30 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
25/04/23 às 16h54 - Atualizado em 25/04/23 às 16h54

Samambaia ganha unidade do Pró-Vítima

COMPARTILHAR

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) inaugurou hoje (25), uma unidade do Pró-vítima em Samambaia. O programa oferece apoio às pessoas que sofrem com a violência doméstica, intrafamiliar, psicológica, física, sexual e institucional, assim como seus familiares. 

O evento contou com a presença da Administração Regional de Samambaia, 11° Batalhão da Polícia Militar, Polícia Civil, Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEG), Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF),  Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público, Promotoria, Assistência Social (CRAS EXPANSÃO) e CREAS.

  
     
 

 

A implantação da unidade visa ampliar o acesso dos moradores de Samambaia aos serviços do programa e contribuir para a diminuição dos casos

Os serviços oferecidos pelo Pró-Vítima são gratuitos e não há necessidade de comprovação de hipossuficiência econômico-financeira. As vítimas podem buscar ajuda de forma espontânea ou ser encaminhadas por instituições e autoridades públicas, amigos, parentes ou pessoas da comunidade. 

Entre os atos de violência reportados ao Pró-Vítima, estão homicídio, feminicídio, latrocínio, estupro, estupro de vulnerável, crimes de violência doméstica e familiar (Lei Maria da Penha), roubos com restrição de liberdade, crimes cometidos na direção de veículos automotores, sequestro e cárcere privado.

Apesar de a maior parte dos atendidos serem mulheres, o programa não faz distinção de gênero e idade para o suporte. Homens, idosos, crianças e adolescentes também podem ser acolhidos. O atendimento começa com um assistente social da Sejus, que orienta a vítima sobre a violência e a encaminha, quando necessário, para atendimento hospitalar nas unidades básicas de saúde (UBSs) e unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Entre os atos de violência reportados ao Pró-Vítima, estão homicídio, feminicídio, latrocínio, estupro, estupro de vulnerável, crimes de violência doméstica e familiar (Lei Maria da Penha), roubos com restrição de liberdade, crimes cometidos na direção de veículos automotores, sequestro e cárcere privado.

Apesar de a maior parte dos atendidos serem mulheres, o programa não faz distinção de gênero e idade para o suporte. Homens, idosos, crianças e adolescentes também podem ser acolhidos. O atendimento começa com um assistente social da Sejus, que orienta a vítima sobre a violência e a encaminha, quando necessário, para atendimento hospitalar nas unidades básicas de saúde (UBSs) e unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

O assistente social verifica a necessidade do acompanhamento psicológico. Se necessário, a pessoa atendida conta com 12 a 15 sessões para fortalecer o lado emocional e mental. O atendimento é individualizado e com marcação. O programa tem outras frentes de suporte, como a prevenção e o combate à violência desenvolvido por meio de palestras e cursos, além do banco de talentos, que incentiva a profissionalização das vítimas.

A Secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, dimensiona a importância do projeto: “Uma em cada quatro mulheres já sofreu violência no Brasil. A Sejus conta com um grupo de excelência, de psicólogos e assistentes sociais que realizam uma escuta qualificada que muda a vida das mulheres no DF. O Pró- Vítima atua, principalmente, para romper ciclos de violência que essas mulheres vivem, dando a elas a oportunidade de seguirem suas vidas com saúde mental”.

A Administração Regional de Samambaia reforça que a denúncia é importante para que sejam adotadas medidas protetivas e preventivas, a fim de evitar novos casos de violência. 


Endereços dos núcleos do Pró-Vítima no DF

→ Samambaia (QS 402, Conjunto G, Lote 01)
Horário: 8h às 17h. Contato: (61) 98314-0792

→ Plano Piloto (Estação Rodoferroviária, Ala Central, Térreo)
Horário: 8h às 17h. Contatos: (61) 2104-4289 / 2104-4288

→ Ceilândia (Shopping Popular de Ceilândia – Na Hora)
Horário: 8h às 17h. Contatos: (61) 2104-1480 / 99245-5207

→ Guará (QELC, Alpendre dos Jovens Lucio Costa)
Horário: 8h às 17h. Contatos: (61) 99276-3453

→ Itapoã (Praça dos Direitos, Quadra 203, Del Lago II)
Horário: 8h às 17h. Contatos: (61) 2104-4218

→ Paranoá (Quadra 5, Conjunto 3, Área Especial D, Parque de Obras)
Horário: 8h às 17h. Contatos: (61) 3369-0816 / 99288-5585

→ Planaltina (Fórum Desembargador Lúcio Batista Arantes, 1º andar, salas 111/114)
Horário: 12h às 19h. Contatos: (61) 3103-2405 / 99276-5279

→ Recanto das Emas (Estação da Cidadania/Céu das Artes, Quadra 113, Área Especial 1)
Horário: 8h às 17h. Contato: (61) 3332-1032

→ Taguatinga (Administração Regional de Taguatinga, Praça do Relógio)
Horário: 8h às 17h. Contatos: (61) 3451-2528 / 99108-1274.


Fonte: Lúcio Flávio, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo
Edição: Hélida Costa, da Administração Regional de Samambaia
 

Mapa do site Dúvidas frequentes