30 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
10/02/23 às 15h49 - Atualizado em 10/02/23 às 15h49

EJA: matrículas podem ser feitas o ano todo, ininterruptamente

COMPARTILHAR

Nas vésperas da volta às aulas da rede pública de ensino do Distrito Federal, a Secretaria de Educação (SEE) trabalha, até esta sexta-feira (10), na segunda etapa da busca ativa por potenciais estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Na tarde de quinta (9), as ações se concentraram na Rodoviária do Plano Piloto, por onde passam cerca de 700 mil pessoas por dia.

Nesta sexta, as equipes estão em Samambaia, Planaltina, São Sebastião e Santa Maria. A iniciativa engloba a fixação de 10 mil cartazes e 100 mil panfletos em espaços públicos de grande fluxo de pessoas, como hospitais públicos, restaurantes comunitários, terminais rodoviários e estações do metrô. As ações abrangerão as 14 coordenações regionais de ensino que ofertam a EJA.

“O público da EJA não é um público de redes sociais”, afirma a diretora de EJA da SEE, Lilian Sena. “Essa panfletagem, esse corpo a corpo é muito mais efetivo”. A busca ativa é fruto de uma parceria entre as subsecretarias de Educação Básica (Subeb) e de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação Educação (Suplav).

Perfil diferenciado

A busca ativa é uma forma de combater a evasão escolar, um dos problemas da EJA, potencializado pela pandemia de covid-19. “O aluno da EJA tem um perfil diferente; é trabalhador, então a prioridade sempre é o trabalho”, pontua Lilian.

O mote da campanha é “Matrículas abertas a qualquer tempo”, referência ao objetivo de conscientizar a população de que as matrículas para a EJA podem ser feitas o ano todo, ininterruptamente. Para isso, basta comparecer com os documentos pessoais à secretaria da unidade mais próxima da residência ou trabalho da pessoa interessada.

No DF há 93 escolas que ofertam a EJA, com atendimento a cerca de 35 mil estudantes por semestre. Essa modalidade de educação é voltada às pessoas jovens, adultas e idosas que, por diferentes motivos, não concluíram a educação básica – ou seja, o ensino fundamental e médio- ou nunca tiveram a oportunidade de estudar.

Vagas para todos

“Nós atendemos todas e todos, sem nenhuma restrição”, salienta a diretora da EJA. “Como exemplo, posso citar o nosso atendimento nos estabelecimentos penais, voltado às pessoas privadas de liberdade e às escolas do campo, e o atendimento às pessoas em situação de rua, realizado pela Escola Meninos e Meninas do Parque.”

A EJA é organizada em três segmentos. O primeiro corresponde aos anos iniciais do ensino fundamental. Nesse segmento, as pessoas vão iniciar e consolidar o processo de alfabetização. O segundo segmento é referente aos anos finais do ensino fundamental, enquanto o terceiro segmento abrange o ensino médio.

Para se matricular no primeiro e no segundo segmentos, a idade mínima é de 15 anos completos. Já as matrículas no terceiro segmento podem ser feitas por estudantes com idade mínima de 18 anos.

“As matrículas sempre estão condicionadas à capacidade de atendimento de cada unidade escolar, porém, no caso da EJA, não temos problemas com quantitativo de vagas”, reforça Lilian Sena. “Sempre temos vagas, porque a nossa oferta é descentralizada.”

 

*Com informações da Secretaria de Educação

*Fonte: Agência Brasília* | Edição: Chico Neto

Mapa do site Dúvidas frequentes