunidade local.

 IMG_3742

 

Governador dá posse a Conselheiros de Cultura de Samambaia.

Com o objetivo de fortalecer a cultura local e garantir a participação popular na construção de políticas públicas do setor, 104 conselheiros regionais de cultura foram empossados. Eles representam 13 regiões administrativas, entre elas Samambaia, que contou com presença dos conselheiros eleitos pelo povo e o Administrador Regional de Samambaia, Paulo Silva.
“Essa é mais uma forma de abrir permanentemente o diálogo com a sociedade”, disse ogovernador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, na solenidade de assinatura do decreto de posse dos membros, na manhã desta quarta-feira (16), no Palácio do Buriti.
A iniciativa integra um processo de descentralização que ocorre desde o início de 2015. O secretário de Cultura, Guilherme Reis, lembrou que a pasta mapeou as demandas nas regiões administrativas para propor as mudanças necessárias. “Adequamos as estruturas às necessidades dos moradores, fazedores e consumidores de cultura”, explicou. “Agora é o momento de avançarmos com as políticas, sempre atentos às lideranças culturais e comunitárias”, acrescentou.

Resultado de imagem para Horta comunitária será usada na merenda do CEF 404, em Samambaia

Plantio é uma das 51 ações do Controladoria na Escola, iniciado na unidade em junho.

Melhorias nos banheiros, iluminação nova nas salas, mais monitores de computador e uma horta orgânica que pode ser usada para complementar a merenda escolar. Esses são alguns dos 51 resultados apresentados pelos estudantes do nono ano do Centro de Ensino Fundamental 404 de Samambaiana manhã desta segunda-feira (7). As ações fazem parte do Controladoria na Escola, programa da Controladoria-Geral do Distrito Federal que está na unidade de ensino desde junho.

Um dos responsáveis pela horta, Alisson Lucas Silva Rocha, de 15 anos, conta que melhorou o desempenho em sala de aula depois da função. “Todos os dias, passo lá para ver como estão as plantas. É um prazer cuidar delas.” Com o sucesso do plantio, o estudante anuncia que as hortaliças já podem ser usadas na merenda, uma grande demanda dos alunos, de acordo com ele. A professora de português Katielle Souza Silva confirma os benefícios da iniciativa. “O cuidado trouxe uma reflexão necessária no aprendizado. Os meninos melhoraram muito em sala de aula”, afirma a educadora.

Durante a apresentação dos resultados consolidados pelos alunos com supervisão da Controladoria-Geral do DF, foram expostos os apontamentosdecorrentes da auditoria cívica que ocorreu na escola em junho. Em setembro, a controladoria levou os primeiros dados apontados pelos estudantes à Secretaria de Educação.

A aluna Geovanna Sampaio de Oliveira, de 14 anos, apresentou os resultados da biblioteca e da sala de informática. “Trocamos as lâmpadas e resolvemos os problemas das tomadas, mas ainda aguardamos a instalação do extintor de incêndio”, explicou.

Outra fiscal entre os estudantes, Thaylane Osório Cortes, de 14 anos, ficou encarregada de expor as melhorias nos banheiros e na quadra de esportes. “Está tudo mais bonito, mais limpo e bem cuidado”, afirmou a estudante, que acrescentou um novo apontamento à lista de afazeres. “Temos que consertar o espelho no banheiro masculino”, adiantou.

Controladoria na Escola no CEF 404 de Samambaia

De acordo com o balanço dos alunos, desde o início do programa foram resolvidos 51 (45%) apontamentos, há 58 (50%) pendentes e outros seis (5%) estão em andamento.

Para o controlador-geral do DF, Henrique Ziller, o resultado é extremamente positivo. “A resposta relativa ao tempo de trabalho foi excepcional”, disse. “Chegamos com a ideia, com o projeto, mas quem fez tudo foram vocês. Estamos muito felizes ao ver de perto o sucesso da iniciativa”, parabenizou Ziller, que entregou certificados aos alunos voluntários.

O diretor da unidade de ensino, Paulo Rogério Ramos Leão, disse estar satisfeito com as consequências do programa e que espera que o entusiasmo dos alunos dure por muito tempo. “Eu aprendo todos os dias com a vontade de vocês em mudar essa escola. Ter consciência da importância de cuidar do que é nosso não tem preço”, disse, emocionado.

Resultado de imagem para Horta comunitária será usada na merenda do CEF 404, em Samambaia

Etapas do programa Controladoria na Escola

A unidade de Samambaia foi a primeira a participar do Controladoria na Escola. O órgão desenvolve o projeto em outras nove escolas no DF escolhidas por estarem em áreas de vulnerabilidade social.

Além do CEF 404, participam o Centro Educacional Incra 9 e o Centro de Ensino Médio 9, em Ceilândia; o Centro Educacional Casa Grande, no Gama; o Centro Educacional do Lago, no Lago Sul; o Centro de Ensino Asa Norte e o Centro de Ensino Médio Elefante Branco, no Plano Piloto; o Centro Educacional 123, em Samambaia; o Centro Educacional São Francisco, em São Sebastião; e o Centro de Ensino Médio de Taguatingaem Taguatinga. Em 120 dias, a equipe do programa voltará às unidades de ensino auditadas para verificar se os problemas apontados pelos alunos foram solucionados.

O projeto tem quatro etapas. Na primeira, uma peça de teatro mostra aos alunos a importância da participação social na vida pública. Depois, há um debate sobre temas como ética, cidadania e controle feito pela sociedade.

Na terceira parte, os alunos respondem a questionários de avaliação das estruturas, das aulas e dos ambientes próximo às escolas. Na quarta e última fase, os pontos levantados pelos alunos são reunidos em um relatório, que é levado ao órgão competente para que se busquem soluções.

Sede do Creas de Samambaia é inaugurada

Sede do Creas de Samambaia é inaugurada

Aconteceu nesta última quarta-feira (03) o resumo do resultado da Pré Audiência com a presença dos administradores de Samambaia e Ceilândia.

 

13662278_897183680385632_8440244416770560084_o

 

13923309_897183713718962_1872081521034417607_o

 

centro urbano samambaia1

Samambaia foi criada no dia 25 de outubro de 1989, para assentar famílias oriundas de invasões e fundos de quintal, vindas de diversas partes do país para o Distrito Federal. Com a oficialização, através da lei 49 e decreto 11.291, se tornou a 12ª Região Administrativa do Distrito Federal – RA XII/DF, e passou a ser urbanizada.

O projeto urbanístico foi elaborado 11 anos antes, em 1978, pelo Plano Estrutural de Organização Territorial – PEOT implementado em 1982. Os primeiros lotes na cidade foram vendidos na quadra 406 e no Setor de Mansões Leste (hoje Taguatinga). Já em 1985, os primeiros moradores começaram a viver na cidade.

Três anos após as primeiras ocupações, foram construídas 3.381 casas destinadas a famílias de baixa renda, principalmente de funcionários públicos. A casa própria foi adquirida com o apoio do Sistema Habitacional de Interesse Social – SHIS mediante financiamento do Banco Nacional.

A partir de 1989 a cidade passou a receber um grande número de famílias em busca do seu 'lugar ao sol'. Hoje Samambaia figura entre as cidades que mais crescem no Distrito Federal e no Brasil, de olho no desenvolvimento sustentavel e qualidade de vida. 

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros