16 de agosto

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais

Notícias

O IgesDF, que promove a iniciativa, prorrogou o prazo com o objetivo de arrecadar mais agasalhos e cobertores, que podem ser entregues nas UPAs, Hospital de Base e HRSM

Aquecer as pessoas em situação de vulnerabilidade é o objetivo da campanha Varal do Frio, promovida pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF). “Aproveitamos a quantidade de unidades do instituto distribuídas por todo o DF para uma ação que possa contribuir com a população carente, que sofre mais neste período em que as temperaturas caem muito”, afirma a presidente do IgesDF, Mariela Souza de Jesus.

A campanha foi prorrogada para que sejam arrecadados mais cobertores e agasalhos. “Em algumas unidades, as pessoas passaram e já pegaram os casacos nas caixas. Embora o objetivo seja fazer os varais no dia 6, acreditamos que quem pegou o fez porque está precisando, então nosso objetivo já está sendo alcançado” explica Mariela.

A campanha para arrecadar os donativos foi idealizada após os termômetros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) marcarem, em 19 de maio, o dia mais frio da história, com a mínima de 1,4° graus Celsius na Estação Meteorológica do Gama.

“Com todo esse frio, pensamos numa proposta que possa aquecer tanto os pacientes quanto demais pessoas em situação de vulnerabilidade que não possuem o vestuário adequado para este período”, ressalta a presidente do IgesDF.

A iniciativa conta com apoio tanto dos colaboradores do instituto quanto da população em geral. “Não temos como fazer a lavagem, então pedimos que as doações sejam entregues limpas, facilitando esse trabalho colaborativo, que faz toda a diferença na vida de quem precisa”, lembra Mariela.

Como ajudar

Interessados em contribuir podem deixar as doações até o dia 5 nas caixas que estão identificadas no Hospital de Base do DF (HBDF), Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e nas 13 unidades de pronto atendimento (UPAs). No dia 6, os varais estarão montados nas unidades. Quem estiver precisando pode pegar a doação no varal.

*Com informações do IgesDF

Créditos: Agência Brasília | Edição: Rosualdo Rodrigues \ Arte: Iges-DF

População tem disponíveis 112 salas de vacinação, além de 17 postos noturnos

Quem tiver 35 anos de idade ou mais já pode receber a segunda dose de reforço da vacina contra a covid-19 a partir desta sexta-feira  (1º). O anúncio foi feito nesta quinta (30) pelo governador Ibaneis Rocha. De acordo com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), no DF há aproximadamente 1,3 milhão de pessoas com mais de 35 anos, sendo cerca de 270 mil entre 35 e 39 anos.

Pelas redes sociais, o governador alertou a população: “Não deixem de atualizar o ciclo vacinal. Se cuidem, vamos juntos!”

“A segunda dose de reforço é necessária para que a população fique protegida contra a covid-19. É com a imunização que a gente quebra a cadeia de transmissão”, explica a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

Ela reforça que há disponibilidade de vacina na rede para que as pessoas completem o ciclo vacinal. Para receber o imunizante, é necessário ter tomado a dose de reforço há pelo menos quatro meses. Confira os pontos de vacinação.

A segunda dose de reforço já estava disponível para todas as pessoas com idades a partir dos 40 anos e para profissionais da área de saúde, pública e privada, incluindo gestantes. São aplicados imunizantes Pfizer, AstraZeneca ou Janssen, de acordo com a escolha do usuário.

Os usuários devem comparecer com documento de identidade com foto, CPF e o cartão de vacina onde conste o registro da dose de reforço. Se o cartão for extraviado, será realizada busca nos sistemas de registro. É obrigatório o uso de máscara para a vacinação.

Todas das regiões administrativas do DF contam com pontos de vacinação. Ao todo, são 112 salas de vacinação, sendo 17 postos noturnos.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Créditos: Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília

Novo trecho terá 3,6 quilômetros e duas novas estações

A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) lança edital de licitação para a expansão da linha 1 do Metrô, no ramal Samambaia. A licitação prevê a extensão da via em 3,6 quilômetros, a partir do Terminal Samambaia.

No novo trecho, haverá duas estações, uma próxima à UPA de Samambaia e outra, que passará a funcionar como terminal, próxima ao Centro Olímpico. Serão instaladas ainda três subestações retificadoras de energia, que, além de atender ao novo trecho, reforçará a capacidade energética do sistema. Estão previstos três viadutos e quatro passarelas de pedestres.

Com investimentos da ordem de R$ 362 milhões, a previsão de duração das obras é de quatro anos. O projeto de expansão deve beneficiar uma população de 10 mil pessoas.

“A expansão do metrô é uma necessidade da nossa população. Em nosso governo já inauguramos três estações – duas na Asa Sul e uma em Taguatinga – e agora vamos cuidar da expansão da linha buscando melhorar a mobilidade no DF”, disse o governador Ibaneis Rocha.

Para o presidente do Metrô-DF, Handerson Cabral, a iniciativa reforça o projeto desta gestão, liderada pelo governador Ibaneis Rocha, de proporcionar ao brasiliense mais conforto e eficiência na sua mobilidade.

“Entendemos que o transporte metroviário é um modal importantíssimo para garantir uma mobilidade mais segura e confortável à população do DF. Continuamos trabalhando na modernização do nosso sistema e, agora, chegou o momento de dar a largada na expansão que os moradores de Samambaia esperam há muito tempo”, afirmou.

“O transporte sobre trilhos está consolidado como modal mais eficiente. Nosso governo agora anuncia essa expansão, aguardada há mais de dez anos. E não vamos parar por aí: já estamos trabalhando na expansão de Ceilândia”, diz o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro.

Atualmente, o Metrô-DF tem 42,5 quilômetros de extensão e 27 estações operacionais: três delas (EPQ, 106 Sul e 110 Sul), inauguradas nos últimos três anos. Por dia, passam, em média, 130 mil pessoas pelo Metrô-DF – antes da pandemia, a demanda de usuários chegava a 160 mil/dia.

O Metrô-DF também está trabalhando no edital de licitação para a construção de uma passarela de acesso à Estação EPQ, que será lançado nos próximos dias. Trata-se de uma reivindicação da população de Águas Claras, para garantir um acesso mais seguro à EPQ.

*Com informações do Metrô-DF

Créditos: Agência Brasília | Edição: Rosualdo Rodrigues 

Diário Oficial publica decreto que possibilita a ampliação de espaços ao ar livre para lazer e a prática esportiva e cultural em todo o DF

Publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (28) o Decreto nº 43.485, que institui o programa Rua do Lazer em todas as regiões administrativas do DF. Já implantada no Eixão e no Paranoá, a iniciativa possibilita a ampliação de espaços a céu aberto para a realização de exercícios físicos e práticas esportivas e, naturalmente, lazer à comunidade em geral.

Coordenado pela Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), o programa estabelece o fechamento de vias públicas para prática de atividades físicas, lazer e cultura. Administrações regionais interessadas podem requerer a implementação da atividade por meio do Sistema Eletrônico de Informações (SEI).

“Ao possibilitar o acesso gratuito da população a locais propícios para a prática de atividades físicas, estamos democratizando o esporte e levando mais qualidade de vida e saúde para a população”, afirma a secretária de esporte e lazer Giselle Ferreira.

O processo de solicitação de implantação passará por análise do corpo técnico de órgãos como DF Legal, Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), Secretaria de Segurança Pública (SSP) e Departamento de Estradas de Rodagem (DER), que vão ajudar a definir os melhores pontos para o programa em cada região.

A Rua do Lazer inclui fechamento de pontos específicos aos domingos e feriados, das 6h às 17h, desde que a operação seja requerida com antecedência mínima de 30 dias. O trânsito de veículos no local será proibido durante o horário de funcionamento do programa, e o uso de sinalização viária para bloqueio da via é obrigatório.

*Com informações da Secretaria de Esporte e Lazer

Créditos: Agência Brasília* | Edição: Chico Neto I Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Participantes revelam como transformaram a própria realidade com o conhecimento obtido no programa

O sonho de ser professor ficou adormecido por muito tempo na vida do instrutor Castro Alves, 65 anos. Ele só conseguiu realizar a meta de passar conhecimento a outras pessoas após se formar no primeiro ciclo do programa RenovaDF, como aluno destaque. “Sempre digo que o RenovaDF mudou a minha vida. O programa foi meu pai e o Senai-DF, a minha mãe. Quem é que dá emprego pra alguém na minha idade?”, indaga.

Castro é uma das 4,6 mil pessoas formadas pelo programa desde maio de 2021, quando foi lançado, em parceria das secretarias de Trabalho (Setrab) e de Governo(Segov). O RenovaDF oferece cursos de iniciação profissional na área de construção civil ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF).

Piauiense, Castro veio para o DF em 1998 para tentar a sorte no mercado de trabalho. No mesmo ano, conseguiu um emprego como ajudante de obra e, aos poucos, foi galgando novas funções. Depois de quase duas décadas trabalhando na capital federal, decidiu voltar a estudar, em 2017. Até então, só tinha feito até a quarta série do ensino fundamental; atualmente, já está no sétimo semestre da graduação de engenharia civil.

Hoje, além de estudante, é professor de 52 alunos, divididos em duas turmas no período da manhã e noite. “Não é fácil, mas a gente cria uma harmonia. Todo mundo aprende. Só tenho dois alunos homens, o restante é tudo mulher. E são muito dedicadas, viu? Sem medo de perguntar, sem medo de botar a mão na massa”, revela Castro, que chefiou restaurações em parquinhos infantis e quadras poliesportivas no Plano Piloto, além de ser pastor evangélico e empresário da área de construção civil.

Uma de suas alunas, Maiara da Silva, 37 anos, também mudou de vida após o RenovaDF. Depois de quase dois meses de ensino teórico e prático, ela tem o conhecimento sobre manutenção de equipamentos, jardinagem e serralheria na ponta da língua. Não é para menos, já que é considerada uma aluna prodígio. “Foi a primeira vez que mexi com essas coisas, mas acho que até aprendi rápido”, reconhece Maiara, que se divide entre o programa e um emprego de meio período como auxiliar de serviços gerais.

Questionada sobre o maior fruto alcançado com as aulas, ela não esconde o sorriso: “Meu objetivo é um emprego melhor, né? Agora, tenho mais esperança, mais conhecimento. E fé de que vou conseguir”.

Pertencimento

“O RenovaDF nos deu oportunidade de voltar a sonhar, de mudar de vida. Hoje, eu e todos os outros alunos estamos preparados para entrar no mercado de trabalho e enfrentar o que vem por aí”, declara Itamar Marinho Nunes, 52 anos, um dos contemplados no quinto ciclo B do programa, que abriu turmas para 98 pessoas em situação de rua.

Natural de Manaus, capital do Amazonas, Itamar veio para o Distrito Federal há oito anos para tratar de um câncer no cérebro pela rede pública. Na bagagem, trazia esperança de dias melhores, mas também a súplica por tratamento para a doença. Sem condições financeiras nem oportunidades de trabalho, teve que alternar moradia entre a rua e unidades de acolhimento.

Em 2021, após sessões de quimioterapia e radioterapia, conseguiu se livrar do câncer e, quando soube do programa RenovaDF, avistou uma nova possibilidade de mudança. “Depois que fiz a inscrição [no RenovaDF], fiz de tudo para engajar. Tive uns problemas de saúde, mas, graças a Deus, superei e estou aqui”, conta ele, também participante do programa QualificaDF, que oferece cursos profissionalizantes de curta duração.

“Já estive na calçada e me levantei. Sou muito ligado aos direitos humanos e quero que mais pessoas se levantem comigo, que tenham o direito de sonhar. Tenho muita gratidão ao que estou vivendo e fé que o futuro será ainda melhor”, analisa Itamar.

A remuneração oferecida pelos dois programas de qualificação profissional possibilitou que Itamar voltasse a Manaus para visitar a mãe, de 86 anos. “Foi emocionante voltar pro colo dela. Perdi o meu pai para a covid no ano passado e, desde então, prometi para mim mesmo que voltaria lá”, relata, emocionado.

Amigo de Itamar, o mineiro Nilson Henrique Menezes, 54 anos, também visualizou no RenovaDF uma chance para se reerguer. Natural de Montes Claros,  ele veio para Brasília há oito anos e, devido a problemas na coluna, não conseguiu se manter no emprego de zelador.

“Muitas das coisas que eles ensinam nas aulas do curso eu já sabia, mas tem outras que foi a primeira vez que vi. Então, para mim foi excelente, como se renovasse tudo né? Porque o que a gente sabe ainda é pouco. A gente vê que as novidades vão chegando e aperfeiçoando mais o conhecimento”, diz.

A participação no programa mudou a relação de Nilson com a rua: “A gente vê com mais esperança, uma perspectiva boa, porque tem a expectativa de ser aproveitado por um trabalho, onde a gente possa recomeçar. Novos caminhos vão se abrir, tenho esperança de que isso vai acontecer”.

As ruas do DF como sala de aula

Quem também aproveitou o RenovaDF foi o estudante de design gráfico Eduardo Martins, 20 anos, morador de Ceilândia. “Eu, que nunca tinha pegado numa enxada, menino de computador, agora já aprendi um monte de coisas”, diz.

Apesar da diferença entre a área de formação acadêmica e os conhecimentos repassados pelo programa, o jovem afirma que o curso foi um divisor de águas. “A experiência do trabalho me ajudou muito. São conhecimentos que não se anulam, é muito legal saber fazer as coisas. Os professores são ótimos, não nos deixam com dúvida nenhuma”, frisa ele, que atuou na reforma do Shopping Popular de Ceilândia.

As ruas do DF como sala de aula

Quem também aproveitou o RenovaDF foi o estudante de design gráfico Eduardo Martins, 20 anos, morador de Ceilândia. “Eu, que nunca tinha pegado numa enxada, menino de computador, agora já aprendi um monte de coisas”, diz.

Apesar da diferença entre a área de formação acadêmica e os conhecimentos repassados pelo programa, o jovem afirma que o curso foi um divisor de águas. “A experiência do trabalho me ajudou muito. São conhecimentos que não se anulam, é muito legal saber fazer as coisas. Os professores são ótimos, não nos deixam com dúvida nenhuma”, frisa ele, que atuou na reforma do Shopping Popular de Ceilândia.

“Dentro do processo de qualificação profissional, preparamos o aluno para que possa, de fato, participar das vagas do mercado de trabalho, com uma experiência pedagógica completa. É um programa estratégico do Governo do Distrito Federal, porque, além de qualificar a população, recupera os espaços públicos e transforma uma aula que poderia ser teórica, em ambiente controlado, em uma experiência aberta, focada na realidade das pessoas”, pondera o secretário de Trabalho, Thales Mendes Ferreira.

A secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, acrescenta que, especialmente para as pessoas em situação de vulnerabilidade, o programa resgata a autoestima e a autonomia dos alunos. “Essas pessoas se propuseram e se dispuseram a buscar um novo caminho para suas vidas e isso apenas reforça que as capacitações, por meio dessa parceria com a Setrab, estão sendo fundamentais”, afirma.

Até junho deste ano, foram recuperados 621 equipamentos públicos e há 102 em andamento. O trabalho dos alunos já contemplou 15 cidades: Ceilândia, Samambaia, Guará, Riacho Fundo, Estrutural, Águas Claras, São Sebastião, Itapoã, Vargem Bonita, Arniqueira, Varjão, Planaltina, Gama, Sobradinho e Plano Piloto.

Créditos: Catarina Loiola, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Renato Araújo / Agência Brasília

Cidade que já ganhou 640 unidades habitacionais, UBS, posto-base do Samu e nova iluminação segue em ritmo acelerado reforçando e ampliando sua infraestrutura

Criada na década de 1980, Samambaia é atualmente uma das cidades mais pulsantes do Distrito Federal. Fruto do suor e do trabalho dos seus 254 mil moradores, que trabalharam na expansão da cidade, e do Governo do Distrito Federal (GDF), que, desde 2019, está investindo mais de R$ 194 milhões em obras e melhorias na região administrativa.

Nesta quarta-feira (22), o governador Ibaneis Rocha foi até a cidade para ouvir a população nas ruas. “Samambaia é uma cidade que tem recebido muitos investimentos na parte da iluminação, fizemos um grande programa de reformas por meio do RenovaDF; é uma das cidades mais bonitas do Distrito Federal, também fizemos UBS, hospital, cobertura nas quadras poliesportivas das escolas e continuaremos trabalhando por essa população que merece nosso esforço”, enumerou.

Ibaneis Rocha ouviu sugestões de melhorias da população e elogios por iniciativas como a construção do hospital modular de Samambaia e a UBS 11. A reforma das escolas e a iluminação em LED nas principais avenidas e quadras da cidade também foram lembradas pela população.

Ações do governo em Samambaia
– UBS 11 de Samambaia
– Hospital modular anexo ao Hospital Regional de Samambaia
– 640 unidades habitacionais concluídas ou em construção para 2,5 mil pessoas
– Mais de 5,6 mil luminárias em LED, com investimento de R$ 8 milhões
– Entrega dos centros de educação da primeira infância (CEPI) Bem-te-vi, Periquito, Bambu e Azulão
– Escolas reformadas com recursos do Pdaf
– Primeira unidade do Na Hora na cidade, a ser instalada na QS 402
– Reforma da feira permanente da QN 202
– Posto-base do Samu na Quadra 302
– Investimento de R$ 59,8 milhões na educação
– Cobertura de quadras esportivas
– Infraestrutura do Centro Urbano de Samambaia (quadras 101, 102, 301 e 302)
– Remoção de 70 famílias do Morro do Sabão, transferidas para o Sol Nascente/Pôr do Sol
– 70 novos abrigos de ônibus
– Construção da Escola Classe 425

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Renato Alves / Agência Brasília

Unidades vão funcionar de 19h às 22h em todas as regiões de saúde a partir desta quarta (22); atendimento é para todas as pessoas a partir dos 12 anos

A partir desta quarta-feira (22), 14 unidades básicas de saúde (UBS) passam a funcionar também de 19 às 22h, oferecendo testagem e vacinação contra covid-19 nas sete regiões de saúde para todas as pessoas a partir dos 12 anos. Estratégia é mais um esforço para garantir a cobertura vacinal de 100% da população. No feriadão de Corpus Christi, a Secretaria de Saúde alcançou mais de 30 mil pessoas imunizadas em três dias.

“Temos a expectativa e a certeza de que a vacina é o caminho correto. Precisamos lembrar que o retorno às atividades só é seguro com a vacinação. Só vamos ter a liberdade realmente plena com a população vacinada”, afirmou o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, durante evento público na manhã desta terça-feira (21).

Reforçando as palavras do chefe do Executivo, a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, destacou que o DF está num momento de maior transmissão da doença. “Faço um apelo a toda a população, para que procure as UBS para testar e vacinar. É o único caminho para quebrarmos a cadeia de transmissão do coronavírus”. A orientação, de acordo com a pasta, é reforçar a testagem em pessoas sintomáticas para que sejam isoladas.

No cronograma de funcionamento noturno, a Secretaria de Saúde disponibiliza duas unidades no Plano Piloto, quatro em Ceilândia, além de unidades no Paranoá, São Sebastião, Águas Claras, Taguatinga, Vicente Pires, Gama e Santa Maria. Para atender em horário estendido, as equipes de saúde foram reorganizadas e receberam reforço da Atenção Secundária e complemento de horas por meio de trabalho por período determinado (TPD).

Na região de saúde Sudoeste, por exemplo, 24 profissionais serão responsáveis pelo turno da noite em três pontos de vacinação e testagem. “Estamos nos organizando para garantir o serviço para a população”, comenta a diretora da Atenção Primária da Sudoeste, Cleunici Godois.

Além disso, mais 11 servidores foram capacitados para aplicar vacinas e reforçarão as equipes. “É um processo contínuo e dinâmico, em resposta à necessidade de aumento de cobertura vacinal e conscientização da população”, afirma Fernando Erick Damasceno, coordenador da Atenção Primária.

Confira abaixo quais são as unidades abertas das 19h às 22h a partir desta quarta-feira (22)

– UBS 1 Asa Sul
Endereço: SGAS 612
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 2 Asa Norte
Endereço: EQN 114/115
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Guará
Endereço: QI 06 AREA ESPECIAL LT A
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac e Janssen

– UBS 1 Paranoá
Endereço: Quadra 21 Conjunto 15 Área Especial
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 São Sebastião
Endereço: Centro de Múltiplas Atividades
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 12 Ceilândia
Endereço: EQNQ 03/04
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 3 Ceilândia
Endereço: QNM 15 Lote D Área Especial 15
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 5 Ceilândia
Endereço: QNM 16 Lote F Área Especial 16
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 7 Ceilândia
Endereço: QNO 10 Área Especial 10
Disponíveis imunizantes AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Águas Claras (Areal)
Endereço: QS 5 Lote 24 Av. Areal
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 5 Taguatinga
Endereço: Setor D Sul Área Especial 23
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Vicente Pires
Endereço: Rua 4C Chácara 12 – Colônia Agrícola Samambaia
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 3 Gama
Endereço: EQ 3/5 Setor Leste
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

– UBS 1 Santa Maria
Endereço: QR 207/307 Conjunto T
Disponíveis vacinas AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer-BioNTech

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Créditos: Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I  Foto: Tony Winston / Agência Saúde-DF

Foram 1.475 novos casos no período de 5 a 11 de junho, contra 3.522 de 8 a 14 de maio. Ações preventivas alcançaram 1,4 milhão de domicílios

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), da Secretaria de Saúde, apontam queda no número de novos casos notificados de dengue no Distrito Federal. Foram 1.475 casos na Semana Epidemiológica 23, entre 5 e 11 de junho. Um mês antes, a Semana Epidemiológica 19, no período de 8 a 14 de maio, teve 3.522 casos. O pico foi na Semana Epidemiológica 16, entre 17 e 23 de abril, quando foram 5.124 casos notificados.

A queda nos números é reflexo das mudanças climáticas – seco e frio – associada às ações preventivas do governo, como o uso dos carros de fumacê e as ações educativas desenvolvidas pelos agentes de vigilância em parceria com as administrações regionais e outros órgãos. Só a Vigilância Ambiental realizou 1,4 milhão de visitas domiciliares de janeiro até o fim de maio.

Os números refletem a realidade da Unidade Básica de Saúde nº 1 de São Sebastião, localizada na região administrativa do Distrito Federal com maior incidência de dengue em 2022. “Baixou bastante. Positivo, agora, praticamente só de covid”, conta a gerente da unidade, Simone Maciel.

A UBS conta com seis consultórios para atendimento dos pacientes com sintomas como febre e dor no corpo. Os testes de dengue prosseguem, tendo confirmado cerca de três pacientes por dia, realidade diferente de abril e maio, quando eram dezenas de pacientes diariamente. A preocupação, hoje, é evitar a contaminação por covid-19. “Se for dengue, a gente encaminha para outra sala para iniciar a medicação”, diz a gerente.

À frente da Gerência de Vigilância de Doenças Transmissíveis, a bióloga Kenia Cristina de Oliveira ressalta que 2022 foi um ano atípico do número de casos, mas que a Secretaria de Saúde reforçou as atividades de combate.

“Poderia ser muito pior se nada tivesse sido feito. As medidas de controle são muito importantes para a redução no número de casos”, afirma. Até 5 de junho, foram 52.579 casos prováveis entre residentes no DF, um aumento de 466% frente ao mesmo período de 2021.

Hora de reforçar as medidas

Kenia Cristina lembra que a dengue é uma doença sazonal, com mais casos registrados durante o período chuvoso, de outubro a maio, porém, o Aedes aegypti tem se aproveitado de oportunidades criadas pelos humanos para sobreviver e se multiplicar mesmo no período de seca.

Ainda assim, a bióloga aponta que estamos no momento ideal para reduzir ao máximo o número de ambientes para a multiplicação do mosquito. “Não podemos descuidar. A seca é a hora de a gente dar uma virada”, opina.

O chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de Brazlândia, Alessandro dos Santos, conta que o trabalho preventivo é realizado ao longo do ano, porém a prevenção depende da ajuda de todos. “A administração regional faz parte dela. E aqui em Brasília temos um dos melhores recolhimentos de lixo no Brasil. Mesmo assim, há quem acumule entulhos”, lamenta.

Para ele, além de as equipes procurarem os focos do mosquito Aedes aegypti, o papel da vigilância ambiental é educativo. “A gente conta com a ajuda de todos para eliminar os focos do mosquito”, acrescenta Alessandro. Uma das melhorias no dia a dia do trabalho foi a redução do número de casas onde os moradores sequer abrem as portas para a entrada dos agentes. “A população entendeu que a responsabilidade é de todos”, finaliza.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Créditos: Agência Brasília | Edição: Rosualdo Rodrigues I Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde DF

O FHB funciona como centro de referência de doenças hemorrágicas. Além dos consultórios, pacientes são atendidos por equipe multidisciplinar

Conhecido e usado por muitos brasilienses para a doação de sangue, a Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) é referência para o tratamento de uma doença rara e congênita: a hemofilia – um mal que afeta a coagulação do sangue do portador e que leva até a unidade pacientes de 0 a 80 anos, quase que diariamente.

Lá, funciona um centro de referência de coagulopatias hereditárias – um espaço especializado em doenças hemorrágicas que inclui ainda a doença de Von Willebrand e outras menos conhecidas.

São cerca de 800 pacientes com algum tipo de coagulopatia cadastrados na FHB. Desses, cerca de 400 são hemofílicos e fazem o acompanhamento gratuito no local. Por ali, passa toda semana a família de Wellen Almeida, 37 anos, e atualmente desempregada.

A moradora do Sol Nascente/Pôr do Sol leva os filhos Anderson Guilherme, 11 anos, e o pequeno Ragnar, de 1 ano – ambos diagnosticados com a doença –, para consultas e aplicação do fator anti-hemofílico, medicamento usado pelos pacientes.

A família descobriu a doença no mais velho com menos de 2 anos de idade. E, hoje, o próprio Anderson foi preparado pelos médicos para fazer a aplicação do remédio em casa. E ele se vira com a ajuda de Wellen, três vezes por semana. Para a mãe, a FHB é um porto-seguro.

“É uma doença assustadora. Descobri que ele era hemofílico muito novinho; ficava todo roxo nos braços, pernas e pescoço”, conta a mãe. “Depois veio o Ragnar, com o mesmo problema. Mas aqui não falta nada, somos muito bem acolhidos no ambulatório, a equipe é muito boa. Os meninos já se acostumaram com tudo isso”, acrescenta.

Exemplo para a saúde pública

Portador de lúpus, Wanderson Nascimento, 34 anos, descobriu há dez anos que desenvolveu também a hemofilia. Além dos exames e da aplicação do medicamento, ele faz sessões de fisioterapia indicada para evitar sangramentos nas articulações.

“Não fosse esse acompanhamento do Hemocentro, nem sei se estaria aqui para contar a história. Temos um atendimento rápido, diversos profissionais ajudando”, adianta. “Para mim, este centro é um exemplo de como a saúde pública deve ser no Brasil”, engrandece.

Além dos consultórios, os pacientes são atendidos por uma equipe multidisciplinar (leia abaixo), em um modelo de atenção completa. Exames laboratoriais e uma farmácia também são disponibilizados neste centro de referência.

“No passado, era assim: o paciente tinha que sangrar primeiro para depois receber uma assistência. Hoje em dia nós temos o programa de profilaxia para que ele nem venha a sangrar, que envolve fisioterapeutas, odontólogos e outros profissionais”, explica o médico hematologista Rodolfo Firmino.

Os remédios para a coagulopatia são mantidos em uma câmara fria com temperatura de 3ºC a 6ºC, no subsolo da unidade. Os hemofílicos retiram na farmácia e levam para casa.

“Os pacientes passam por uma consulta com o médico e retiram a medicação conosco. Dispensamos o medicamento que dura cerca de um mês”, explica o farmacêutico Rafael Ferreira. “O remédio é obrigatório para evitar intercorrências como os sangramentos. Proporcionam qualidade de vida e saúde para a pessoa, evitando até mesmo que ele vá parar em um hospital”, diz.

Tratamento para uma vida normal

Para uma doença que não tem cura, as visitas ao ambulatório seguem por anos e até décadas. Segundo lembra Rodolfo, se cria inclusive um apego com muitos pacientes e permanece o cuidado constante em busca de uma vida normal.

“No caso de crianças, por exemplo, nosso trabalho diário é para que consigam brincar, praticar atividade física, jogar seu futebol e estar no playground. E toda essa estrutura tem funcionado muito bem”, finaliza o hematologista.

Serviço
Ambulatório de coagulopatias hereditárias

→ Estrutura
Espaço amplo com três consultórios médicos e uma sala de infusão; consultório psicológico e odontológico, estúdio de fisioterapia, farmácia, sala de enfermagem e de assistência social
→ Atendimento ambulatorial
De segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 7h às 18h.
Necessário agendar pelos telefones (61) 3327-1671 ou (61) 3327-4423, ou pelo WhatsApp (61) 99140-0173.

Créditos: Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo I Fotos: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Mais de 40% dos trabalhadores efetivos poderão fazer a solicitação para saírem de 30 para 40 horas semanais. Medida vai beneficiar todas as unidades socioassistenciais e de segurança alimentar e nutricional

O Governo do Distrito Federal (GDF) autorizou mais uma medida para ampliar o atendimento nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). Nos próximos dias, vai ser publicado decreto autorizando a ampliação na carga horária dos servidores efetivos da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), para solicitarem mudar de 30 para 40 horas semanais.

O governador Ibaneis Rocha fez o anúncio durante entrevista no início da semana e, nesta terça-feira (14), a secretária de Desenvolvimento Social, Mayra Noronha Rocha, reforçou a informação nas redes sociais da pasta.

A medida é mais uma com o foco em atender a população mais vulnerável que sofre as consequências da crise econômica desencadeada pela pandemia da covid-19.

Atualmente, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) tem 785 servidores efetivos que trabalham em regime de 30 horas semanais aptos a solicitarem a ampliação. “Dessa forma, poderemos aumentar nossa capacidade de atendimento e reduzir o tempo de espera nas nossas unidades”, enfatiza Mayara Rocha.

Com a nomeação dos servidores aprovados no último concurso da Sedes, em dois anos o quadro de servidores da Assistência Social subiu de 1,1 mil para 1,8 mil trabalhadores. Além de reforçar a capacidade de atendimento nos Cras e demais unidades socioassistenciais onde esses trabalhadores estiverem lotados, o decreto atende às solicitações dos servidores pela ampliação da carga horária.

“A medida também visa valorizar nossos servidores. Há relatos de solicitações com mais de 10 anos sem ser concedida”, reitera a gestora.

Mais ações

O GDF informa que a equipe técnica segue com a articulação para implementar futuras estratégias de fortalecimento do suporte às famílias em situação de vulnerabilidade social.

Além do atendimento por senha nos Cras e nos sete postos do Na Hora, nos próximos dias o agendamento via telefone será reativado, o que vai tornar o trabalho mais eficaz.

A Sedes também está concluindo o processo para firmar parceria com Organização da Sociedade Civil (OSC) que vai ampliar a capacidade de atendimento do Cadastro Único no DF, que é pré-requisito para ter acesso aos benefícios sociais federais e distritais. Com a parceria, será ampliado de 26 para 50 o número de pontos de atendimentos sociais básicos.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

Créditos: Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo I Fotos: Renato Raphael/Sedes

Programa, que já recuperou 621 equipamentos públicos e formou 4,2 mil alunos, oferece 148 vagas para pessoas em situação de rua

O Governo do Distrito Federal (GDF), por intermédio da Secretaria de Trabalho, lançou nesta terça-feira (14) o 6º Ciclo do RenovaDF. A nova turma conta com a inclusão de 158 pessoas em situação de rua que vão ganhar uma oportunidade com o programa para se qualificar em jardinagem ou construção civil e receber uma bolsa e certificado pelo trabalho.

Esse público será acompanhado por profissionais das unidades do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), geridos pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

O lançamento ocorreu no ginásio regional da Ceilândia, na QNN 16, onde o governador Ibaneis Rocha desejou sucesso aos novos alunos.

“É uma alegria muito grande ver esse ginásio cheio de pessoas buscando as condições que precisam para viver. Isso tudo foi feito para vocês. Esse é o programa da oportunidade, da inserção no mercado de trabalho. E teremos quase 200 pessoas em situação de rua participando dessa edição”, disse o governador.

Ibaneis também destacou a queda do desemprego no DF. A taxa diminuiu de 19,6% para 15,9%, entre os meses de abril de 2021 e de 2022, atingindo um patamar que não era alcançado desde janeiro de 2016.

“Tivemos uma redução do desemprego no DF, e o que a gente quer é qualificar as nossas pessoas para o trabalho, para que possam cada vez mais crescer, dando oportunidade a cada um e a cada uma das pessoas que estão aqui”, acrescentou o chefe do Executivo.

Ao todo são 2.500 alunos inscritos para o curso de qualificação profissional de Auxiliar de Manutenção, com noções de diferentes profissões, tais como: carpinteiro, jardineiro, eletricista, encanador, serralheiro e pedreiro. Esses novos alunos vão atuar em Ceilândia e Taguatinga.

Lançado em 31 de maio de 2021, o RenovaDF já recuperou 621 equipamentos públicos em todo o DF e tem 102 em andamento. Mais de 4,2 mil alunos já foram formados, 3,4 mil estão cursando e 2,5 mil estão inscritos à espera do início das aulas.

Dentro do escopo de formados, o RenovaDF qualificou mais de 200 imigrantes e 98 pessoas em situação de rua.

“Esse ciclo vai contemplar 2,5 mil alunos e, na próxima semana, eles já começam as aulas teóricas. A partir da próxima quinta-feira, vão iniciar os trabalhos em Ceilândia. A sala de aula deles serão os 230 equipamentos públicos que eles vão recuperar. O nosso turno noturno também está mantido, onde eles vão recuperar viadutos no Plano Piloto, Núcleo Bandeirante e na Via Estádio”, afirma o secretário de Trabalho, Thales Mendes.

Sobre o RenovaDF

O RenovaDF é um programa de qualificação profissional da Secretaria de Trabalho, em parceria com a Secretaria de Governo, em atendimento às demandas das administrações regionais. Os cursos são de iniciação profissional e aplicados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF), com duração de 240 horas (três meses), com quatro horas diárias.

Os alunos recebem qualificação profissional, com noção básica na área de construção civil, com aulas de forma presencial e, enquanto se qualificam, os próprios alunos recuperam os espaços públicos das cidades.

Eles recebem kit uniforme, com camiseta, bota, capa de chuva, garrafa d’água, boné, equipamento de proteção individual, lanche e bolsa benefício no valor de um salário mínimo, além de auxílio transporte e seguro contra acidentes pessoais.

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Renato Alves / Agência Brasília

Em setembro de 2021 foram registradas 2.278 ocorrências de fogo na vegetação; em 2022, só até a primeira semana deste mês, já houve 891 episódios

A operação Verde Vivo, do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), destinada a atuar em situações de emergência ambiental causadas pelos incêndios florestais, já começou a ser colocada em prática pelo Grupamento de Proteção Ambiental. Para isso, estão sendo realizados cursos de capacitação, mapeamento de áreas de risco e compra de materiais que serão usados nas ações.

Nos 30 dias de setembro de 2021 – o mês mais crítico da seca e que apresenta o maior número de casos de incêndios florestais –, foram registradas 2.278 ocorrências de fogo na vegetação e 7.104 hectares queimados. Neste ano, desde janeiro até a última quarta-feira (8), foram registradas 891 ocorrências.

O chefe do Centro de Gerenciamento Ambiental, major João Henrique Correia, disse que a operação Verde Vivo tem por objetivo alterar o efetivo e realocar recursos para que sejam usados exclusivamente no combate a incêndios florestais. Segundo ele, entidades que estão mais próximas de áreas rurais e unidades de conservação recebem um efetivo para trabalhar exclusivamente no combate e controle aos incêndios.

“Esse ano estamos sob efeito do El Niño, com enfraquecimento do La Niña [El Niño e La Niña são fenômenos de aquecimento superficial das águas do Oceano Pacífico que trazem alterações climáticas], o que faz com que nesse período do ano, embora pareça crítico, estejamos ainda na normalidade. Isso possibilitou que nos preparássemos bem. Já capacitamos alguns militares para trabalhar na gestão dessas ocorrências. Nesta segunda-feira [13] colocaremos em operação nossa central de operações”, disse.

Segundo o primeiro-tenente Neil Martins, oficial combatente, a formação do pessoal para trabalhar com a logística e o combate aos incêndios florestais devem ser efetuados de forma gradativa, assim como as ocorrências, que aumentam à medida que a seca no Centro-Oeste avança. “Temos as fases da operação e, de acordo com elas, vamos preparando nosso pessoal e os equipamentos. Aparelhamos nosso material com bombas de água, sopradores e abafadores. Temos ainda o Centro de Gerenciamento Ambiental que faz a gestão das ocorrências”, explicou.

O Grupamento Ambiental do Corpo de Bombeiros está listando o material que será necessário adquirir para utilizar neste ano. A previsão é que sejam comprados 1.659 equipamentos de proteção individual (EPIs), 161 sopradores, 524 mochilas de costas, 170 mangueiras do tipo autobomba tanque florestal e 4.804 conjuntos de luvas com balaclavas (gorros justos de malha de lã que cobrem a cabeça, o pescoço e os ombros). O tenente Neil lembrou, no entanto, que esse quantitativo ainda passará por uma análise a depender do aumento ou redução da necessidade.

Já os bombeiros que atuam como gestores nas ações da operação Verde Vivo recebem formação de legislação ambiental, geografia do DF, condicionamento físico para lidar com situações adversas e simulação de manejo de combate. Na sexta-feira (10), teve início mais um curso, com 30 alunos. Os instrutores são bombeiros especialistas no combate a incêndios florestais. Atualmente existem 230 bombeiros militares com essa especialização.

Com relação às viaturas de combate a incêndios, o grupamento dispõe de 11 caminhões do tipo autobomba tanque florestal, com capacidade para carregar três mil litros de água, e 20 do tipo autotransporte de tropa, que leva 18 pessoas sentadas. Além desses, existe uma aeronave de combate às chamas, que carrega 3 mil litros de água.

Crédito: Catarina Lima, da Agência Brasília | Edição: Renata Lu I Fotos: Renato Araújo/Agência Brasília

Diretor-geral do Detran fala sobre a parceria com a população em ações como o Maio Amarelo

Ao final da campanha Maio Amarelo, o diretor-geral do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran), Thiago Gomes Nascimento, avalia que a principal característica da ação neste ano foi a intensificação das atuações educativas, em virtude do final da pandemia e do aumento da circulação de carros nas estradas do DF.

“Pensamos que, quando a normalidade voltasse, os acidentes poderiam aumentar”, disse o gestor, em entrevista à Agência Brasília. “Precisávamos mostrar à população que ela participa do trânsito, por isso aumentamos o número de campanhas, assim como a fiscalização, mas sempre com foco na educação e na redução de acidentes.”

O Maio Amarelo deste ano comemorou os 25 anos de existência da faixa de pedestre no DF, buscando intensificar a importância do equipamento. Além dessa campanha, o brasiliense tem sido beneficiado com campanhas educativas anuais. Somente nos dois últimos anos, o valor gasto foi de cerca de 40 milhões.

Acompanhe, a seguir, os principais trechos da entrevista.

 

Qual foi o saldo desta nona edição da campanha Maio Amarelo?

Este ano, o Maio Amarelo teve um foco diferente, relacionado à integração, tanto é que o lema de 2022 foi “Junto salvamos vidas”. Isso mostra um pouco do que o nosso marco constitucional traz, da participação da população. Foram mais de 500 ações em todas as regiões administrativas, com uma média de 17 ações por dia. As ações foram direcionadas a ciclistas, pedestres e motociclistas. A Secretaria de Segurança Pública foi uma grande parceira. O Maio Amarelo foi muito relevante para o Departamento de Trânsito e para a população do DF, porque o Detran está indo para um novo patamar, que é reviver as faixas de pedestres, que serão renovadas, tornando-se mais eficientes.

Qual a característica da campanha deste ano?

Durante os últimos dez anos, tivemos um aumento muito grande no número de veículos emplacados. Hoje são 2 milhões de veículos no DF, um número muito grande se comparado ao total da população. Nessas campanhas, mesmo durante a pandemia, notamos uma redução do número de mortes e acidentes. Por isso, neste ano, com o aumento da circulação dos veículos, intensificamos as campanhas de prevenção e fiscalização.

Quais os temas mais trabalhados durante a campanha?

Trabalhamos ações relacionadas a pedestres, ciclistas e motociclistas. No caso do pedestre, ele é o elo mais fraco da corrente – mas no DF temos uma inversão da lógica, porque aqui o pedestre tem força, devido à faixa. Reforçamos essa importância e também fizemos campanhas para os motociclistas. Para isso firmamos parceria com o iFood. Em 30 de maio, montamos aqui no departamento um circuito para os motociclistas, contando inclusive com palestras educativas feitas pelos nossos motociclistas. Eles aprenderam sobre a importância do uso do capacete, de estar com a documentação em dia, entre outras coisas. Estamos programando outras ações para motociclistas, em que oferecemos treinamento para esses profissionais.

Como será a renovação das faixas de pedestres?

Elas vão ser modernizadas, ganhando iluminação e acessibilidade. A primeira faixa iluminada já foi inaugurada pelo governador Ibaneis Rocha. As faixas vão ganhar cara nova. Para este ano, está prevista a iluminação em 800 faixas. Será uma iluminação específica para elas, com lâmpadas de 125 watts, mais que a iluminação comum. Vamos começar agora um projeto que não tem nome estabelecido, mas que poderá se chamar Detran mais Obras e que, além de iluminar as faixas, disponibilizará acessibilidade em todas elas. Nessa primeira fase, foi feito um investimento em iluminação de R$ 6,6 milhões; com as obras de acessibilidade serão gastos mais R$ 6 milhões.

O que podemos dizer que é o Detran mais Obras?

O Detran mais Obras é o restabelecimento da acessibilidade das nossas faixas de pedestres no Distrito Federal. Muitas vezes o Detran dependia de outros órgãos para fazer a acessibilidade, o calçamento. Colocávamos as faixas, mas não podíamos fazer as outras intervenções. Agora vamos realizar as intervenções completas, então as faixas vão ser iluminadas e terão toda a acessibilidade. Para esse projeto, a previsão de gastos é de R$ 5 milhões.

Como o senhor analisa o atropelamento de cinco crianças na faixa de pedestres, justamente no ano em que essa sinalização completa 25 anos?

Eu costumo dizer que esse episódio não reflete a realidade dos condutores, porque aquela pessoa que atropelou não estava habilitada a ser um condutor. Como ele não tinha habilitação, não respeitou as faixas. A gente está tratando de uma pessoa que não tinha o conhecimento necessário, não sabia a importância da faixa e a responsabilidade de estar conduzindo e ainda estava sob o efeito de álcool. Costumo dizer que o respeito às faixas de pedestres só é o que é porque o Detran faz campanhas todos os anos. Entre 2021 e 2022 houve uma redução de quase 30% nos acidentes nas faixas de pedestres. Durante os três primeiros anos de governo, essas campanhas foram intensificadas, inclusive durante a pandemia. No ano passado, intensificamos a verba para campanhas educativas sobre as faixas, e o gasto foi de mais de R$ 20 milhões com esse tipo de publicidade. Este ano, a verba destinada foi de mais de R$ 20 milhões.

Como foi o passeio ciclístico do Detran neste ano?

Este ano colocamos no nosso calendário o projeto Detran nas RAs, que consiste em fazer passeios ciclísticos mensais em cada região administrativa. O último foi no Gama. O próximo será no Paranoá. Pela primeira vez, o evento contou com a participação de um grupo de ciclistas chamado DV na Trilha, composto por 20 ciclistas com deficiência visual.

E os semáforos com sonorização, também serão atendidos nesse processo de modernização das faixas?

A nossa ideia é que, a partir deste ano e no máximo nos próximos dois anos, consigamos trocar todos os equipamentos semafóricos do DF. Os novos vêm com sonorização. Onde for necessária a sonorização, esta será colocada. O investimento é de cerca de R$ 30 milhões.

Além das campanhas, quais as novidades administrativas que o Detran tem a oferecer à população?

O Departamento de Trânsito passa por uma revolução tecnológica. Nosso aplicativo, o Detran DF, é o primeiro do país a contemplar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Temos a transferência eletrônica inteligente. Quem vai comprar ou vender um carro não precisa mais ir ao cartório, agendar a transferência. É tudo automático, dentro do telefone celular do usuário. O emplacamento é inteligente, a pessoa já sai da concessionária com carro emplacado. Teremos um portal mais moderno, mais responsivo e amigável e, em dois meses, contaremos com 40 serviços digitais. Daqui a pouco, terão fim as filas e agendamentos. Hoje o Detran faz 4 milhões de atendimentos por ano, e as reclamações não chegam a 2% [desse total] por ano.

O Detran ganhará uma nova agência?

Em breve, abriremos uma nova agência no aeroporto. Vai s er uma agência-piloto e modelo. O aeroporto é caminho para as pessoas que vêm do Gama, Santa Maria e Entorno. Para fazer a agência lá, fizemos uma parceria com a Inframerica, que administra o aeroporto. Lá será possível, inclusive, fazer as provas necessárias para tirar habilitação. Com a parceria, conseguimos até abatimento no preço dos estacionamentos para quem for à agência do de Detran do aeroporto.

Créditos: Catarina Lima, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Eline Luz/Agência Brasília

Além do Cartão Prato Cheio, que já contempla 35 mil famílias e chegará a 60 mil, cidadãos em vulnerabilidade contam com ajuda do governo para manter uma vida digna

Para muito além de obras grandiosas como o Túnel de Taguatinga ou o Viaduto do Recanto das Emas/Riacho Fundo II, o Governo do Distrito Federal (GDF) cuida de pessoas ao garantir acesso à educação, alimentação, trabalho e benefícios sociais que atendem a famílias inteiras, incluindo pais, filhos e avós. Os números mostram que os programas sociais do governo têm mudado a vida da população brasiliense.

O Cartão Prato Cheio e o Cartão Gás foram criados pela atual gestão para que a comida não falte na mesa de milhares de famílias. O primeiro já alcança 35 mil famílias que recebem R$ 250 em um cartão para compras em supermercados durante nove meses. Já o segundo oferece um benefício de R$ 100 para a compra do gás de cozinha, item de aquisição cada vez mais difícil para pessoas de baixa renda.

Além desses benefícios, há 14 restaurantes comunitários espalhados pelo DF. O cardápio oferece comida saudável e balanceada a R$ 1, além do café da manhã disponível na maioria das unidades. Já são mais de 28 milhões de refeições servidas até o início deste mês – o que representa um reforço na alimentação dentro ou fora de casa.

“Fomos a primeira unidade da Federação a instituir o Cartão Gás”, lembra a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha . “Uma forma de complementar as ações voltadas para a segurança alimentar e nutricional das pessoas, o benefício deixou de ser um programa emergencial para se tornar uma lei, mostrando o quão importante é para a população”.

A cada dois meses, dinheiro para o gás

Já são 350 mil donas de casa atendidas com o Cartão Gás. Entre elas, a desempregada Lindaura Alvarenga, 38, moradora de Planaltina. Ela veio do Piauí em 2000 e mora com as duas filhas de 2 e 11 anos. “Meu botijão de gás dura mais ou menos três meses e preciso muito para fazer a comida para a minha filha menor”, conta. “Sem trabalhar, como seria para mim?”

Lindaura recebe ainda o DF Social, no valor de R$ 150, e foi beneficiada com parcelas do Prato Cheio em 2021. “O Prato Cheio tornou-se um dos principais programas da gestão”, pontua Mayara Noronha Rocha. “São cerca de 35 mil famílias que recebem atualmente e que, em breve, vão se tornar 60 mil. Outro grande feito recente foi passar de seis para nove meses o tempo de concessão”.

Dignidade e melhor aprendizado

 

Na casa da diarista Cinthia Santana, em Santa Luzia, bairro da Estrutural, são três crianças em idade escolar: as filhas Cindy, 14, Lara, 10, e a neta Agatha, de 3 anos. Todas estudam em escolas da região administrativa, com direito a mochila, lápis novos e cadernos para o aprendizado. Tudo proporcionado pelo Cartão Material Escolar (CME), que libera R$ 320 para cada uma das alunas todo início de ano.

“Chega ali em fevereiro, Lara já pergunta se o cartão está liberado; elas ficam ansiosas para ter o material de estudo”, revela Cinthia. “A gente quer o melhor para os filhos, que elas tenham a oportunidade de ter uma profissão, algo que não consegui”.

Vizinha de Cinthia, Zesita Cruz, 54, é faxineira e vive com a filha Lorena Santana, 7. Aluna da Escola Classe 1 da Estrutural, a menina é uma estudante dedicada e também teve o material comprado com o auxílio vindo do cartão.

“Agradeço demais ao governo, porque, se não fosse o cartão escolar, ela ficaria sem material”, conta Zesita, também beneficiária do Cartão Gás. “Não tenho condições financeiras, a pandemia foi muito difícil para a gente. Assim, não tenho como tirar dinheiro da comida para comprar as coisas da escola”. Zesita diz ainda ter recebido cestas emergenciais ao longo dos últimos dois anos, após solicitá-las no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) perto de sua casa.

Auxílio proporcionado pela Secretaria de Educação (SEE), o Cartão Material Escolar não somente mantém a criança na escola – significa, igualmente, inclusão. “Temos a questão econômico-financeira, mas também o sentimento de pertencimento, o resgate da autoestima do aluno”, avalia o subsecretário de Apoio às Políticas Educacionais da SEE, Nivaldo Félix. “A criança quer ter um bom material, assim como o colega de sala. Olhamos para a diminuição da desigualdade. Isso reflete na parte pedagógica, estimula o bom aprendizado daquela criança”.

Há ainda o Cartão Creche, que atende crianças de até 3 anos. Criado em 2020, o benefício é disponibilizado para o pagamento mensal a uma instituição privada, abrindo vagas complementares à rede pública do DF. Nada menos do que 15 mil vagas surgiram nos centros infantis após a criação do Cartão Creche, em 2020.

Créditos: Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Fotos: Renato Araújo/Agência Brasília

 

São 48 empossados – 16 agentes e 32 especialistas de nível superior – que prestarão atendimento em unidades dos Cras, Creas e restaurantes comunitários

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) anunciou nesta terça-feira (7) a lotação definitiva dos 48 servidores empossados na última leva de nomeações. A maioria deles vai trabalhar na ponta, reforçando o atendimento que é realizado para o cidadão nas unidades socioassistenciais, além dos 12 nutricionistas que serão lotados nos restaurantes comunitários.

São 16 agentes sociais e 32 especialistas de nível superior, sendo um de serviço social, 16 de direito e legislação, um de pedagogia, dois de ciências contábeis e os 12 nutricionistas.

“Eu já fui usuária da política de assistência social e eu sei como é importante esse trabalho nas unidades, diretamente com as famílias. Minha expectativa está alta também por conta disso, porque sei que vou ficar na ponta e poder contribuir muito”, comemora a assistente social Katlen Guedes dos Santos, de 26 anos.

Os novos servidores vão prestar suporte nessa retomada do atendimento por senha nos 29 Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e de realização de mutirões nas unidades. Em dois dias, os Cras e as sete agências do Na Hora realizaram mais de 1,4 mil atendimentos de famílias em vulnerabilidade social.

Nessa nova leva de nomeações, pela primeira vez na história da Sedes foi possível nomear especialistas em direito para todos os 12 Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e nutricionistas para os 14 restaurantes comunitários do DF.

Uma dessas nutricionistas é Juliana Almeida, de 25 anos, que foi lotada no Restaurante Comunitário de Santa Maria. “Considero muito importante esse contato com o público, entender as demandas, o que eles gostariam de ter no cardápio e o que poderia ser ajustado”, enfatiza Juliana.

Esses 48 novos servidores fazem parte da oitava leva de nomeações de aprovados no último concurso da secretaria. Foram nomeados, no total, 827 novos servidores para a Sedes nos últimos dois anos, além dos 236 servidores que foram para as secretarias de Justiça (Sejus) e para a da Mulher (SMDF).

“É impossível falar em uma prestação de serviço eficaz, que transforma vidas, se não for por meio dos servidores. Esses trabalhadores são pessoas que vão estar aqui por anos, conseguirão ter bagagem e serão o histórico da secretaria”, ressalta a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, durante a recepção dos novos servidores em cerimônia no Centro de Treinamento e Capacitação (CTC) da Sedes.

*Com informações da Sedes-DF

Créditos: Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Renato Raphael/Sedes

Campanha conscientiza sobre como evitar acidentes. Casos aumentaram quase 50% de 2020 para 2021; só em 2022, o Hran já fez mais de mil atendimentos

Fogueira, quentão, canjica, fogos de artifício. Os itens tradicionais do cenário junino podem provocar queimaduras. Para alertar sobre os riscos e informar sobre a prevenção a esses acidentes, a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) promove a campanha Junho Laranja.

“A prevenção a queimaduras tem que durar o ano inteiro”, afirma o chefe da unidade especializada, Ricardo de Lauro. Só em 2022, o pronto-socorro da Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), referência no Distrito Federal desse tipo de acidente, atendeu mais de mil casos.

O médico defende que a campanha é importante para conscientizar a população. Ele atua na Unidade de Queimados desde 2008 e acompanha o crescimento das ocorrências. “Queimadura é o pior trauma que uma pessoa pode sofrer”, alerta.

Aumento de casos

 

Em 2021, foram 3.127 casos de queimaduras atendidos no Hran, 2.084 casos em 2020. A principal causa dos acidentes é a escaldadura, ou seja, provocada por líquidos quentes. Esse é o motivo de 49% dos atendimentos, seguido por combustíveis, responsáveis por 19% das ocorrências, e por chamas, que causam 11% dos acidentes desse tipo. O percentual de notificações por causas diversas é de 22%, como queimaduras por eletricidade, reação química ou contato com superfícies aquecidas.

Crianças são as vítimas mais frequentes de queimaduras. Cerca de 49% dos pacientes atendidos na Unidade de Queimados são menores de 14 anos. A faixa etária de 14 a 50 anos é a segunda maior vítima de queimaduras, representando 41% dos atendimentos no Hran, informa o médico.

Outro dado que chama a atenção é o aumento de internações por queimaduras causadas por álcool, principalmente em gel. Em 2020, 16,4% dos pacientes internados foram vítimas do inflamável. Já em 2021, o número saltou para 29%. “Às vezes as pessoas usam o álcool para desinfetar as mãos e vão cozinhar, por exemplo. Um resquício do produto na pele e estar à beira do fogão podem ser suficientes para causar um acidente”, adverte Ricardo.

Por isso, antes de vestir a roupa xadrez e colocar o chapéu de palha, fique atento aos cuidados básicos. Festas juninas podem ser ambientes propícios a queimaduras por líquidos quentes. Preste atenção ao manipular bebidas e alimentos com altas temperaturas, evite brincadeiras perto de fogueiras tanto para prevenir queimaduras por chamas quanto das vias aéreas por inalação de fumaça.

“Não solte fogos de artifício, deixe isso para quem entende. Tenha cuidado com produtos inflamáveis”, orienta o médico. Ricardo também alerta para cuidados na cozinha. “Em hipótese alguma apague óleo em combustão com água. Preste atenção ao manipular gás de cozinha e, se suspeitar de vazamento, abra portas e janelas e não acenda as luzes”, completa.

Em caso de queimadura, o ideal é buscar um serviço de saúde o mais breve possível. “Muitas vezes, as pessoas não procuram imediatamente ajuda, apenas quando a queimadura já está mais grave”, destaca Ricardo.

Referência

A Unidade de Queimados do Hran é referência no DF. Ali são tratados casos por acidentes térmicos, elétricos e químicos. A equipe é composta por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais. “Queimadura é um trauma que compromete corpo e mente. Daí a importância de uma equipe multidisciplinar”, ressalta o médico.

O pronto-socorro de queimados funciona 24 horas, durante os sete dias da semana, e atende de 10 a 24 pacientes por dia. A unidade também conta com ambulatório, onde são feitos de 30 a 50 curativos por dia. Caso haja necessidade de cuidados mais intensivos, o Hran possui 16 leitos de internação para pacientes queimados, além de sala de curativos e sala de cirurgia para tratar as vítimas de queimadura.

*Com informações da Secretaria da Saúde

Créditos: Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo I Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde

Governador Ibaneis Rocha anuncia aumento de abrangência do programa, durante caminhada pelo Núcleo Bandeirante

Durante visita ao Núcleo Bandeirante, na manhã desta sexta-feira (3), o governador Ibaneis Rocha anunciou a ampliação do programa Cartão Prato Cheio. O pagamento passa de seis para nove meses e, a partir do próximo mês, vai atender 60 mil famílias. O chefe do Executivo passou a manhã na cidade e ouviu demandas e elogios dos moradores e comerciantes.

“Hoje tenho um belíssimo recado para quem recebe o cartão Prato Cheio: nós hoje estamos pagando mais 35 mil famílias e, a partir do mês que vem, vamos ampliar o benefício para 60 mil famílias”, disse o governador. “Vamos atender cada vez mais famílias com esse grande programa nosso, que é a assistência social.”

Prato Cheio

Criado em maio de 2020 para garantir a segurança alimentar das famílias afetadas pela crise econômica originada pela pandemia de covid-19, o Cartão Prato Cheio já beneficiou 125.690 pessoas em dois anos.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), gestora do programa, 29.265 famílias foram inseridas no benefício mais de uma vez. O foco do programa é conceder um cartão com crédito de R$ 250 para dar poder de compra de alimentos às famílias.

Esse é um diferencial do Prato Cheio: as famílias têm autonomia de compra e escolha dos produtos, diferentemente de quando recebem uma cesta básica fechada. Com isso, as mães podem selecionar os alimentos e as marcas.

O programa auxilia as famílias e, ao mesmo tempo, incentiva o comércio local, porque o crédito é liberado para uso nesses estabelecimentos – o que também ajuda os pequenos comerciantes a superarem o momento de crise.

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Valor total da folha de pagamentos do mês ficou em mais de R$ 8 milhões e começou a ser creditado na conta dos beneficiários na noite dessa terça-feira (31/5)

O Governo do Distrito Federal (GDF) liberou pagamento da parcela de R$ 150 referente ao mês de maio para 55.204 famílias beneficiárias do programa DF Social. O valor total da folha do mês ficou em R$ 8.301.070 e começou a ser creditado na conta dos beneficiários na noite dessa terça-feira (31/5).

O benefício de R$ 150 é concedido mensalmente às famílias inscritas no Cadastro Único e com renda per capita de até meio salário mínimo. Para participar do DF Social, não é necessário solicitar a inclusão no programa. Caso o cidadão preencha todos os pré-requisitos e esteja inscrito no Cadastro Único, estará apto a receber o benefício, conforme priorização das famílias e compatibilidade orçamentária.

Devido a trâmites operacionais bancários, o crédito pode demorar um pouco mais para algumas pessoas. Para confirmar se está entre os beneficiários, o cidadão deve acessar o site do GDF Social. No portal, em “Consulta DF Social”, é necessário informar CPF e data de nascimento.

Após esse procedimento, uma mensagem na tela informa se a pessoa está ou não na lista de contemplados. Em caso positivo, o cidadão deve abrir uma conta no BRB Mobile para receber o benefício. O Distrito Federal tem 14.796 famílias que foram contempladas e não recebem o DF Social porque não abriram a conta social no BRB.

“Quem está inscrito no Cadastro Único deve manter os seus dados atualizados e conferir no site GDF Social se está entre os beneficiários. A previsão inicial do GDF é beneficiar cerca de 70 mil famílias”, afirma a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

O DF Social foi criado para manter o auxílio financeiro às famílias que vivem em situação de extrema vulnerabilidade no DF. O novo benefício foi lançado após o fim do DF Sem Miséria – que era atrelado ao programa Bolsa Família, extinto pelo governo federal para dar lugar ao Auxílio Brasil.

Caso atenda a todos os critérios e esteja com o Cadastro Único atualizado, o cidadão deve aguardar a liberação do benefício – situação que é comunicada por meio de mensagem via SMS enviada pelo GDF aos telefones informados durante o atendimento.

São priorizadas no programa as famílias em situação de baixa renda:

→ Beneficiárias do DF Sem Miséria em outubro de 2021 e que não atingiram renda familiar per capita mensal de R$ 140, enquanto mantida esta condição;

→ Monoparentais chefiadas por mulheres com crianças de até 6 anos;

→ Que tenham em sua composição pessoas com deficiência;

→ Com pessoas idosas;

→ Que estejam em situação de rua;

→ Beneficiárias do Auxílio Emergencial do governo federal e que não foram contempladas pelo Auxílio Brasil.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social 

Crédito: Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger I Foto: Divulgação/Sedes

Ordem de serviço assinada nesta terça-feira (31) entre o GDF e a Neoenergia vai facilitar o deslocamento dos consumidores, com atendente presencial mais próximo de casa ao menos uma vez por semana

A partir de 6 de junho, as 33 administrações regionais do Distrito Federal passarão a contar com um atendente presencial da Neoenergia Brasília. O posto itinerante da empresa vai funcionar uma vez por semana em cada uma das regiões administrativas, em dias alternados e sem hora marcada.

A medida visa facilitar o acesso do cidadão aos serviços prestados pela companhia, como retirada de segunda via de contas, parcelamento de débitos, ligações novas, trocas de titularidade e outras solicitações. O cronograma semanal de atendimento poderá ser consultado no site da Neoenergia Brasília (Neoenergia Brasília) ou nos perfis da distribuidora no Twitter e no Instagram (@neoenergiabsb).

Nesta terça-feira (31), o governador Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço autorizando o termo de cooperação entre a Secretaria de Governo, com participação da Secretaria das Cidades, e a empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica no Distrito Federal.

“Esse acordo é um somatório de tratativas realizadas anteriormente para atender melhor a população, sem a necessidade de transferência de recursos financeiros”, explica o secretário executivo das Cidades, Valmir Lemos. “É o GDF buscando alternativas para que tanto em tempos de sol quanto de chuva o consumidor tenha seus problemas resolvidos, com menos tempo de deslocamento e, consequentemente, menor gasto”, reforça o secretário de Governo José Humberto Pires.

Expansão

Em janeiro deste ano, dez administrações regionais começaram a receber o posto itinerante da Neoenergia. O procedimento serviu de teste para que pudesse ser aprimorado e ampliado, servindo como mais um canal de atendimento ao consumidor.

Além do virtual, 24 horas por dia – tanto pelo site quanto pela central 116 – , a concessionária conta com seis agências físicas próprias – Lago Sul, Paranoá, Planaltina, Samambaia, São Sebastião e Taguatinga -, nos sete postos do Na Hora e nas duas agências móveis que circulam pelas cidades.

“Nosso objetivo é estar mais próximo do consumidor e ampliar as possibilidades de atendimento presencial para aqueles que necessitam e optam por esse tipo de atendimento”, afirma o diretor-presidente da Neoenergia Brasília, Frederico Candian.

Créditos: Hédio Ferreira Júnior, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Governo está investindo R$ 37,7 milhões na construção de Cepis em Ceilândia, Recanto das Emas, Planaltina, Santa Maria, Gama, Vila DVO, Vila Telebrasília e Estrutural

A Secretaria de Educação (SEE) disponibilizará, este ano, 1.598 novas vagas em creches para crianças de até três anos. Para isso estão em construção nove unidades do Centro de Educação da Primeira Infância (Cepi), com um total de 85 salas. O investimento é de R$ 37,7 milhões. As regiões administrativas atendidas são Recanto das Emas – com duas unidades –, Planaltina, Gama, Vila DVO, Santa Maria, Ceilândia, Vila Telebrasília e Estrutural.

A fiscalização das obras das creches é uma parceria entre a SEE e a Novacap – responsável por fiscalizar cinco unidades. De acordo com a SEE, a obra que está mais adiantada é a do Cepi de Planaltina, com 60% dos trabalhos executados.

Em seguida vêm as unidades da EQNP 8/12, de Ceilândia, com 40% de execução; do Gama, com 35%: e do Recanto das Emas, com 30%. As obras nos Cepis da Vila Telebrasília, Vila DVO, Santa Maria e na Quadra 112 do Recanto das Emas estão na faixa de 10% a 15% de execução.

Desde 2019, início da gestão do governador Ibaneis Rocha, já foram entregues sete creches, com 58 salas e capacidade para 860 estudantes. O valor total das obras é de R$ 19,7 milhões.

Mais unidades para 2023

 

O subsecretário de Infraestrutura Escolar, Leonardo Balduíno, informou que, além das creches já em construção, a SEE está realizando licitações para iniciar novas unidades ainda em 2022. “A ideia é concluir as licitações e iniciar as obras ainda neste ano”, afirmou.

Três Cepis encontram-se em fase de licitação. As unidades estão previstas para Samambaia, Taguatinga e Recanto das Emas, cada uma com dez salas de aula. A estimativa de investimento é de R$ 19,1 milhões, e a capacidade de atendimento das três será de 564 crianças.

Estão previstos também – ainda não licitados – mais 17 Cepis, 16 deles com dez salas de aula cada um e o da Vargem Bonita com cinco salas. O total de salas, segundo o subsecretário, é de 165, sendo possível atender 3.102 crianças, com investimento previsto de R$ 108,2 milhões.

As regiões administrativas atendidas serão Recanto das Emas (três unidades), Santa Maria, Gama, Guará, Jardim Mangueiral, Sol Nascente, Riacho Fundo, Riacho Fundo II (duas unidades), Ceilândia (três unidades), Taguatinga, Taquari  e Vargem Bonita.

Creches rurais também estão nos planos da Secretaria de Educação. De acordo com Leonardo Balduíno, encontra-se em construção a Creche Núcleo Rural Jardim II, no Paranoá, que contará com três salas para atender 15 crianças em cada uma delas. Duas creches estão em fase de licitação, sendo uma no Núcleo Rural do Pipiripau, em Planaltina, com três salas e capacidade para 21 crianças em cada uma, e a Creche Colônia Agrícolas São José, no Núcleo Rural Rio Preto, também em Planaltina. A previsão é que nesta última sejam construídas quatro salas, sendo que cada uma atenderá 28 crianças.

O coordenador regional de ensino de Ceilândia, Carlos Ney Menezes, disse que recebe com alegria a notícia da construção de novas creches. Segundo o educador, a demanda por lugares em Cepis é de 2 mil vagas. “As famílias recebem o Cartão Creche, mas no Sol Nascente/Pôr do Sol não existem creches conveniadas e, para levar as crianças, as famílias precisam se deslocar. Por isso, o ideal é a construção de Cepis”, reforçou.

Créditos: Catarina Lima, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Desse total, R$ 9,6 milhões são para a reconstrução da EC 425, que teve a ordem de serviço assinada nesta quarta; governador anunciou ainda trabalhos em mais duas instituições de ensino

Em local provisório desde a década de 1990, a Escola Classe 425 de Samambaia será reconstruída pelo Governo do Distrito Federal (GDF). Na manhã desta quarta-feira (25), o governador Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço para o início das obras do equipamento público na QS 425, Área Especial 2. Serão investidos R$ 9,6 milhões. O valor se soma aos R$ 59 milhões aplicados pelo GDF apenas em Samambaia para reforma e manutenção de escolas da rede pública.

“São R$ 59 milhões investidos aqui na cidade, e agora nós partimos para a reconstrução daquelas escolas mais antigas onde não cabiam mais reformas”, declarou o governador. “Serão três escolas, começando por essa em que estamos aqui hoje”. As instituições citadas são a Escola Classe 410 e a Escola Classe 415, ambas licitadas.

“A gente entrega para a população de Samambaia aquilo que ela merece”, prosseguiu o governador. “A educação é prioridade no nosso governo. Nós não paramos na pandemia. Trabalho o tempo todo, e a Secretaria de Educação é uma pasta que tem investido mais nos ambientes escolares, nos professores e nos gestores.”

Após assinar o documento, o governador participou do início da demolição da escola, que será toda derrubada para a construção da nova estrutura em terreno com área de 8.389,91 m². A escola oferecerá suporte para 1.254 alunos em dois turnos. “Vai seguir o modelo mais moderno que a gente tem de escola hoje”, antecipou a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá. “Vai ter tudo: laboratório, quadra coberta, 19 salas para atender a criançada. Vocês vão ver que show vai ficar”.

Serão construídas 19 salas de aula, além dos espaços de reforço, de artes, de apoio, dos professores e dos servidores. Também estão no projeto os laboratórios de informática e ciências, auditório, biblioteca, refeitório, secretaria, cozinha com depósito e oito banheiros –quatro para os alunos, dois para servidores e dois administrativos. Completam a estrutura um parquinho, uma área de horta, uma quadra coberta, uma guarita e um estacionamento com 30 vagas.

A reconstrução será feita por meio de um convênio entre a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). “A Novacap vai fiscalizar e acompanhar toda a execução da obra”, explicou o diretor financeiro e administrativo da companhia, Elie Chidiac. “Será uma nova estrutura que vai se adequar ao século 21. Esse é um prédio que não atende mais a metodologia de ensino”.

Demanda antiga

 

“O governo somou esforços, e esse é um passo para a Escola Classe 425, que atende hoje 600 estudantes”, ressaltou a coordenadora regional de ensino de Samambaia, Paula Tredicci. “A perspectiva é atender mais.”

Presente à assinatura do documento, o deputado distrital Rafael Prudente destacou: “Mais um problema histórico sendo resolvido. Todas as escolas aqui da cidade receberam benefícios do governo ao longo dos últimos três anos e meio”. Já a deputada federal Celina Leão lembrou o investimento do GDF na área educacional: “Não adianta investir em tudo e não investir em educação. Essa é uma pauta que tem que ser tratada com prioridade”.

O administrador de Samambaia, Claudeci Ferreira, lembrou que são mais de 10 anos de luta para que a escola, antes provisória, pudesse se tornar numa unidade definitiva. “É uma vitória imensa para toda a comunidade. Essa é uma escola antiga, do começo de Samambaia, que nem sempre estava podendo atender os alunos e os profissionais da educação de forma adequada”.

Ferreira também destacou o investimento do governo para melhorar a qualidade do ensino público em Samambaia: “É uma cidade que cresce e está em desenvolvimento constante. Esse investimento vem para trazer qualidade e abraçar mesmo toda a comunidade, em especial na educação, até porque muitos estudantes migraram da educação particular para a pública no último ano”.

A solenidade contou com a apresentação do Coral Encanto, da Escola Classe 410 de Samambaia. Estiveram presentes também o vice-governador Paco Britto e o secretário de Governo, José Humberto.

População agradece

A enfermeira Adriana Lima Xavier, 38 anos, tem uma relação singular com a EC 425. Ela foi aluna da escola, e muito tempo depois, seu filho Vinicius, hoje com 10 anos, entrou para fazer o quarto ano. “Nós aguardamos por muito tempo essa reforma”, disse.

Na avaliação de Adriana, a reconstrução da unidade vai levar mais segurança para os estudantes, que foram transferidos para uma escola alugada pelo GDF. “A estrutura da escola estava bastante comprometida”, frisou. “Houve casos de o telhado desabar com as fortes chuvas. Essa reconstrução quer dizer segurança, dignidade e esperança de um futuro melhor para as crianças”, complementou.

A artesã Rita Maria de Sousa, 63, também comemorou a notícia de que Samambaia terá uma escola completamente nova para atender a população. “Estou muito feliz de estar participando desse dia, porque a escola é a base de tudo”, pontuou.

Outras melhorias

Ainda nesta quarta, o governador entregou outras obras no setor educacional. Foram inauguradas as coberturas de quadras poliesportivas e benfeitorias em três escolas de Samambaia: Centro de Ensino Fundamental 411, Centro de Ensino Fundamental 427 e Centro de Ensino Fundamental 312. Foram investidos mais de R$ 2,5 milhões para a execução desses trabalhos, beneficiando 3,5 mil alunos.

Créditos: Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Kiko Paz/Novacap

 

Mais de R$ 2,5 milhões foram investidos em reformas no CEF 411, CEF 427 e CEF 312. Serviços como manutenção da rede elétrica, substituição de forros e outros também foram executados

O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu mais de R$ 2,5 milhões para executar uma série de reformas e benfeitorias nos centros de ensino fundamental (CEFs) 411, 427 e 312, todos em Samambaia. De cobertura de quadra poliesportiva à manutenção da rede elétrica, os serviços beneficiam mais de 3,5 mil alunos das três unidades escolares.

No CEF 411, o GDF fez a cobertura da quadra poliesportiva, serviço que demandou investimento da ordem de R$ 608 mil. Por lá, também foi feita a manutenção da rede elétrica, do sistema de lógica e cabeamento, substituição de forros, revisão dos banheiros e impermeabilização do reservatório inferior. Ao todo, foram gastos R$ 1,059 milhão, com recursos do Programa de Descentralização Financeira e Orçamentária (Pdaf) e de contrato de manutenção. O CEF 411 conta com 1,4 mil alunos e 18 salas de aula.

O CEF 427 também recebeu serviços importantes. A quadra poliesportiva ganhou cobertura e as canaletas de águas pluviais passaram por manutenção, bem como as instalações elétricas, entre outros serviços. Lá, o investimento foi de R$ 898 mil, para benefício de mais de 1,2 mil alunos que estudam nas 16 salas da escola. Os recursos também são provenientes do Pdaf e de contrato de manutenção.

A terceira entrega desta manhã foi no CEF 312. Com investimento de R$ 620 mil, a escola ganhou cobertura na quadra poliesportiva e a manutenção de estacionamento, alambrado e telhas. A unidade conta com 940 alunos e 15 salas de aula.

“Estamos trabalhando para cobrir todas as quadras poliesportivas e estamos fazendo isso por todo o DF. Vamos continuar para trazer mais conforto aos alunos, professores e à comunidade”, destacou o governador Ibaneis Rocha durante a entrega dos serviços nas escolas.

“Pode parecer pouco, mas nós estamos fazendo um trabalho para cobrir as quadras poliesportivas que servem como um ambiente não só para esportes, mas também para encontro das famílias e das crianças, juntamente com a comunidade escolar”, completa o governador.

“A cobertura das quadras era um sonho antigo das comunidades escolares. Elas agregam muito na qualidade da educação. Ali, além da parte esportiva, são desenvolvidas atividades culturais e festivas”, acrescenta a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá.

“São obras que trouxeram grande significado para acolher melhor os estudantes. O esporte é essencial para todas as pessoas, e agora essas quadras estão em melhores condições de uso pela comunidade escolar”, avalia a coordenadora regional de ensino de Samambaia, Paula Tredicci.

Impacto no cotidiano

O administrador regional Claudeci Ferreira destacou que essa é mais uma melhoria para o cotidiano da comunidade de Samambaia. “Vim de escola pública e, quando fazia educação física, era no sol quente. Sei a diferença e o que representa ter uma quadra coberta. É importante para a comunidade escolar, não só para a prática esportiva, mas para as festas”, comenta.

Foram 26 anos de espera para que a quadra poliesportiva do CEF 312 tivesse uma cobertura. A diretora Alexandra Carla Reis da Silva diz que a reforma vai proporcionar melhor qualidade de vida aos estudantes. “Era uma área descampada, com sol forte, principalmente no mês de agosto. Agora, eles vão poder usar durante o ano todinho e também no período noturno, protegidos do sol e da chuva”, afirma. Além do corpo escolar, a quadra é usada nos fins de semana pela população para festas e encontros religiosos. “A gente vai ter mais esse espaço para agregar o lazer”, completa.

Quem também comemorou a melhoria foi a professora de educação física do CEF 312, Lucimara Perciliano de Oliveira. Para ela, a reforma terá um impacto direto nas aulas. “A educação física precisa dessa comodidade para os alunos, principalmente porque é muito quente. Vai ser um estímulo. Antes, estava totalmente no sol. Os alunos acabavam ficando prejudicados no período de seca e também na época da chuva”, diz.

Por conta disso, ela lembra que os estudantes do período vespertino tinham mais aulas teóricas do que práticas. “A gente já fazia um trabalho caprichado, mas agora o tempo não irá mais nos prejudicar”, completa.

Mais melhorias

Em breve, o GDF dará início a três obras em Samambaia. Destas, duas já estão licitadas: a construção da Escola Classe 410 e da Escola Classe 415. A outra é a construção de um Centro de Educação da Primeira Infância (Cepi), popularmente chamado de creche, a ser erguido na Quadra 217.

O total dos investimentos com estas obras, incluindo a da EC 425 de Samambaia, que será iniciada nos próximos dias, e a da EC 408 de Samambaia, que já se encontra em execução, supera R$ 40 milhões. A capacidade de atendimento dessas escolas será de 3.510 alunos.

Somente pelo contrato de manutenção, de 2019 até 2022, o GDF aplicou cerca de R$ 17 milhões em recursos nas escolas da região. Neste período, todas as 45 escolas que fazem parte da região foram atendidas com algum serviço pelo contrato de manutenção. Já o somatório de investimentos da região de Samambaia gira em torno de R$ 59,8 milhões.

Créditos: Ian Ferraz e Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

Governo oferece oportunidade de Carteira de Habilitação gratuita para cinco mil pessoas de baixa renda

Podem se inscrever pessoas inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), atendidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), e o público específico atendido pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) – negros, indígenas, pessoas trans, idosos, vítimas de violência e egressos dos Sistema Socioeducativo maiores de 18 anos. Os candidatos não podem estar impedidos judicialmente de possuir a CNH e nem ter sofrido penalidades nos últimos 12 meses.

Estão sendo ofertadas 5 mil vagas, sendo 1,5 mil para a modalidade Estudante Habilitado e 3,5 mil para a modalidade Cidadão Habilitado. No caso do Estudante Habilitado, é necessário ter entre 18 e 25 anos e estar cursando ou já ter concluído os três anos do ensino médio em escola da rede pública de ensino, ou como bolsista integral em instituições privadas. Além disso, é preciso estar inscrito no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou ter participado da prova no ano anterior.

O Programa Habilitação Social (CNH Social) está com inscrições abertas até a próxima quarta-feira (25), por meio do site do Detran. A iniciativa concede a oportunidade para obtenção de Carteira de Habilitação gratuita a pessoas de baixa renda que vivem no Distrito Federal.

Para a outra modalidade, o candidato deve ter acima de 18 anos, saber ler e escrever e preencher os requisitos para o programa.

Os inscritos poderão solicitar a CNH nas categorias A ou B, a adição de categoria A ou B, a alteração para categorias C, D ou E, renovação ou troca de habilitação definitiva.

O Programa de Habilitação Social será executado em três fases: inscrição, seleção e processo de habilitação. Ao fim do prazo das inscrições, Sedes e Sejus, parceiras no programa, terão 60 dias para publicar os selecionados de cada órgão no sistema informatizado do Detran.

O resultado final poderá ser consultado individualmente no portal de serviços do Detran, em data e hora a serem divulgados.

*Com informações do Detran e da Secretaria de Justiça e Cidadania 

Créditos: Adriana Izel, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger I Foto: Jhonatan Vieira / Sejus DF

 

Cirurgias de cães e gatos começam nesta terça (24) e vão até 30 de junho

Saiu o resultado das inscrições para a 3ª Campanha de Castração de Cães e Gatos de 2022, organizada pelo Instituto Brasília Ambiental. O período de cirurgias vai desta terça (24) a 30 de junho, nas clínicas Coração Peludinho, no Gama, Dr. Juzo, em Samambaia, PedAdote, no Paranoá, e Animais Hospital Veterinário, em Ceilândia. A lista dos contemplados segue ordem alfabética.

A Unidade de Gestão de Fauna (Ufau) do Brasília Ambiental lembra que, para a cirurgia do animal, o tutor precisa apresentar um documento de identificação com foto e comprovante de residência do Distrito Federal no dia do atendimento. O não cumprimento desses requisitos impossibilitará o procedimento, e o tutor perderá a vaga, ficando impedido de se cadastrar novamente por 12 meses.

Em 2021, o Brasília Ambiental promoveu cinco campanhas de castração, entre essas uma somente para cadelas. Ao todo, 10.330 animais foram beneficiados com a cirurgia gratuita. Este ano, além da campanha atual, já houve outras duas, totalizando 9.660 vagas ofertadas até o momento.

Veja aqui o resultado do cadastro presencial, realizado no Gama.

Já o resultado do cadastro online pode ser conferido neste link.

Acompanhe também as orientações para a cirurgia do pet.

Confira, ainda, a lista de cadastros indeferidos nas inscrições presenciais e os que foram vetados nas inscrições online.

*Com informações do Brasília Ambiental

Créditos: Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Segundo a Secretaria de Saúde, com a chegada do tempo frio, a tendência é de menor proliferação do mosquito Aedes aegypti a partir de junho

O Distrito Federal recebeu 10 mil testes de dengue e deve receber mais 30 mil até o fim de maio. A informação foi passada pelo secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Pedro Zancanaro, durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (19).

Porém, o médico ressaltou que não é necessário um teste positivo para iniciar o tratamento nas unidades básicas de saúde (UBS), que estão preparadas para atender à demanda. “Em situação de muitos casos e quadro compatível, o diagnóstico é feito clinicamente”, explicou. “Não é como a covid-19, em que a testagem é fundamental para definir os próximos passos”, reforçou.

O secretário-adjunto também adiantou que o próximo Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti no Distrito Federal (Liraa), com dados de abril, deve apresentar uma melhora dos números de imóveis com larvas do mosquito. Com a chegada do tempo frio, “a tendência é de menor proliferação do mosquito a partir de junho”, disse.

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, lembrou que a população ainda precisa se manter engajada no combate ao Aedes aegypti, já que mais de 90% dos locais com presença de larvas e mosquitos são residências. Mesmo com as centenas de equipes de vigilância ambiental, da parceria com o Corpo de Bombeiros, com o Exército e com outras instituições, e do uso de 13 carros de fumacê, apenas com o engajamento dos moradores é possível impedir a expansão da dengue. “Só assim nós vamos vencer essa guerra”, resumiu.

Influenza

Durante a coletiva, o secretário de Saúde também alertou sobre a necessidade de adesão à campanha de vacinação contra influenza, atualmente restrita a públicos prioritários, que inclui idosos a partir dos 60 anos e crianças até 4 anos, 11 meses e 29 dias. “No fim do ano passado, tivemos um forte aumento de casos; queremos evitar que esse cenário se repita”, preveniu.

“A vacinação é o principal método para evitar o agravamento, principalmente nos grupos mais vulneráveis, como idosos e crianças”, salientou a gerente do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Distrito Federal (Cievs-DF), Priscilleyne Reis. Ela também informou que quem recebeu a vacina no fim do ano passado deve buscar a nova dose, uma vez que a campanha atual protege contra novas variantes do vírus.

Confira os locais de vacinação.

Cirurgias eletivas

O secretário de Saúde informou ainda sobre as forças-tarefas para realização de cirurgias eletivas nos hospitais da rede pública. O Hospital Regional da Asa Norte realizou, na semana passada, 35% de cirurgias a mais do que a sua produção regular. No Hospital Materno Infantil de Brasília, o índice atingido foi de 60%. “Isso nos deu um resultado de mais de 10% acima do normal em uma semana”, destacou o secretário. Ele adiantou que o planejamento é intensificar o trabalho nas próximas semanas.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Créditos: Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Tony Winston/Agência Saúde

Em entrevista ao CB Poder, secretário de Transporte e Mobilidade explica que, sem subsídio, a tarifa custaria em média R$ 10,00

O usuário do transporte público coletivo do DF paga, em média, menos da metade do custo real de uma passagem de ônibus. Sem o subsídio do GDF, uma obrigação legal estabelecida em contrato, o valor seria cerca de R$ 10,00. Os preços cobrados no DF ficam em torno de R$ 4,00, com direito a integração em até três embarques em sequência.

Em entrevista nesta quarta-feira (18) ao canal CB Poder, do Correio Braziliense, o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, afirmou que o modelo subsidiado mantém a tarifa acessível ao usuário.

O secretário explicou que, no Distrito Federal, o passageiro não paga o suficiente para cobrir o custo total do transporte coletivo. A remuneração do sistema vem da tarifa técnica, prevista nas concessões, que é igual ao custo do transporte de um passageiro. Uma parte desse custo é remunerada pelo usuário, por meio da passagem, e a outra parte é subsidiada pelo governo como forma de manter o equilíbrio econômico-financeiro do sistema.

“É o melhor modelo de contrato para o transporte coletivo, pois permite que o sistema continue operando mesmo em momentos de crise, sem sobrecarregar na tarifa que é paga pelo usuário”, afirmou.

Casimiro explicou ainda o impacto da pandemia no custo da tarifa técnica. Segundo ele, durante quase dois anos, o sistema foi mantido com 100% da frota em operação e com baixa demanda de passageiros. O número de pessoas transportadas chegou a cair em 2020. Isso fez com que o custo do sistema aumentasse e, por isso, houve aumento nos valores de repasse para as empresas. Com o fim da pandemia, esse movimento do custo do transporte público ocorre ao contrário.

“O sistema está operando novamente com a mesma quantidade de pessoas transportadas antes da pandemia. Com isso, a tarifa técnica vem caindo e vai continuar sendo reduzida até o final do ano. No próximo ano, sem esse impacto da pandemia, vamos voltar para um patamar de repasse menor, que era o que acontecia antes da pandemia”.

Sobre os preços das passagens, o secretário voltou a afirmar que não haverá aumento este ano. “O governador Ibaneis, preocupado com a crise econômica que veio com a pandemia, decidiu manter 100% da frota em funcionamento e não aumentar as passagens”, disse.

De acordo com o secretário, além de remunerar mais da metade da tarifa técnica, o GDF paga também o custo total do transporte de estudantes e pessoas com deficiência. As gratuidades representam cerca de 20% dos gastos com transporte público no DF.

Melhoria do sistema

O secretário Valter Casimiro explicou que o modelo de contratos de concessão do transporte público coletivo do DF mantém o equilíbrio econômico-financeiro do sistema. Segundo ele, os valores que o GDF repassa para as empresas são verbas orçamentárias previstas em lei para pagar a tarifa técnica e manter o funcionamento do transporte.

Além de garantir a circulação dos coletivos durante a pandemia com preços acessíveis, o GDF desenvolve uma série de ações para melhorar o sistema.

“Sabemos que a pandemia mudou o comportamento das pessoas, além do aumento dos combustíveis e outras questões que vão fazer com que muitos deixem o transporte individual e prefiram o transporte público. Temos de estar preparados para absorver essa demanda”, disse Casimiro.

Segundo o secretário, o GDF está trabalhando para realizar a nova licitação do transporte coletivo, e uma das medidas será aumentar a frota de coletivos. Outros projetos, como a ampliação do metrô e a implantação do VLT na W3, também serão importantes para melhorar a mobilidade e o transporte público no DF.

*Com informações da Semob

Créditos: Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I  Foto: Lucio Bernardo Jr./Agência Brasília

Governador foi o convidado-palestrante do encontro do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) nesta quarta-feira (18)

Em conversa com empresários do setor produtivo, secretários, dirigentes de empresas públicas e parlamentares, o governador Ibaneis Rocha reforçou que o principal compromisso de sua gestão está na questão social. “A responsabilidade social está à frente de tudo o que tocamos”, destacou o chefe do Executivo durante palestra no encontro do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), nesta quarta-feira (18), no Brasília Palace Hotel.

Fundado no Brasil em 2003 e presidido pelo empresário Paulo Octávio, o Lide é uma organização que reúne diversos setores com o objetivo de fortalecer a livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social. A fala do governador Ibaneis Rocha foi dirigida a esse público e levou em conta o trabalho do governo nas áreas social, da saúde, da educação, da segurança pública, da economia e da infraestrutura.

“A questão social é um tema importante e abrangente. Envolve quase tudo o que a gente faz no governo o tempo todo. E o que nós temos feito no governo é isso. A responsabilidade social está à frente de tudo o que tocamos”, garante Ibaneis Rocha.

Ainda nesse campo, o governador destacou que, nas três secretarias da área – Desenvolvimento Social, Mulher e Justiça e Cidadania –, foram nomeados quase 1,6 mil servidores, o que colaborou para a criação e o funcionamento de programas como os cartões Prato Cheio e Gás.

“Temos também o Cesta Verde, o DF Social, os 14 restaurantes comunitários funcionando, onde reduzimos o preço das refeições para R$ 1. E vamos ampliar para 21 restaurantes comunitários: temos dois em construção e vamos licitar os demais”, adiantou.

Já no âmbito das obras, Ibaneis lembrou que o DF tem 1,6 mil obras em andamento, que geraram mais de 40 mil empregos. “Essas obras têm ajudado muitas pessoas”, reforça.

Ibaneis Rocha citou as obras da W3 Sul e do Setor de Rádio e TV Sul para falar da renovação da cidade. Enumerou também viadutos em construção, como os da Epig, da ESPM, de Sobradinho, do Recanto das Emas/Riacho Fundo II, do Riacho Fundo e o do Jardim Botânico, sendo que este será licitado nas próximas semanas.

O Túnel de Taguatinga, maior obra do DF em andamento, também foi lembrado pelo chefe do Executivo, assim como a reforma e a manutenção de pontes, como a Costa e Silva, no Lago Sul.

Saúde, educação e segurança

O governador também listou as sete Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), as dez Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a expansão dos hospitais regionais de Ceilândia e de Samambaia como medidas do governo. “Foram mais de 10 mil profissionais na saúde nomeados”, lembrou.

“Na educação, avançamos muito. Temos mais de 2,8 mil nomeações e esse número vai avançar porque assinei mais nomeações hoje. Crescemos em 850% o número de salas de aula reformadas e ampliadas no DF, e também zeramos o cadastro de professores”, disse o governador ao citar algumas das ações no setor.

Na área de segurança pública, Ibaneis Rocha falou da redução dos índices de criminalidade, alguns hoje comparados aos de 40 anos atrás.

Anfitrião do evento, Paulo Octávio avalia que governo e setor produtivo estão atuando em conjunto e assim devem permanecer. “Não podemos nos dispersar. Governo e iniciativa privada devem ter o mote da responsabilidade social dentro do novo panorama mundial, onde o cidadão deve ser respeitado e priorizado, principalmente os mais necessitados. Sinto no DF essa sinergia entre governo e empresários para gerar mais e mais empregos. Temos que estar juntos”, destacou.

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

Com planejamento e estratégia, GDF tem tratamento e vacina de sobra; oferta de leitos públicos nunca foi zerada em dois anos de pandemia

O Distrito Federal foi a primeira unidade federativa do Brasil a reconhecer a pandemia da covid-19. Foi a pioneira, também, a decretar o isolamento social e a adotar políticas públicas emergenciais na contenção e combate ao vírus, seja na distribuição de mais de 2,2 milhões de máscaras, na contratação de leitos de UTI da rede particular ou na abertura de hospitais de campanha.

Com uma população estimada em 3.010.881 habitantes, de acordo com a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) 2021, da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), a capital do país mantém o estímulo da imunização da população, com vacinas de sobra – nunca faltaram em quase um ano e meio de campanha. A cobertura da primeira e da segunda dose alcança um percentual bem alto, o que não se repete nas etapas de reforço, por falta de procura por parte da população.

A vacinação contra a covid-19 no DF começou no dia 19 de janeiro de 2021. De lá para cá, foram recebidas 7.137.727 doses do imunizante – e aplicadas 6.216.243 até 16 de maio de 2022. Confira o vacinômetro. O planejamento estratégico e a liberação escalonada do imunizante por faixas etárias e grupos prioritários – obedecendo a destinação das doses de acordo com o previsto pelo Ministério da Saúde – fez com que ele nunca faltasse para quem estava previsto recebê-lo.

Para que a vacina chegue ao braço do brasiliense, existe um processo de logística comandado pelos servidores da Rede de Frio Central. “Nossa logística é ímpar. A vacina chega às 6h no centro de armazenamento e distribuição e às 10h já conseguimos abastecer mais de 160 postos”, explica o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

Autoridades de saúde do GDF são unânimes em lembrar que a pandemia não acabou e que, apesar da flexibilização das medidas sanitárias – por uma questão econômica –, a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda mantém o alerta pandêmico pelas características de contágio da doença. Completar o esquema vacinal, portanto, é imprescindível para o arrefecimento da proliferação do vírus.

“À medida que avançarmos na vacinação, reduzimos as internações e a média de mortes por dia, pois o vírus em uma pessoa imunizada tem muito menos força do que em alguém que não se vacinou”, alerta o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Fabiano Martins.

Carro da Vacina

Técnicos da Secretaria de Saúde apontam duas razões pelas quais as pessoas não cumprem seus ciclos imunizadores contra a covid-19: o viés ideológico ou a dificuldade de acesso e locomoção. A desinformação, neste caso, inexiste, em se tratando da pandemia. O GDF, então, decidiu levar a vacina a quem tinha dificuldade de ir até ela.

Em 8 de janeiro de 2022, o Carro da Vacina circulou pelas ruas do Sol Nascente. A proposta era levar o imunizante à população em situação de vulnerabilidade com ausência de equipamentos públicos e falta de infraestrutura – ou incapaz de arcar com o custo do deslocamento até uma delas. Eram ali, nos trechos 1, 2 e 3 no Pôr do Sol e nas áreas rurais de Brazlândia, os maiores bolsões de não vacinados registrados pela Secretaria de Saúde.

De lá pra cá, foram 11 edições em que uma van com um rotolight e um megafone saiu pelas ruas chamando as pessoas para se vacinarem. O resultado: 4.816 doses aplicadas – 1,2 mil só da primeira –, uma adesão considerada satisfatória para quem está na linha de frente desse atendimento.

“Acredito muito na busca ativa de pessoas não vacinadas”, defende a superintendente da Região de Saúde Oeste (Ceilândia, Sol Nascente, Pôr do Sol e Brazlândia), Lucilene Florêncio. “Sempre que o calendário de vacinação for ampliado, há necessidade de ir até essa população. E pode ter certeza de que nós iremos”, conclui.

Créditos: Hédio Ferreira Júnior, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo I Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Medida foi publicada no Diário Oficial do DF desta terça-feira (17); desde 2020 os serviços nos DVAs precisavam ser agendados, em decorrência das medidas de enfrentamento à pandemia de covid-19

A partir desta terça-feira (17), o atendimento ao público nos Depósitos de Veículos Apreendidos (DVAs) do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) passa a funcionar sem a necessidade de agendamento. De acordo com o diretor de Policiamento e Fiscalização de Trânsito, Glauber Peixoto, o objetivo é tornar o atendimento mais célere. “Essa medida trará mais agilidade para a liberação de veículos”, afirma Peixoto.

Desde 2020, em decorrência das medidas de enfrentamento à pandemia da covid-19, os serviços de atendimento ao público ofertados pelo Detran-DF passaram a ser agendados. O agendamento permanece obrigatório para a realização de outros serviços.

Contudo, conforme a Instrução nº 285, de 11 de maio de 2022, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) nesta terça-feira (17), os serviços prestados no Núcleo de Documentação (Protocolo) e nos DVAs não terão mais essa obrigatoriedade. O usuário interessado em realizar os procedimentos relativos à liberação de veículo recolhido pode ir diretamente ao depósito.

Depósitos do Detran-DF

DVA Asa Norte
Endereço: SGAN Quadra 907, Bloco T, Asa Norte.
Funcionamento: De segunda a sexta, das 8h às 17h.

DVA Taguatinga
Endereço: Setor de Indústrias Gráficas de Taguatinga AE 2, Taguatinga Norte.
Funcionamento: De segunda a sexta, das 7h às 18h.

DVA Gama
Endereço: Av. Contorno, Lote 3, Setor Norte, Gama.
Funcionamento: De segunda a sexta, das 7h às 18h.

*Com informações do Detran-DF

Créditos: Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger I 

Os espaços de convivência ajudam a combater o sedentarismo e surgem como boa opção de lazer para a comunidade, que dispõe de 742 PECs

A rotina da estudante Ingryd Vitoria Santos, 16 anos, não falha. Todos os dias, a moradora do Recanto das Emas sai de casa e caminha até o ponto de encontro comunitário (PEC) da Quadra 103. Costuma sentar em um dos bancos do espaço para relaxar ou bater papo com os amigos. “Gosto de passar o tempo aqui, está tudo bem cuidado e limpinho”, conta.

O Distrito Federal oferece 742 PECs para a população. Desse total, 200 foram instalados nos últimos três anos pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Cada um dos espaços de convivência é equipado com 10 aparelhos de ginástica, pergolado e bancos.

De 2019 para cá, a região administrativa que ganhou mais PECs foi o Recanto das Emas, com nove instalações novas. O administrador da cidade, Wanderley Eres de Deus, comemora a marca: “Nossos moradores usam bastante esses espaços de convivência. Esperamos que a comunidade inclusive ajude a conservar esses pontos”.

De acordo com a engenheira Lorrayne Rodrigues de Souza, da Diretoria de Edificações da Novacap, a ideia é que a comunidade possa usar o local como uma praça e não só para realizar atividades físicas. “Colocamos os PECs mediante solicitação das administrações regionais”, observa. “Após receber o pedido, nossa equipe faz um estudo técnico para checar a viabilidade da instalação”.

A engenheira explica que a área precisa ser plana e não pode ter interferência de redes da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) ou da Companhia Energética de Brasília (CEB). “Além disso, deve ser um local de fácil acesso à comunidade”, detalha Lorrayne.

Casos de vandalismo devem ser denunciados à própria administração regional da cidade ou às forças policiais locais. Além disso, a comunidade pode ajudar na preservação dos PECs mantendo os espaços limpos e usando os equipamentos de forma consciente.

Créditos: Carolina Caraballo, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo I Fotos: Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília

Em consequência dos efeitos da pandemia da covid-19, governo decide aumentar período de tempo de recebimento do benefício de segurança alimentar e nutricional, no valor de R$ 250 por parcela

A partir de agora, o Cartão Prato Cheio passa a ser concedido em nove parcelas de R$ 250. Anteriormente, eram apenas seis, mas o Governo do Distrito Federal (GDF) percebeu a necessidade de ampliação devido aos efeitos econômicos gerados pela pandemia da covid-19.

“Percebemos que as consequências da pandemia exigem mais que seis meses para tirar uma família da situação de insegurança alimentar”, afirma a secretária substituta de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra. As famílias beneficiárias do Prato Cheio, lembra a gestora, também recebem a Cesta Verde, com frutas, legumes e verduras, durante esse novo período estabelecido.

A ampliação na concessão do benefício foi publicada na edição desta quinta-feira (12) do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). “Trata-se de mais uma resposta rápida do governo para uma área tão sensível, a área social”, disse o governador Ibaneis Rocha em postagem feita nas redes sociais.

Atendimento

 

A porta de entrada para solicitação do cartão é uma das 29 unidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras), onde a pessoa com o Cadastro Único preenchido vai passar por atendimento socioassistencial. Atualmente, 35.240 famílias estão recebendo o benefício do Prato Cheio. Novas concessões, de acordo com o texto publicado nesta quinta-feira, dependem de disponibilidade orçamentária.

“Essa ampliação já entra em vigor imediatamente”, explica Ana Paula Marra. “Os beneficiários vão ter suas parcelas computadas de maneira que se completem as nove.”

Há ainda 4.707 famílias que não buscaram seus cartões nas agências do BRB. O prazo para a retirada e desbloqueio dos cartões é de dois meses contados a partir da sua disponibilização nas agências do banco, processo realizado entre 1º e 22 de abril. Para saber onde retirar o cartão, a pessoas deve acessar o aplicativo GDF Social ou este site.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

Créditos: Agência Brasília* | Edição: Chico Neto I Foto: Divulgação/Sedes

Às 5h40 começa a rotina das equipes que trabalham para garantir a pessoas de baixa renda ou em vulnerabilidade social uma alimentação segura e rica em nutrientes

Uma rotina do bem que começa cedo para garantir o pão e o almoço de milhares de pessoas no Distrito Federal. Assim tem sido o dia a dia nos 14 restaurantes comunitários espalhados por cidades como Ceilândia, Estrutural, Planaltina, Samambaia, São Sebastião, Paranoá e Brazlândia. O batente para quem tem que deixar tudo preparado para a primeira refeição diária, o café da manhã, começa às 5h40, com bandejas servidas às 6h40.

São pessoas de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social que têm à disposição refeições adequadas e saudáveis a preços acessíveis. O cardápio do desjejum do dia era pão com ovo, café com leite e uma fruta, no caso, mamão, ao custo módico de R$ 0,50.

“Sempre que posso, venho aqui. Hoje, por exemplo, não tinha nada para comer lá em casa; como fica perto, em 15 minutos estou aqui”, conta a aposentada Ana Pereira dos Santos, 60 anos, que ganha a vida como vendedora de roupa em brechós. “É uma ideia criativa para as pessoas de baixa renda. As coisas hoje em dia estão muito caras”, pondera.

Alunos do Centro de Ensino Médio 2, que fica quase calçada com calçada com o Restaurante Comunitário de Brazlândia, na Quadra 36 da Vila São José, aproveitam as vantagens do espaço. “É bem acessível para muita gente; para nós é legal não apenas por ser perto da escola, mas pelo preço também”, observa a estudante, Thynan Dantas, 17 anos, que forrava o estômago com um honesto café antes de ir para a escola. “É um serviço para toda a sociedade, não apenas para quem precisa”, comenta o colega João Pedro Gurgel, 16 anos.

Enquanto cerca de 150 pessoas fazem o desjejum pela manhã no hall do restaurante, na cozinha, cozinheiras e ajudantes esforçados se revezam desde as primeiras horas do dia para preparar o almoço do dia. No forno industrial, 16 bandejas gigantes assam desde as 7h a carne do dia, coxa e sobrecoxa, peça que irá acompanhar o arroz com açafrão e feijão carioca, ambos preparados em enormes panelas de pressão. Noutra parte da área, um grupo de três ajudantes preparam salada e guarnições, como chuchu com milho e cheiro verde.

“O decreto (nº 40.854, de 5 de junho de 2020) estabelece somente a gratuidade do almoço para as pessoas em situação de rua, mediante comprovação. E como é feita essa comprovação? Se cadastrando no Centro de Referência de Assistência Social (Cras). Com o nome registrado no sistema, fazemos esse controle”, explica o gerente do Restaurante Comunitário de Brazlândia, Sidon Francisco.

“A política de segurança alimentar e nutricional, juntamente com a política de assistência social, garantem o direito da população a esse serviço, permitindo que famílias e pessoas em situação de rua tenham como se alimentar. É uma diferença incrível que faz na vida dessas pessoas”, defende a assistente social da Sedes Kariny Alves.

Qualidade nutricional

 

O desafio é definir uma alimentação de qualidade, com produtos seguros e ricos em nutrientes. É o que explica Thaynara Alves de Sousa Nogueira, nutricionista da Sedes. Ela integra o grupo de profissionais da área recém-nomeados pela atual gestão. Agora, cada um dos 14 restaurantes comunitários do GDF conta com uma nutricionista.

“O cardápio tem que garantir alimentação de qualidade para a população em situação de vulnerabilidade, que seja uma alimentação segura e também benéfica”, defende a nutricionista. “Nos preocupamos muito com a qualidade nutricional, sempre pensamos numa opção mais saudável. Por exemplo, geralmente deixamos mais fruta na sobremesa do que doce porque é mais saudável”, detalha.

Para garantir a segurança dos alimentos, os servidores dos restaurantes comunitários do DF obedecem a regras e protocolos de higiene rigorosos. Além do avental, o uso de máscaras e toucas é obrigatório. Em atividades nas quais não é necessário o uso de luva, recomenda-se a higienização das mãos constantemente. Já a limpeza das mesas em que os comensais se alimentam é feita logo que cada um deles termina sua refeição.

“E acabou a parte do café da manhã, a gente faz a limpeza geral do ambiente para deixar tudo pronto para o pessoal do almoço”, informa Sidon.

Pouco antes das 11h, quando o almoço começa a ser servido para a comunidade, filas começam a crescer no Restaurante Comunitário de Brazlândia. Não é sempre que frequenta o espaço, mas, quando vai, o pedreiro aposentado Edson Jorge Filho se esbalda com as duas marmitas que prepara para levar para casa. “Não tenho o que reclamar, é uma ajuda muito grande que o governo dá para as pessoas mais carentes”, agradece. “Você vai numa padaria, paga R$ 10 e ainda sai com fome. Aqui você vem com R$ 1 e vai embora de barriga cheia”, diz.

Créditos: Lúcio Flávio, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Fotos: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

Expansão do serviço deve-se à contratação de 22 cooperativas de materiais recicláveis, num investimento de aproximadamente R$ 12,6 milhões

A partir de segunda-feira (16), praticamente todo o Distrito Federal passará a contar com a coleta seletiva porta a porta – recolhimento de materiais recicláveis (papel, plástico, metal) que não devem ser misturados ao lixo comum. De acordo com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), serão atendidas 32 regiões administrativas subdivididas em 23 áreas. Neste momento, apenas o Sol Nascente/Pôr do Sol ficará de fora do crescimento do atendimento.

A extensão do trabalho ocorre em função do contrato de mais 11 cooperativas de materiais recicláveis, totalizando 22, que se somam às empresas do pregão de prestação de serviço de limpeza urbana no serviço. O investimento é de aproximadamente R$ 12,6 milhões e vai beneficiar mais de 1,4 mil catadores do DF.

A grande novidade é a inclusão de áreas que não faziam parte da coleta seletiva porta a porta. A exemplo dos condomínios horizontais no Jardim Botânico, Paranoá, Sobradinho e Park Way; e as regiões de Arniqueira, SCIA/Estrutural e Jardins Mangueiral. Também será feita a ampliação total do atendimento na Colônia Agrícola Samambaia, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), na Fercal e em Brazlândia.

“Na verdade, vamos ter uma ampliação das áreas com o porta a porta. Esperamos que a comunidade participe, separando o lixo. A população tem, no mínimo, três ganhos com esse serviço: ambiental, geração de renda para catadores e mitigação do aterro sanitário”, destaca o assessor especial da Diretoria Técnica do SLU, Francisco Mendes. “Ainda temos um número absurdo de lixo que vai misturado com a coleta, o que reduz a vida útil do nosso aterro”, classifica.

Com a incorporação das novas cooperativas, o SLU espera ter melhores resultados. O aproveitamento do material reciclável recolhido pelas cooperativas costuma ser de 87%, frente a 42% dos recolhidos pelas empresas prestadoras de serviço.

A outra expectativa é engajar a população na separação do lixo. “Teremos uma interação mais humana e participativa. Espero uma sensibilização, porque a população vai saber que aquele resíduo vai para um catador, o que quer dizer rendimento para famílias”, avalia Mendes.

Para incentivar a separação do lixo, o SLU promove a campanha Cartão Verde, em que o órgão orienta os condôminos sobre a coleta seletiva e aplica cartões de acordo com o resultado. Cartão vermelho define os lixos muito misturados; o cartão amarelo trata de resíduos ainda misturados, e o cartão verde é dado para condomínios onde a separação é bem-feita. Os garis avaliam a qualidade uma vez por semana e aplicam os cartões três vezes. O propósito é mostrar a importância da coleta seletiva dentro de casa.

Resíduos recicláveis que devem ser separados para coleta seletiva (coloque tudo em um saco separado – verde ou azul)

Papel e papelão
– Jornais, revistas, impressos em geral;
– Papel de fax;
– Embalagens longa-vida. Desmanchar caixas de papelão e evitar dobrar ou amassar os papéis.

Plásticos
– Garrafas, embalagens de produtos de limpeza;
– Potes de creme, xampu, condicionador;
– Tubos e canos;
– Brinquedos;
– Sacos, sacolas e saquinhos de leite;
– Isopor. Limpe rapidamente as embalagens de plástico.

Metais
– Molas e latas;
– Latinhas de cerveja e refrigerante;
– Esquadrias e molduras de quadros.

Créditos: Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Rosualdo Rodrigues I Fotos: Divulgação/SLU

Com os canais digitais disponibilizados pelos órgãos do governo, é possível acompanhar de perto os trabalhos direcionados à população

O acesso a serviços públicos na palma da mão é uma necessidade nos dias de hoje. E, no Distrito Federal, essa transformação digital vem crescendo nos últimos três anos. Aplicativos para telefone celular oferecidos por órgãos de governo têm poupado tempo dos cidadãos e ampliado o relacionamento com a comunidade. Além do e-GDF – que reúne uma série de serviços em uma única plataforma –, órgãos como Caesb, Detran, Codhab, SLU e Polícia Civil, entre outros, criaram apps para atendimento online.

O acesso a serviços públicos na palma da mão é uma necessidade nos dias de hoje. E, no Distrito Federal, essa transformação digital vem crescendo nos últimos três anos. Aplicativos para telefone celular oferecidos por órgãos de governo têm poupado tempo dos cidadãos e ampliado o relacionamento com a comunidade. Além do e-GDF – que reúne uma série de serviços em uma única plataforma –, órgãos como Caesb, Detran, Codhab, SLU e Polícia Civil, entre outros, criaram apps para atendimento online.

Ao longo de dois anos de pandemia do coronavírus, com a necessidade do isolamento social, esses apps se tornaram essenciais. E têm como diferencial a praticidade.  “Os aplicativos do GDF são uma forma de tornar os serviços mais seguros e acessíveis a toda a população”, avalia o secretário de Economia, Itamar Feitosa. “Deixam mais fácil a vida das pessoas ao oferecerem serviços e informações rapidamente, o que antes demandava tempo e deslocamento”.

São muitas as funcionalidades. Notas fiscais eletrônicas emitidas na capital federal e emissão de boleto bancário (DAR) podem ser acessadas no Economia DF, aplicativo criado pela Secretaria de Economia (Seec). O Codhab Cidadão, por sua vez, oferece ao beneficiário acompanhamento da pontuação nos programas habitacionais e atualização do cadastro.

Já o Metrô DF e o Detran Digital trazem informações sobre o transporte e a situação de veículos e condutores, respectivamente. O Ilumina DF, da Companhia Energética de Brasília (CEB), é um canal onde o morador reporta problemas de iluminação na cidade. Por sua vez, com o e-identidade, a PCDF oferece o serviço de emissão de segunda via de Carteira de Identidade. O cidadão só precisa deixar sua casa para buscar o documento.

Autoatendimento na Caesb

 

Na Caesb, serviços que normalmente levavam o cidadão até uma agência de atendimento podem ser executados, atualmente, pelo aplicativo da companhia. Lá, o consumidor consulta e emite a segunda via de conta, altera a titularidade e a data de vencimento, além de poder informar vazamento de água ou esgoto na rua. São 20 serviços disponibilizados na palma da mão.

O aviso de falta d’água também está disponível e é um dos campos mais acessados. “O atendimento digital é uma demanda cada vez maior da sociedade; e, na pandemia, pudemos perceber uma maior adesão da população”, afirma o gerente de Desenvolvimento de Sistemas da Caesb, Cesar Augusto Fonseca. “Com os escritórios fechados devido às restrições sanitárias, as pessoas passaram a instalar cada vez mais o aplicativo e não deixaram mais”. Já são mais de 100 mil downloads do aplicativo.

“Lá vem o caminhão do lixo”

O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) também inovou, há cerca de um ano, lançando a ferramenta SLU – Coleta DF, por meio da qual os moradores podem saber o dia e o horário das coletas convencional e seletiva em sua região. E vai além: o deslocamento do caminhão pode ser acompanhado por um mapa online, permitindo ao morador saber se o veículo está chegando à sua região.

“É uma facilidade saber exatamente onde está o caminhão, que ele está próximo à porta da casa do cidadão, até mesmo para as pessoas se organizarem e colocarem os seus resíduos fora neste momento”, ressalta o chefe da Unidade de Tecnologia do SLU, Leandro Carvalho.  São 5 mil downloads do app, que pode ser habilitado para enviar notificações ao usuário avisando o dia da coleta em sua cidade.

O aplicativo ainda tem uma aba para quem quiser sugerir os locais de instalação de novas lixeiras no DF, as chamadas papeleiras. No link “Onde precisa de lixeirinha”, o usuário pode apontar a necessidade em sua região. “O SLU instalou, no último ano, 16 mil papeleiras a partir de sugestões de cidadãos”, relata Carvalho.  Todas as ferramentas podem ser baixadas gratuitamente tanto no sistema Android quanto no iOS, usado pela Apple.

Créditos: Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Mais de 96% dos focos de transmissão do mosquito transmissor da doença estão dentro de casa; engajamento da população na campanha é fundamental

Os dados são alarmantes. Mais de 96% dos focos de doenças epidêmicas como dengue, chikungunya, zika e febre amarela estão dentro de casa. Por isso, todo cuidado é pouco. O perigo de contaminação pode estar ao lado, mais perto do que se imagina. Assim, o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor dessas enfermidades, é um dever de todos. E o GDF tem feito sua parte.

Atualmente, mais de 1,2 mil agentes da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) – ligada à Subsecretaria de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde (SES) – estão nas ruas das 33 regiões administrativas, fazendo visitas domiciliares, levantamento de índices de inspeção (controle da presença de recipientes com larvas transmissíveis) e borrifação, com o uso de mais de 20 caminhonetes UBV, veículos adaptados com bombas pulverizadoras de inseticida contra o Aedes aegypti.

“Ampliamos nossa capacidade de visitas domiciliares e cobertura com o fumacê, melhorando, e muito, o atendimento à população com as instalações das tendas nos hospitais”, comenta o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero. “E por que fazemos isso? Para que o indivíduo que chegue com sinais e sintomas seja imediatamente tratado para não evoluir para um quadro mais grave.”

Contudo, de nada adiantam todas essas medidas de prevenção contra a dengue sem a participação ativa da população. Daí a importância de seguir à risca as recomendações e dicas no combate ao mosquito. “O povo esclarecido é a melhor ferramenta”, lembra o subsecretário. “É imperativo que a gente faça um trabalho de saúde pública com todo mundo, inclusive com o público, com a participação da sociedade”.

Sempre é bom lembrar: nada de pneus, vasilhames ou qualquer tipo de recipientes com água nos quintais, que são verdadeiras maternidades para o Aedes aegypti. Para se ter ideia do risco, um mosquito fêmea grávida desova 350 ovos por vez. “O mosquito desova tanto numa caixa-d’água quanto numa tampa de garrafa”, alerta Divino Valero. “Hoje o mosquito desova até em fossa asséptica”.

Dicas importantes

→ Nas residências horizontais, como casas, é importante observar o quintal para que não haja nenhum tipo de recipiente com água parada;

→ Cantinhos escuros, como salas de TV e quartos, são visados pelos mosquitos, que sofrem de fotofobia – têm sensibilidade à luz – e buscam esses lugares para se esconder. O ideal é arejar o ambiente, abrindo janelas e cortinas;

→ Também é recomendável pulverizar repelentes no ar, além de bater toalhas atrás de móveis e cortinas, deixando que a luz tome conta do espaço;

→ Em casas acortinadas, é aconselhável, todas as manhãs, abrir as cortinas para deixar a luz solar entrar;

→ Se você mora em apartamento, a primeira coisa a fazer é observar, junto ao zelador e o síndico, todos os espaços que podem servir de criadouros do mosquito da dengue – fosso do elevador, área de jardim, pérgulas. Não deixe que águas fiquem empoçadas após lavar calçadas e pisos, e nada de plantas aquáticas;

→ Se você mora em chácara, fique atento às cisternas e fossas e observe todo o terreno baldio, verificando se não há lixo que acumule água;

→ Quem tem fossa asséptica deve tampar com uma tela a boca do cano, evitando que os mosquitos se reproduzam no local;

→Informe às inspetorias de saúde de cada região administrativa sobre vizinhos que tenham abandonado a casa, ou estejam viajando, e tenham deixado sem os devidos cuidados espaços como piscinas, lotes e jardins;

→ Em caso de sintomas como febre, dores abdominais ou dores atrás dos olhos, o recomendável é procurar, imediatamente, qualquer unidade básica de saúde (UBS).

Créditos: Lúcio Flávio, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Documento reúne 121 unidades imobiliárias que serão beneficiadas por legitimação fundiária

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF) divulga, nesta quinta-feira (5), a relação de 121 unidades imobiliárias, em Samambaia, que se encontram habilitadas para regularização.

A habilitação por legitimação fundiária contempla os moradores que foram convocados pela Codhab, entregaram a documentação necessária e, após análise, se tornaram aptos a participar do procedimento de regularização.

Para acessar a listagem com os nomes dos habilitados, os interessados devem entrar  no Portal da Codhab  e acessar link “Regularização – Andamento da Localidade – RA12- Samambaia – Etapa V”I. Para acesso direto, clique aqui.

Os habilitados para a regularização devem aguardar nova publicação com orientações referentes à entrega das escrituras.

*Com informações da Codhab

Créditos: Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger I 

Mais R$ 7,8 milhões serão investidos na alimentação de famílias carentes

Cerca de 40 mil famílias são beneficiadas todos os meses com o cartão Prato Cheio, um benefício de R$ 250. Ainda assim, com o recrudescimento da crise econômica, há a necessidade de socorrer mais pessoas com as necessidades básicas. O GDF abriu edital para a compra de 30.960 cestas básicas para atender casos urgentes de insegurança alimentar pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

O edital prevê R$ 7,8 milhões destinados para a aquisição anual dessas cestas. “A cesta emergencial é uma medida alternativa para suprir essa demanda. Mas é preciso sempre enfatizar que o Prato Cheio, um dos principais programas criados por esta gestão, de fato é o responsável por garantir a segurança alimentar das famílias”, destaca a assistente social da Sedes Kariny Alves.

A especialista alerta que não há entrega de cesta nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), porém são nessas unidades que ocorrem as solicitações. “É sempre fundamental enfatizar que os Cras não doam ou fazem entrega de cesta básica. Se algum dia chegar uma mensagem assim no celular é fake news, ou melhor, mentira.”

Empresas interessadas em participar do certame têm até 16 de maio para submeterem propostas. O edital com todas as informações está disponível no site da Sedes.

Absorvente feminino

Começou a valer neste ano a medida que incluiu os absorventes femininos na cesta básica de alimentos. Atendendo à norma, o GDF tratou de acrescentar o produto neste novo edital.

“Muitas cidadãs em situação de vulnerabilidade não têm acesso a esse produto devido ao custo, muito conhecido como pobreza menstrual”, analisa Kariny Alves. “Com essa nova contratação, mais que cumprir uma lei, o GDF dá dignidade a essas mulheres”, finaliza.

Além do absorvente, a cesta emergencial tem arroz, açúcar, feijão carioca, feijão preto, macarrão, farinha de mandioca, farinha de milho, polvilho doce, óleo de soja, carne bovina, sardinha, sal, café, leite e papel higiênico.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

Créditos: Agência Brasília | Edição: Débora Cronemberger I Foto: Vinicius de Melo/Agência Brasília

Edital da Seagri com duas licitações, para reformas no Rodeador, em Brazlândia, e em outras regiões do DF, vai beneficiar cerca de 300 propriedades

A Secretaria da Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF) lançou duas licitações envolvendo os projetos de recuperação dos canais de irrigação do Distrito Federal. A primeira licitação tem como objeto a contratação de uma empresa terceirizada para a realização da obra de recuperação do Canal do Rodeador, em Brazlândia. A segunda é dirigida à aquisição de materiais necessários para as obras nos diversos canais, como tubos corrugados de PEAD ou PVC.

A Seagri-DF iniciou os projetos de revitalização em 2013 e, até hoje, já foram recuperados 91 quilômetros, somando todas as obras em canais. “Em canais menores, conseguimos realizar as obras com os recursos da Secretaria e dos produtores locais, mas esse não foi o caso agora”. É o que afirma Edivan Ribeiro, assessor técnico da Seagri lotado na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Por ser uma obra considerada de alta complexidade, se fez necessária a abertura de licitação para que empresas terceirizadas pudessem se candidatar ao trabalho.

O Canal do Rodeador possui 32 quilômetros de extensão e a obra prevê a recuperação de 6,4 km do canal principal e 5,4 km de ramais, totalizando 11,8 quilômetros de revitalizações. As obras têm orçamento previsto em aproximadamente R$ 6,7 milhões e beneficiarão 95 propriedades rurais. “Nós vamos possibilitar a essas propriedades, só com a colocação dos tubos de polietileno ou de PVC, um aumento de 50% no fornecimento de água”, afirmou Odilon Vieira, subsecretário de Desenvolvimento Rural da Seagri-DF.

A segunda licitação prevê um valor estimado em pouco mais R$ 4,4 milhões para a aquisição dos materiais para as obras nos canais. “São tubos de uma vida útil muito longa, além de leves e muito fáceis de trabalhar. Isso facilita na hora de realizar as instalações”, frisou Edivan Ribeiro.

A previsão é de que sejam adquiridos 40 quilômetros de tubulações, que atenderão nove canais em diferentes regiões do DF, beneficiando 200 propriedades rurais. Odilon Vieira destaca também a segurança hídrica proporcionada ao produtor. “Antigamente, chegava essa época seca em Brasília e o produtor não tinha certeza se o canal que estava utilizando ia ter a mesma vazão até o final das chuvas. Com o canal aberto, há a possibilidade de perda de água por evaporação e por infiltração. Então, no começo do canal há um volume de água e, no final, já não é mais a mesma quantidade”, afirma o subsecretário.

“Agora, com todo esse trabalho do Sistema Agricultura, o que tiver no começo do canal vai estar lá no final da mesma forma, e isso também ajuda a organizar a distribuição da água para todos os produtores que a utilizam, proporcionando mais tranquilidade”, completa Odilon Vieira.

As ações de reforma dos canais, cujo edital na modalidade de pregão eletrônico foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de quarta-feira (27), são uma parceria entre a Seagri-DF, a Emater-DF, a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) e a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). “A revitalização do canal é só o final de um processo feito pelo Sistema Agricultura, que começa com a preservação de nascentes, revegetação de áreas e conservação de estradas, que quando mal feitas, podem carregar argila e outros materiais até os mananciais”, finaliza o subsecretário da Seagri-DF.

Créditos: Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Aparelhos são comprados ou fabricados pela Oficina Ortopédica e distribuídos pelo Núcleo de Atendimento Ambulatorial

O Distrito Federal entregou 4.835 órteses e próteses no ano passado, 44% a mais do que em 2020, quando foram distribuídos 3.239 aparelhos. Neste ano, já foram distribuídos 930 equipamentos, pelo Núcleo de Produção de Órteses e Próteses (Nupop) do Distrito Federal, também conhecido como Oficina Ortopédica, e pelo Núcleo de Atendimento Ambulatorial de Órteses e Próteses e Materiais Especiais (NAOPME). As duas unidades são vinculadas à Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde (Sais) e responsáveis pela avaliação, acompanhamento e encaminhamento de pacientes para confecção de órteses e próteses ambulatoriais.

Em todo o ano passado, foram entregues 209 órteses para membros inferiores e superiores e 479 próteses mamárias, para membros inferiores e superiores. Além disso, foram distribuídas 1.223 cadeiras de banho, disponíveis em quatro modelos; 1.078 cadeiras de roda, em 8 modelos conforme as características do usuário; 1.001 palmilhas ortopédicas; e 422 calçados especiais. A lista é composta ainda por almofadas terapêuticas, andadores, bengalas, coletes ortopédicos e muletas.

A chefe do Núcleo de Órteses e Próteses, Maria Fernanda Baciuk, explica que o objetivo de cada um dos aparelhos é atender às necessidades dos pacientes. “A Oficina Ortopédica devolve aos pacientes, principalmente aqueles com deficiência, as funcionalidades do corpo, a independência. Muitos conseguem voltar ao mercado de trabalho, por meio de uma protetização, conseguem viver mais”, alega.

Os aparelhos ortopédicos são adquiridos por meio de licitação com base na tabela de preços do Ministério da Saúde. “Nós pedimos os aparelhos conforme a demanda. A empresa envia os equipamentos que não precisam de molde, como as cadeiras, e logo os entregamos. Para os que precisam dos moldes, nós convocamos os pacientes para tirar as medidas com a empresa e ela tem até 60 dias para entregar as órteses e 90 para as próteses”, informa Maria Fernanda.

No caso da órtese para membro superior, o processo é diferente. Quem tira as medidas dos pacientes é a própria Oficina Ortopédica. O terapeuta ocupacional Ricardo Alcântara explica: “Nós importamos por licitação uma placa termomoldável, que permite que a gente faça a órtese e entregue para o paciente, no mesmo dia, em até uma hora. Serve para corrigir lesões na mão, braço e punho, com a imobilização da área”, explica. Em 2021, foram produzidas 200 unidades do aparelho.

A Oficina também ajusta equipamentos entregues pela unidade em um maquinário próprio. Para isso, o produto deve estar fora do prazo de garantia. “Às vezes, é uma rodinha da cadeira que emperrou, alguma coisa que se descolou. O paciente vem com o aparelho, a gente conserta e ele volta pra casa com tudo certo”, explica Maria Fernanda. Em 2021, 232 próteses e órteses passaram por reforma.

Próxima entrega

A partir da próxima semana, serão entregues 365 órteses para membros inferiores – em média 40 pacientes por dia, de segunda a sexta-feira, até que todos os aparelhos sejam distribuídos. “Estávamos há sete anos sem entregar essas próteses e, até o final da ata, vamos distribuir mais de 1.300”, explica a chefe da Oficina Ortopédica. “Hoje estamos na melhor situação da oficina nos últimos quatro anos, em que os pacientes são atendidos com zelo, e não há entraves aos processos”, completa a profissional.

Nesta quarta-feira (27), uma família indígena, da etnia Kamayurá, recebeu uma cadeira para banho e uma de rodas para um homem tetraplégico. A tia do paciente, que atua como cuidadora dele e que preferiu não se identificar, por segurança, diz que os aparelhos representam melhorias na vida de toda a família. “As minhas costas doíam muito ao dar banho nele, porque a outra cadeira que temos é muito baixa. Outra tia, que me ajuda a cuidar dele, também reclamava disso. Agora vai ser tudo mais fácil. Também vamos poder levar ele pra passear, dar uma voltinha na rua”, afirma.

Atendimento

 

Para receber alguma órtese, prótese ou demais itens ortopédicos, o paciente ou o responsável precisa ser atendido pela Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), para que haja a emissão de um pedido do aparelho. Com o pedido em mãos, a pessoa deve agendar uma avaliação com fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional pelo site agenda.df.gov.df ou pelo telefone 2017-1145, ramal 1164. O encontro será no NAOPME, que fica na Estação do Metrô da 114 Sul.

Após a avaliação, o paciente deve aguardar a convocação para o recebimento do aparelho. O contato ocorre por telefone, por isso é importante manter o cadastro atualizado. O fornecimento é realizado por ordem de inscrição e está condicionado à disponibilidade do material em estoque.

Maiores informações podem ser obtidas pelo site da Secretaria de Saúde (https://www.saude.df.gov.br/ortese-e-protese) ou pelos telefones:
– Núcleo de Produção de Órteses e Próteses (NUPOP) – Oficina Ortopédica
Endereço: SGAP, Bloco G, Lote 06, SIA, Parque de Apoio da Secretaria de Saúde do Distrito Federal
Telefone: (61) 2017-1145 ramal: 1129

– Núcleo de Atendimento Ambulatorial de Órteses e Próteses e Materiais Especiais (NAOPME)
Endereço: Estação do Metrô da 114 Sul, Praça do Cidadão
Telefone: (61) 2017-1145 ramal: 1164

Créditos: Carolina Loiola, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Renato Araújo / Agência Brasília

Paredes laterais, lamelas, paredes diafragmas. A estrutura mais complexa da passagem subterrânea tem três nomes e duas funções: sustentar e conter a maior obra viária do país

Imagine abrir uma passagem subterrânea de quase 1 km no centro de uma cidade. Fazer escavações com até 20 metros de profundidade sem afetar as edificações vizinhas. Lidar com riscos de desmoronamento próprios de um terreno argiloso. A construção das lamelas do Túnel de Taguatinga envolveu tantos desafios que ganhou o título de fase mais complexa da obra.

Concluída em fevereiro, a etapa consumiu 18 meses de trabalho e 65.000 m² de concreto. Segundo o subsecretário de Fiscalização e Acompanhamento de Obras, Ricardo Terenzi, 350 trabalhadores se dedicaram exclusivamente às paredes diafragmas do túnel. Essas estruturas multifuncionais fazem tanto o papel de fundação quanto de contenção da obra.

“Eram armadores, equipe de concretagem, profissionais de escavação, muitos profissionais envolvidos nesta que é uma das fases mais importantes da construção”, detalha Terenzi. “As lamelas vêm antes de tudo. Depois de prontas, lançamos a laje em cima para travar essas estruturas, e só então começamos a abrir o túnel.”

As escavações feitas para receber as paredes diafragmas atingiram mais de 20 m em alguns pontos, de acordo com o secretário de Obras, Luciano Carvalho. “Não usamos uma perfuratriz convencional. Lançamos mão de uma tecnologia diferenciada, que não é vista em nenhuma outra obra do Distrito Federal”, destaca.

Carvalho se refere à utilização de um clamshell, equipamento de escavação que se assemelha à boca de um jacaré. O maquinário é preso a um guindaste com capacidade para erguer aproximadamente 70 toneladas. Enquanto escava, lança um polímero no solo – a mistura química estabiliza o terreno e evita risco de desmoronamento.

A porção média do túnel conta com três paredes diafragmas: duas externas e uma central que separa as duas pistas. Nas áreas de emboque e desemboque, ou seja, na entrada e na saída da passagem subterrânea, são quatro. Cerca de 70% da construção do Túnel de Taguatinga já está concluída.

Créditos: Carolina Caraballo, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Divulgação/Secretaria de Obras

Texto foi simplificado, corrigido e adequado para trazer mais segurança jurídica ao setor produtivo

O governador Ibaneis Rocha sancionou, nesta quinta-feira (28), a revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos). De autoria do Poder Executivo, o texto atualiza a Lei Complementar nº 948/2019, traz mais segurança jurídica à legislação urbanística do Distrito Federal e incentiva o desenvolvimento econômico, além de fortalecer a regularização fundiária e combater a ilegalidade.

A Luos impacta diretamente a vida do cidadão e do setor produtivo. É o instrumento que define, entre outras determinações, onde pode haver residências, comércio e equipamentos públicos. Essa lei, contudo, não se aplica à área tombada de Brasília, regida pelo Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCub).

A revisão foi elaborada pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh). A pasta fez ajustes técnicos e corrigiu imprecisões na lei em vigor, identificadas ao longo de um ano de trabalho. As mudanças também buscam tornar o ambiente de negócios mais favorável aos investimentos do setor produtivo.

“Talvez eu seja o único governador que sancionou duas Luos no mesmo mandato”, declarou o governador Ibaneis Rocha, durante a cerimônia de assinatura da revisão da Luos. “Temos que olhar para o DF olhando para o futuro. Se não construirmos esses bairros, não tivermos um olhar para moradias regularizadas e bairros urbanizados, vamos continuar vivendo a lógica das invasões no Distrito Federal, onde primeiro a população vai à frente, invade, e depois o governo vem atrás e regulariza. A partir dessa legislação aprovada hoje, podemos pensar em novos bairros para o DF, pensar em regularização fundiária de áreas que hoje caminham na ilegalidade. É fazer do presente um olhar para o futuro.”

Reforço na dinâmica urbana

Segundo a Seduh, a revisão resolve problemas identificados desde a aprovação da lei em 2019, contribuindo com a dinâmica urbana, reforçando a utilização da infraestrutura implantada e aumentando a oferta de empregos. “[A revisão da Luos] vem destravar uma série de situações, de pequenos comércios a grandes empresas, e também na área de projetos imobiliários, empreendimentos como o novo Setor Habitacional do Jóquei, que dependiam dessa revisão para que pudessem sair do papel”, detalhou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira.

O Setor Habitacional Jóquei Clube mencionado pelo secretário ocupa uma área de 252 hectares em frente a Vicente Pires, entre a Estrada Parque Taguatinga e Guará (EPTG) e a Estrutural. A previsão é que até 52 mil moradores possam ocupar os 17,5 mil apartamentos previstos para serem construídos na região, gerando milhares de empregos.

Presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido da Costa Freire aponta a segurança jurídica como o grande marco da revisão da lei, o que deve destravar a emissão de licenças e gerar emprego, renda e a abertura de empresas. “Acreditamos que 10 mil empresas devem ser destravadas e mais 10 mil devem surgir com a regularização dessas áreas, totalizando 20 mil empresas”, adiantou. “A insegurança estava fazendo com que os empresários se retraíssem. Essa sanção destrava as licenças de funcionamento”.

Representante da construção civil, o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon-DF), Dionyzio Klavdianos, lembrou que a revisão chega em boa hora: “É um marco, um golpe na ilegalidade. Essa talvez seja a principal luta de um governante hoje em Brasília – evitar que quem não respeita a lei tome conta das terras do DF. São ações como essa que vão poder contribuir para que isso pare de acontecer ou minimize o impacto”.

Principais alterações efetuadas na Luos:

* Simplificação do texto, esclarecimentos e definições de termos e conceitos imprecisos;
* Correção de erros e imprecisões identificadas quanto aos usos e parâmetros urbanísticos;
* Mais coerência na aplicação da legislação urbanística, propiciando maior eficácia na fiscalização da ocupação do solo;
* Adequação às normas vigentes, como o Código de Obras e a Lei de Remembramento e Desdobro;
* Reorganização de mapas e planilhas para contemplar os novos limites das regiões administrativas definidas na Lei Complementar 958, de 20 de dezembro de 2019.

Histórico

O texto original da Luos foi aprovado em novembro de 2020, por unanimidade, pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan), e enviado pelo Executivo à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) em dezembro do mesmo ano. Em março de 2022, a Casa votou a favor do projeto, também por unanimidade.

Entre as alterações no texto original promovidas pelos deputados, uma das principais foi a retirada da ampliação de atividades que os profissionais liberais moradores do Park Way, Lago Sul e Lago Norte poderiam exercer dentro das suas residências.

A revisão da Luos é fruto de um diálogo técnico de anos, promovido pela Seduh com várias entidades da sociedade da área econômica, como indústria, comércio, construção civil e mercado imobiliário, setor de serviços, agricultura e pecuária.

O projeto foi discutido em cerca de 180 reuniões nas regiões administrativas, em audiência pública e em 13 reuniões na Câmara Técnica da Luos. Também contou com o apoio de várias entidades de classes e do setor produtivo, a exemplo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF) e da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF).

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília* | Edição: Chico Neto I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

Serão retiradas do local 79 famílias, para cumprimento de decisão judicial; além do lote, GDF dará infraestrutura básica das casas e instalação de luz e esgoto

Dezenas de famílias que moram no Morro do Sabão, em Samambaia, vão sair da situação irregular e viver com dignidade após o Governo do Distrito Federal (GDF) lhes providenciar infraestrutura básica de moradia. A doação dos lotes foi marcada por emoção, pois a comunidade vem buscando uma solução definitiva para o problema habitacional há mais de dez anos.

Ao todo, 79 famílias serão retiradas da área – onde há instalações de energia de Furnas – e transferidas para o Sol Nascente/Pôr do Sol. Cinquenta e sete delas começaram a receber o documento dos lotes nesta quarta-feira (27) pelas mãos do governador Ibaneis Rocha, que não se contentou em entregar o terreno e determinou que elas recebessem infraestrutura.

“Nós temos uma área com determinação judicial para retirar todas essas famílias, e a Codhab vem trabalhando para fazer a remoção da melhor maneira possível”, disse o governador. “Os terrenos estão sendo entregues a essas famílias para que a remoção seja feita de forma pacífica. É um problema de quase uma década que está sendo resolvido agora, e a alegria das famílias vocês viram. É muito importante para nós fazer esse trabalho de forma humanitária.”

Os lotes no Sol Nascente para onde os moradores do Morro do Sabão vão ser transferidos contam com infraestrutura de água, drenagem e pavimentação. Por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), o GDF também vai financiar o projeto básico de arquitetura e construir o módulo-embrião das residências. Ainda será ofertada uma máquina produtora de tijolos para que as famílias façam um mutirão e concluam suas residências. Por fim, o governo fará as ligações de água e esgoto para esses moradores.

Direito à dignidade

“Essas famílias ocupam uma área debaixo das linhas de transmissão de Furnas, representando um perigo para eles e para as instalações elétricas situadas no local”, explicou o presidente da Codhab, João Monteiro. “A empresa atuava pela remoção das famílias, o que em governos passados infelizmente não aconteceu. O governador Ibaneis Rocha determinou e a Codhab achou uma solução para o problema. Essas famílias vão receber um lote em condições dignas.”

Uma beneficiada é a dona de casa Marinalva Ribeiro da Costa, de 37 anos. Moradora do Morro do Sabão há dez anos, ela segurou firmemente o documento do lote que recebeu ao lembrar tudo o que passou nos últimos anos. “A emoção é grande demais, não tenho nem palavras”, declarou. “São dez anos de luta, mas graças a Deus entrou um governo que acabou com o nosso sofrimento. Lá onde nós vivemos não é fácil. Sem água e sem luz, acordávamos com escorpiões e ratos nos nossos barracos de madeirite. Enfrentamos derrubadas e hoje estamos recebendo essa vitória”.

Desempregado, Daniel Jefferson, de 30 anos, resgatou o passado para comemorar a entrega dos lotes e o fim do sofrimento das famílias: “A comunidade completa 10 anos agora em outubro e passamos por vários governos que humilharam a gente, com derrubadas, nos tratando da pior maneira. Hoje temos um governo que fez, que olhou para nós. Vocês não têm noção do que é, para 80 famílias que moram em casas de madeirite, passar por tanta humilhação. E agora só temos a comemorar”.

O administrador de Samambaia, Claudeci Martins, reforçou que o remanejamento das famílias leva dignidade para os moradores. “As pessoas não estão lá porque querem, mas porque necessitam”, ponderou. “O que o governo faz com essa remoção é cuidar das pessoas, cuidar de uma população marginalizada”.

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

Antecipada para esta semana, campanha de imunização é para crianças de seis meses a menores de 5 anos

A Secretaria de Saúde antecipou para esta semana a vacinação contra influenza e sarampo para crianças de seis meses a menores de 5 anos. Desta forma, pais e responsáveis já podem levar os filhos dessa faixa etária para se imunizar contra as duas doenças. A vacinação contra o sarampo para esse público teria início em 30 de abril, já contra a influenza seria a partir de 3 de maio.

A antecipação atende às famílias que já estão levando os filhos para se vacinar contra outras doenças. “Para que não sejam perdidas as oportunidades de vacinação desse grupo, preferimos adiantar”, afirma Fernanda Ledes, gerente substituta de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar.

la ressalta que a medida reforça a vacinação contra o sarampo, que tem diminuído nos últimos anos. “O Ministério da Saúde está fazendo esforços junto à Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para certificar novamente o país (eliminação do sarampo) e esse processo passa por várias etapas.”

O público-alvo para a influenza representa 1.086.550 pessoas no DF e a meta é vacinar pelo menos 90% dos grupos elegíveis. Já para sarampo, o público-alvo é de 182.357 crianças no DF e a meta é vacinar 95% delas.

Neste sábado (30), ocorrerá o Dia D da campanha de vacinação, quando os demais grupos prioritários para ser imunizados contra influenza também vão poder se vacinar. São eles:

– Gestantes
– Puérperas
– Povos indígenas
– Professores das escolas públicas e privadas
– Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
– Pessoas com deficiência permanente
– Profissionais das forças de segurança e salvamento e das forças armadas
– Caminhoneiros
– Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso
– Trabalhadores portuários
– Funcionários do sistema prisional
– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
– População privada de liberdade

Os pontos de vacinação são atualizados diariamente e podem ser consultados no site da Secretaria de Saúde.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Créditos: Agência Brasília* | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Breno Esaki/Arquivo Agência Saúde

Quase três mil metros cúbicos de lixo verde e inservíveis foram recolhidos das ruas desde o lançamento do programa

Os primeiros dias de ação do GDF Presente – Cidade Sempre Limpa resultaram em quase três mil metros cúbicos de lixo verde e inservíveis retirados das ruas do Distrito Federal. Para efeito de comparação, o número corresponde a mais de uma piscina olímpica – de 50 m de comprimento – cheia com todo esse material recolhido, o que demonstra o grande volume de trabalho feito por dezenas de profissionais e máquinas diariamente.

O Cidade Sempre Limpa estará presente em todas as cidades do Distrito Federal, mas nesses primeiros dias concentrou esforços nas asas Sul e Norte, na Epig, na Epia e no Sudoeste. Por dia, participaram de dez a 35 profissionais e de 35 a 50 máquinas, número que vai aumentar no decorrer desta semana com a ampliação do programa para outras cidades.

Na Asa Norte, os trabalhos ocorreram nas avenidas L1 e L2, nos eixos L e W, na Via W1, nas quadras 100, 200, 300, 400 e 700. Já na Asa Sul, os profissionais estiveram nas avenidas L1 e L2, nos eixos L e W e na Via W1. No Sudoeste, o GDF Presente – Cidade Sempre Limpa passou pelas 1ª, 2ª e 3ª avenidas, renovando a cidade como muito esmero.

Para o secretário de Governo, José Humberto Pires, os números mostram que a ação vai deixar o DF de cara nova nos próximos três meses, período em que esta ação específica estará rodando as ruas. “É uma pequena amostra do que vai ser a grande ação do Cidade Sempre Limpa. Aproveitamos esses dias, entre feriado e fim de semana, para fazer o trabalho de recolhimento de lixo verde, que nos preocupava. Estamos focando inicialmente este trabalho, mas, a partir de segunda-feira, os serviços começam em todas as cidades e áreas que estão no cronograma”, afirma.

O grande trabalho a que o secretário se refere é feito com equipamentos de pequeno, médio e grande portes, de caminhões a tratores, pás mecânicas a rolos compactadores. Para fazê-los funcionar, dezenas de profissionais estão envolvidos diariamente nas ações pelas ruas.

Sobre o Cidade Sempre Limpa

O programa Cidade Sempre Limpa faz parte do GDF Presente e conta com a força da integração do governo para atuar em todas as cidades do DF por três meses, com 620 equipamentos à disposição e dez órgãos envolvidos.

O objetivo é deixar o DF bem-cuidado em cada detalhe, com asfaltamento, poda de árvores, recuperação de calçadas e meios-fios, sinalização vertical e horizontal, instalação e reposição de lâmpadas e combate à dengue, entre outros serviços.

A atual gestão sempre esteve preocupada em cuidar da zeladoria das cidades. E também de aprimorar esses serviços. O GDF Presente nasceu para ser uma fórmula perene do SOS DF, projeto executado no primeiro semestre da atual gestão. E, agora, o Cidade Sempre Limpa chega com a experiência acumulada ao longo desses anos e a sinergia entre os órgãos de governo para aprimorar o trabalho do GDF Presente.

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Divulgação / GDF Presente

 

Programa oferece atendimento educacional especializado para crianças de até 3 anos e 11 meses com deficiência, sinais de superdotação, prematuras, entre outras

Pais de crianças de até 3 anos e 11 meses de idade que fazem parte de grupos de risco, prematuras, com deficiência, com Transtorno do Espectro Autista (TEA), com sinais de precocidade para altas habilidades ou superdotação, entre outras especificidades, têm um importante apoio na rede pública de ensino do Distrito Federal.

Todas as 14 coordenações regionais de ensino da Secretaria de Educação possuem escolas que ofertam atividades da Educação Precoce, programa de atendimento educacional especializado voltado a essas crianças. Atualmente, 3.100 bebês e crianças são atendidos pela rede.

Miguel de Jesus, 3 anos e 2 meses, começou a frequentar o programa no Centro de Ensino Especial 1 de Sobradinho em 2022. Ele nasceu prematuro e teve indicação médica devido a um atraso na fala. “Eu já percebi muita diferença no comportamento dele em pouco tempo. Ficou mais sociável e com melhor desenvolvimento. O atendimento e o ambiente são 100%”, conta Edjane Maria de Jesus, mãe de Miguel.

A pedagoga Isis Gonçalves acompanha Miguel e diz que se encontrou no trabalho com a Educação Precoce. “Esta atuação me realiza no dia a dia como professora. É importante enxergar cada criança como um ser individual e com sua história de vida. Vamos trabalhar para alcançar os marcos da infância, independentemente do diagnóstico e sempre respeitando as características individuais”, analisa a professora.

João Gabriel Corrêa, 1 ano e 8 meses, também frequenta as atividades da Educação Precoce no Centro de Ensino Especial (CEE) 1 de Sobradinho. “Eu não sabia que a rede pública tinha esse tipo de atendimento e fiquei muito surpresa, positivamente, com a qualidade. As professoras são atenciosas e já noto uma evolução no meu filho”, revela Cláudia Bruna Corrêa, mãe de João. Ele começou no programa após os diagnósticos de TEA e Transtorno de Processamento Sensorial.

Desenvolvimento lúdico e integral

A iniciativa do programa Educação Precoce começou em 1987 com objetivo de trabalhar em prol do desenvolvimento infantil. As atividades são feitas de maneira integrada entre pedagogos, educadores físicos e equipe interdisciplinar das escolas que fazem esse atendimento.

A proposta é ampliar as potencialidades globais dos bebês e das crianças de forma lúdica, observando aspectos psicoafetivos, sociais, culturais e de socialização nesse processo. O Educação Precoce propõe atividades em espaços como salas de psicomotricidade, sala de bebês, parquinho, entre outros.

“A gente utiliza a brincadeira para proporcionar experiências. A criança recebe estímulos para que possa ter o pleno desenvolvimento dentro da sua faixa etária. Vamos atender a criança dentro da realidade dela e fazendo um trabalho em conjunto com a família”, destaca Ruth Ana Gomes, coordenadora do programa no CEE 1 de Sobradinho.

Ruth já trabalha nesse segmento há 23 anos na rede pública de ensino e, ao longo desses anos, se encanta com as possibilidades de crescimento dos pequenos.

Como se inscrever

O bebê ou a criança deve ter um encaminhamento médico para participar. Os pais ou responsáveis devem fazer a inscrição online. As matrículas ocorrem durante todo o ano mediante disponibilidade de vagas.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Créditos: Agência Brasília* | Edição: Rosualdo Rodrigues I Fotos: André Amendoeira/Ascom/SEEDF

Travessia subterrânea foi demolida e reconstruída; tapumes que cercavam a construção começaram a ser retirados e o cruzamento da Avenida Comercial também já está liberado

A passarela subterrânea que liga a Estação Praça do Relógio, do lado norte da Avenida Central, ao lado sul da via, é a próxima travessia a ser liberada dentro da grande obra de construção do Túnel de Taguatinga. A passagem foi demolida em março de 2021 e ganha roupagem mais moderna e com maior acessibilidade.

Nesta segunda-feira (25), se inicia o processo de limpeza do contrapiso interno da passarela. Já nos próximos dias, a equipe de engenheiros responsável pela execução e acompanhamento das obras de construção do Túnel de Taguatinga define a data prevista de liberação da nova passagem subterrânea do metrô.

“Quem passa aqui na porta não tem a noção de que temos aqui dentro, 400 pessoas trabalhando todos os dias, cerca de 50 equipamentos e o empenho para entregar a obra dentro do cronograma previsto”, afirma o secretário de Obras Luciano Carvalho.

Diferente da anterior, que havia sido construída rente ao solo, a nova passarela está suspensa sobre a laje do túnel. A estrutura de concreto de ponta a ponta da travessia está praticamente pronta e o piso da rampa de acesso à saída sul já está concretado. Assim que o concreto for curado, inicia-se a fase final de acabamento da passarela.

A cura é a técnica de hidratação do concreto. Tem como objetivo molhá-lo para, assim, diminuir os efeitos da evaporação prematura da água na estrutura concretada. A hidratação é a reação entre cimento e água que dá origem às características de pega e endurecimento. Isso evita o surgimento de fissuras e trincas.

Coordenador técnico de supervisão do Túnel de Taguatinga, Ricardo Simplício ressalta que o propósito é reduzir, cada vez mais, os transtornos naturais e decorrentes de uma obra, dando fluidez na mobilidade da população. “Quanto mais pudermos fazer para melhorar a vida do cidadão que circula por ali, sem comprometer o andamento da construção, até a sua finalização, nós faremos”, avisa.

Créditos: Hédio Ferreira Júnior, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno I Fotos: Divulgação

 

De casa cheia, Samambaia recebe “Clássico nas Cidades” e emociona a comunidade com apresentações.

Nesta terça (19) o Complexo Cultural recebeu o concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro.
 
O auditório Verônica Moreno do Complexo Cultural Samambaia – CCS, ficou pequeno para a quantidade de moradores que foram apreciar o concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro. A série de concertos nomeada de “Clássico nas Cidades” faz parte da programação do “Sorria, Brasília” e contemplou Samambaia com esse belo presente, de iniciativa do Governador Ibaneis e da Secretária de Cultura, contando com o apoio da Administração de Samambaia e Coordenação Regional de Ensino. 

Mais de 60 músicos compunham a orquestra e emocionaram a comunidade com clássicos do cinema  “Vamos tocar a Suíte de Star Wars, em que John Williams, indicado para mais de 50 oscars explora temas musicais para os personagens do filme”, destacou o Maestro Cláudio Cohen, durante a apresentação. 

Com aproximadamente 400 espectadores, os moradores celebram a oportunidade de prestigiar a orquestra. Robson Nogueira, 25, moradora da quadra 306 relatou a importância da cidade receber atrativos como a Orquestra. "A apresentação da Orquestra Sinfônica foi de suma importância para a samambaia, pois, tendo consciência dos vários preconceitos que são impostos à cidade, por ser uma região periférica. Dá a população o sentimento de humanização e pertencimento a comunidade”, declara. 

“Nós somos privilegiados, por ter esse espaço e ainda mais por sermos contemplados a receber essa bela orquestra.” destacou o Administrador Regional de Samambaia, Claudeci Martins. Que estava acompanhado de outras autoridades da cidade. 

A Orquestra se apresentará novamente na próxima terça (26) no Auditório Verônica Moreno do Complexo Cultural Samambaia, as 20 horas.

Créditos: Assessoria de Comunicação da Administração de Samambaia I Texto: Beatriz Quinderé I Fotografia: Kalyne Pires

TT Catalão, Hugo Rodas e Orlando Brito, que morreram nos últimos dois anos, vão batizar espaços do centro

Multicultural em sua natureza, o Espaço Cultural Renato Russo, que mantém em seu nome a homenagem a um dos maiores poetas do rock nacional, vai saudar a memória de três grandes artífices da arte brasiliense que morreram nos últimos dois anos: o poeta e ativista cultural TT Catalão (1949-2020), o fotógrafo Orlando Brito (1950-2022) e o teatrólogo Hugo Rodas (1939-2022).

Os três vão batizar, respectivamente, a Gibiteca, a Praça Central (ou Galeria Livre) e o Teatro Galpão. Somam-se, assim, a outros artistas celebrados, como o pintor Rubem Valentim (1922-1991), que denomina uma das galerias; o multiartista Marco Antônio Guimarães, o cineteatro; o ator Robson Graia, o teatro de bolso; e Ethel de Oliveira Dornas, a biblioteca.

“O Espaço Renato Russo está no coração de Brasília, na quadra modelo da 508/308 Sul, e ele traz, em sua gênese, essa inquietude da arte feita na capital federal para além do poder. É de fundamental importância que as futuras gerações entrem nesse território de todas as artes e vejam espelhadas as memórias desses três grandiosos artistas”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

O poeta, ativista e artista visual TT Catalão é o primeiro a ser homenageado. Nesta quinta-feira (21), ele batiza a Gibiteca, que volta a funcionar depois de nove anos sem atividade. TT Catalão tem uma intimidade com o Espaço Cultural Renato Russo, onde foi gestor entre os anos de 1993 e 1997.

Além disso, doou, nos primeiros tempos, seu valioso acervo de quadrinhos para que o espaço entrasse em funcionamento. Hoje, a Gibiteca TT Catalão tem 23 mil itens no acervo.

Na sequência, no mês de maio, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa fará uma cerimônia de duplo batismo. O Teatro Galpão se tornará Teatro Galpão Hugo Rodas, e a Praça Central, onde ocorrem frequentes exposições fotográficas, a Galeria Orlando Brito.

“Hugo e Orlando, dois mestres em suas linguagens, ocupam os territórios por pertencimento. O primeiro está na base da consolidação desse espaço cultural com peças antológicas, como Os Saltimbancos (1976); o segundo, por conjugar a fotografia jornalística com a arte, tornando-se um cronista do poder”, avalia o secretário.

Gerido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), o Espaço Cultural Renato Russo surgiu a partir de galpões da Novacap próximos às instalações da extinta Fundação Cultural, no quadrilátero da primeira unidade de vizinhança desenhada por Lúcio Costa – formada pelos edifícios no entorno da W3 a partir da 107/108 Sul, passando pela 308 Sul, W2 e 508 Sul.

Essa área foi descrita pelo poeta TT Catalão como o epicentro dos abalos sísmicos gerados na cidade por atores e atrizes, bailarinas e bailarinos, artistas visuais e da área musical, cineastas, produtores culturais e ex-diretores do complexo, incluindo experimentos do pessoal dos bastidores em iluminação, sonoplastia e outros ofícios.

Créditos: Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes I Foto: Arquivo pessoal

Programa vai levar centenas de equipamentos e operários para manutenção e conservação das 33 regiões administrativas por três meses

Uma nova iniciativa para a manutenção, conservação e renovação das 33 regiões administrativas do Distrito Federal foi lançada nesta quarta-feira (20). Braço do GDF Presente, o programa Cidade Sempre Limpa nasce com a força da integração do governo para atuar nas cidades por três meses, com mais de 600 equipamentos à disposição e dez órgãos envolvidos.

O objetivo é deixar o DF bem-cuidado em cada detalhe, com asfaltamento, poda de árvores, recuperação de calçadas e meios-fios, sinalização vertical e horizontal, instalação e reposição de lâmpadas e combate à dengue, entre outros serviços. Uma grande operação elogiada pelo governador Ibaneis Rocha.

“Passamos um período de muitas chuvas, que gerou um prejuízo à cidade. A hora é de olhar para frente e devolver, com todos os equipamentos e a força dos órgãos, o embelezamento das nossas cidades. A preocupação é cuidar das cidades, porque cuidando das cidades nós estamos cuidando de gente, estamos cuidando do nosso povo. Essa é a determinação”, avalia o governador.

Os serviços serão feitos em alinhamento com os dez órgãos participantes e com a coordenação dos 11 polos do GDF Presente dos quais dez são urbanos e um, rural. Os canais de Ouvidoria, o serviço de Administração 24h e o contato diário com a comunidade pelas ruas será a forma de o governo estar perto e atender as demandas com mais agilidade.

“Isso aqui é inédito. Quem mora em Brasília nunca viu um movimento desta força. Tem essa força pela liberdade que o governador dá,  por ter um espírito de grupo muito forte. Estamos com as ouvidorias, as administrações 24h, os coordenadores dos polos do GDF Presente e as administrações de prontidão para atender às necessidades da população”, acrescenta o secretário de Governo, José Humberto Pires de Araújo.

Cuidado com as cidades

A atual gestão sempre esteve preocupada em cuidar da zeladoria das cidades. E também de aprimorar esses serviços. O GDF Presente nasceu para ser uma fórmula perene do SOS DF, projeto executado no primeiro semestre da atual gestão. E, agora, o Cidade Sempre Limpa chega com a experiência acumulada ao longo desses anos e a sinergia entre os órgãos de governo para aprimorar o trabalho do GDF Presente.

“O SOS DF foi lançado para tirar o DF do abandono. Depois, lançamos o GDF Presente para que os órgãos trabalhem integrados. No início eram seis polos e quatro empresas envolvidas. Hoje, temos dez órgãos e 11 polos”, afirma José Humberto Pires.

O Cidade Sempre Limpa será um trabalho feito em parceria com a Secretaria de Governo (Segov), Novacap, Companhia Energética de Brasília (CEB), Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb), Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Departamento de Trânsito (Detran), Secretaria de Administração Penitenciária (Seape), Secretaria de Agricultura (Seagri) e DF Legal.

Créditos: Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo I Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

O projeto Sorria, Brasília acontece até 24 de abril, em 17 espaços culturais; confira a programação

A partir desta terça(19), o projeto Sorria, Brasília, em comemoração aos 62 anos da capital federal, oferece uma ampla programação cultural, com shows, mostras de cinema, feiras e exposições, espetáculos populares e apresentações de orquestras. Após dois anos sem comemoração devido à pandemia de coronavírus, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) planejou diversas opções para todos os gostos.

Com 17 equipamentos culturais interligados por um leque simultâneo de atividades artísticas, as atrações serão apresentadas no Plano Piloto, Ceilândia, Samambaia, Núcleo Bandeirante, Gama e Planaltina, regiões administrativas onde ficam os equipamentos culturais do Governo do Distrito Federal (GDF). As orquestras vão circular entre abril e maio com o projeto Clássicos nas Cidades, que estará nos complexos culturais de Samambaia, Planaltina e Casa do Cantador, em Ceilândia.

As atividades receberam o investimento de cerca de R$ 700 mil e propõem uma festividade ampla, abrangendo todas as cidades, com ênfase no entretenimento, exaltando a preocupação do GDF com a memória cultural. Exemplos disso são a reabertura da mostra Poeira, Lona e Concreto, totalmente restaurada, que retrata os primeiros tempos da construção da cidade, no Museu Vivo da Memória Candanga, e desenhos inéditos de Oscar Niemeyer, no espaço homônimo, além da valorização da história da Via-Sacra de Planaltina no complexo cultural da região administrativa.

O Eixo Cultural Ibero-americano, antigo espaço Funarte de Brasília, terá atividades de quinta-feira (21) a domingo (24), voltadas ao encontro das famílias e amigos, sentados  no gramado e em galerias com piquenique, desfrutando do Festival de Orquestras Populares, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, shows e desenhaço. Essa programação reforça o ano Brasília Capital Ibero-americana das Culturas, título mundial outorgado este ano à cidade.

A Concha Acústica terá shows e mostra de cinema. O Cine Brasília segue a programação especial e aberta ao público, com seleção de filmes e espetáculo comemorativo da Cia de Comédia Os Melhores do Mundo.

Confira a programação do projeto Sorria, Brasília

Plano Piloto

– Memorial dos Povos Indígenas: início, nesta terça (19), de festividades em comemoração ao Dia do Índio, com a a cantora Nívia Tupinambá, seguido por workshop de pintura corporal indígena; exposição Artes e Cultura Indígenas e feira étnica na área externa com shows. A programação segue até domingo (24)

– Biblioteca Nacional de Brasília: mostra Poema em Cartaz, nesta terça; contação de histórias do espaço infantil e inauguração da obra em grafite Livro da Rua  no sábado (23), às 10h

– Cine Brasília: na quinta (21), espetáculo comemorativo da Cia de Comédia Os Melhores do Mundo. Na sexta (22), haverá maratona de seis filmes em sessões gratuitas, em comemoração aos 62 anos do equipamento, com sessões às 10h, 12h, 14h, 16h, 18h e 20h

– Concha Acústica: atividades diversas com exibição de filmes, shows, exposição digital de fotografias, entre quinta-feira e domingo

– Eixo Cultural Ibero-Americano: atividades de entre quinta e domingo com apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS), quinta, às 20h; Festival de Orquestras Populares (sexta a domingo, das 18h às 22h), com ações lúdicas no gramado, como desenhaço, piquenique cultural e atrações infantis

– Espaço Cultural Renato Russo: reabertura da gibiteca, que será batizada de TT Catalão, quinta, às 14h

– Espaço Lucio Costa: exposição permanente Plano Piloto de Brasília

– Espaço Oscar Niemeyer: mostra O Mestre e o Aprendiz, com objetos e documentos pertencentes a Gervásio de Oliveira, que trabalhou como estagiário para Oscar Niemeyer no planejamento e construção de Brasília. Abertura na sexta, às 17h

– Museu de Arte de Brasília (MAB): lançamento da versão virtual do livro do MAB Arte  Design em Brasília: 1950 a 2022 no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), na quinta, quando o MAB comemora um ano de reabertura

– Museu Nacional da República: exposições Xingu 57, com fotografias de Domiciano Pereira de Souza Dias; e, no mezanino, Envenenada: profanações e polimorfismo tonais, de Raquel Nava

– Museu da Cidade: exposição permanente, com frases talhadas no mármore branco que contam a história de interiorização da capital federal, desde o século 18 até a inauguração

– Panteão da Pátria: mostra digital Brasília Museu Aberto, realizada por meio de projeção mapeada de obras de ícones artísticos da história de Brasília, na fachada externa do prédio, quinta, , das 19h às 22h. Há ainda exposição sobre a vida e trajetória política de Tancredo Neves, além do Livro de Aço dos Heróis da Pátria e o Mural da Liberdade de Athos Bulcão. O público ainda poderá ver o painel Inconfidência Mineira, de João Câmara, e o vitral de Marianne Peretti.

Ceilândia

– Casa do Cantador: Festival Circularte de Música Brasileira, sábado, às 19h.

Gama

– Museu do Catetinho: reabertura, na quinta, às 9h, da primeira residência oficial do presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, durante a construção do novo Distrito Federal. O espaço ficou fechado desde o início da pandemia, em março de 2020, e agora reabre com manutenção de pintura externa e interna, limpeza do forro e troca de peças de madeira da estrutura, eliminação de orifícios no telhado, forro e paredes, revitalização do piso de pilotis, limpeza dos pisos do banheiro, num aporte de R$ 400 mil. A abertura de exposição memorial terá quarteto da OSTNCS. Em seguida, segue a cerimônia de entrega da Medalha de Mérito Cultural Seu Teodoro, com apresentação do grupo homônimo.

Núcleo Bandeirante

– Museu Vivo da Memória Candanga: reabertura da exposição Poeira Lona e Concreto (quarta, às 15h), após restauro e higienização. Com acervo composto pelas edificações históricas, peças, objetos e fotos da época da construção de Brasília, a exposição permanente narra a história da cidade, desde os projetos até a inauguração em 1960.

Planaltina

– Complexo Cultural de Planaltina: exposição Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos. Mostra fotográfica, figurinos, cartazes e outras peças do acervo. Abertura: quarta-feira, às 20h.

Samambaia

– Complexo Cultural Samambaia: ação de grafite na fachada (com lançamento do edital de chamamento público na quarta-feira) e apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, dentro do projeto Clássicos nas Cidades, terça (19), às 20h.

Acesse aqui a íntegra da programação cultural.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Fonte: Agência Brasília / Foto: Joel Rodrigues – Agência Brasília

A Feira de Artesanato de Samambaia está chegando em sua segunda edição, que vai acontecer no dia 11 de dezembro, no estacionamento da Castelo Forte e traz oportunidades para os artesãos da cidade exporem os seus produtos. Depois do grande sucesso em sua primeira edição, a feira volta para a região ainda mais completa e dando a chance para os artistas locais apresentarem seus produtos.

É preciso passar por um processo de seleção para expor o artesanato. Os produtos a serem comercializados deverão, preferencialmente, apresentar atributos culturais e naturais referentes à Brasília.

Para participar é simples, acesse o site da Secretaria de Turismo de Brasília e veja todas as informações no edital (www.turismo.df.gov.br/category/artesanato/chamamento/) ou pelo whatsapp (61) 9 91581232.

Devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, não será permitida a participação presencial de artesãos/manualistas pertencentes ao grupo de risco. Entretanto, caso aprovado no processo de seleção, o artesão/manualista enquadrado no grupo de risco poderá enviar um representante que não esteja enquadrado neste perfil para comercialização das suas peças no período do evento.

Serviço

  • Período de inscrições: 22 a 28 de novembro de 2021

  • Divulgação da lista provisória selecionados: 01 de dezembro de 2021

  • Prazo para recurso: 03 de dezembro de 2021

  • Divulgação da lista definitiva: 06 de dezembro de 2021

  • Local: Quadra 302 – Centro Urbano Samambaia – Estacionamento da Castelo Forte

  • Data do evento: 11 de dezembro de 2021

  • Horário de funcionamento: 09h00 às 17h00 

  • Vagas previstas: 10 (dez) para artesão individual e 05 (cinco) para manualista.

Cultura e diversão andam de mãos dadas. E, em Samambaia, uma das cidades do Distrito Federal que mais respira arte, está recebendo o projeto Circuito Cine Drive-In nas Cidades. Dos dias 19 a 25 de novembro, no estacionamento do Estádio Rorizão, a programação conta com filmes de renome e que todo mundo gosta.

Idealizado pelo Ministério do Turismo, Secretaria de Cultura do DF, da Administração Regional de Samambaia e da Associação de Arte, Cultura e Acessibilidade (Artise), clássicos como O Rei Leão esperam pela população que curte uma boa história.

O administrador da cidade, Gustavo Aires, convida a todos para essa ação. "Nós já recebemos grandes programações no mês passado, para a comemoração do aniversário da cidade. E, agora, demos continuidade com essa grande ação que o governo está trazendo para a cidade", conta Aires.

Com a entrada gratuita, os ingressos (válido por carro), estão diponíveis neste site: https://www.sympla.com.br/circuito-cine-drive-in-nas-cidades—etapa-samambaia—df-de-19-a-25-de-novembro__1418080

Serviço

Evento: Circuito Cine Drive-In nas Cidades

Datas: 19 a 25 de novembro

Horários: das 18h às 22h

Local: Estacionamento do Estádio Rorizão, em Samambaia

Uma mistura de alegria e esperança tomou conta do conjunto O da Quadra QS 602, em Samambaia Norte, na manhã desta quinta (11). O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF), realizou a entrega de 11 escrituras a moradores do Módulo Embrião, projeto que beneficia famílias que não tinham casa própria ou viviam em situações inabitáveis.

As casas construídas na região pela Codhab receberam um investimento de R$ 1 milhão do GDF. Os módulos embriões são compostos por cozinha, banheiro, sala, quarto e área de serviço, e foram entregues com ligações de água e energia elétrica. A estrutura visa garantir qualidade e condição digna de habitação aos contemplados.

Uma das moradoras da QS 602 que agora tem casa própria com escritura é a pedagoga Ana Paula Araújo, de 33 anos. Ela mora no local com os dois filhos, Mateus, 13 anos, e Ana Júlia, 10 anos, e se emocionou ao comentar a importância que o documento terá na sua vida a partir de agora. “A primeira palavra que me vem à cabeça é gratidão. Agradeço muito a Deus e às pessoas que fizeram esse sonho se realizar”, afirmou.

O presidente da Codhab-DF, Wellington Luiz, destacou o empenho do GDF em cumprir as políticas públicas de habitação para a população mais carente: “Mais uma vez, o governo Ibaneis demonstra sensibilidade com aqueles que mais precisam. É dar dignidade, realizar sonhos, e dessa forma a gente consegue chegar mais perto dessas pessoas, que estavam esquecidas ao longo de décadas”.

Já o administrador regional de Samambaia, Gustavo Aires, relembrou que agora, com as casas e as escrituras, mais melhorias estão por vir. “Concretiza-se o sonho de vocês: primeiro a casa, agora a escritura. É um dia para ser celebrado. Quando novas reivindicações chegarem, vai ser bom para continuarmos levando estrutura até a população”, ressaltou.

Fonte: Agência Brasília

Aqueles que acompanharam a cidade de Samambaia nascendo, da terra de chão batido e do chafariz, têm visto o avanço da região em vários aspectos. Mas, muitos deles ainda não tiveram a oportunidade de ter suas escrituras em mãos, como dona Maria de Freitas, que reside na QR 107. “Há 30 anos moro em Samambaia e ainda não tenho minha escritura. Fiquei surpresa com esse pessoal que veio na porta da minha casa deixar essa carta.”

Nesta quarta-feira (10), uma força-tarefa da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), com o apoio da Administração Regional de Samambaia, começou a passar de casa em casa, atendendo a diversas localidades da cidade, para entregar uma carta convocatória, com orientações sobre a entrega de documentos dos moradores no posto da Codhab, que fica ao lado da administração. Após essa fase, a companhia analisará cada caso para realizar a entrega das escrituras.

O trabalho de entrega das cartas convocatórias seguirá até o final do mês. “É uma importante ação, que tornará possível entregar, sem nenhum ônus, escrituras definitivas, lavradas em cartório, assegurando tranquilidade, qualidade de vida e segurança jurídica  aos beneficiários que esperavam por esse momento há muitos anos”, ressalta o presidente da Codhab, Wellington Luiz.

O administrador regional de Samambaia, Gustavo Aires, disse que esse é um dos principais pedidos da população, que está sendo possível realizar com a atual gestão. “Diariamente, pessoas que moram há anos na cidade, pedem pra que a gente consiga resolver as questões de escrituras. Com o governador Ibaneis e essa parceria com a Codhab, esses pedidos vão ser realizados”, diz Aires.

Samambaia e Taguatinga ocupam, respectivamente, as posições de segunda e terceira cidades mais populosas do Distrito Federal. Além disso, Samambaia é considerada atualmente o segundo polo mais importante para a construção civil no DF.

O trânsito tem sido o setor que mais sofre impacto com o crescimento populacional na região. Pensando em buscar alternativas para solucionar este problema, a Administração Regional de Samambaia realizou audiência pública para discutir possíveis melhorias para o sistema viário entre as duas cidades.

Nesta terça (9), durante a reunião no Ginásio de Esportes do Instituto Federal de Brasília (IFB), engenheiros da Secretaria de Obras apresentaram para a população que reside em Samambaia e Taguatinga projeto elaborado para o setor, que prevê readequação do trânsito e ampliação da via Boca da Mata, que liga as duas cidades

O encontro contou com representantes da Secretaria de Obras e a mediação dos administradores regionais de Samambaia e de Taguatinga, Gustavo Aires e Bispo Renato, além do deputado distrital Reginaldo Veras e o diretor-geral do IFB Campus Samambaia, Paulo Henrique Silva.

Encaminhamentos

Durante a audiência, a população teve direito a apresentar suas sugestões e discutir o projeto. Tudo foi registrado em ata para que a proposta possa passar por adequações. “A preocupação do governo é uma só, garantir o bem-estar da população do Distrito Federal como um todo. Então, hoje celebro esse momento democrático e tão importante para os moradores de Samambaia e Taguatinga”, comemorou o administrador de Samambaia, Gustavo Aires.

“As obras de modernização do sistema viário não irão chegar até o interior do parque. Com as propostas aprovadas em definitivo, haverá total respeito à preservação ambiental. O importante aqui foi que aconteceu um bom debate sobre as questões prioritárias para a preservação do parque e, ao mesmo tempo, a racionalização do tráfego de veículos com o objetivo de preservar vidas”, explicou o administrador de Taguatinga, Renato Andrade.

Francesly da Conceição Leite reside em Samambaia há 32 anos, veio para a cidade com 21 anos, e conta que vai continuar acompanhando todo o processo: “Quero muito ver essas melhorias, o trânsito está muito carregado. Nossa cidade está cada dia maior, então está na hora de investir muito aqui”.

“Obra todo dia”: seguindo o seu lema, o GDF Presente percorreu nesta semana as ruas de Samambaia e Brazlândia executando diversos serviços para levar mais conforto e segurança para a população das respectivas regiões, tais como: limpeza das ruas, de bocas de lobo e de canaletas, além da retirada de entulhos, inservíveis e lixo verde. Na última semana, foram mais de 300 toneladas de materiais recolhidos.

Em Samambaia, as equipes do Polo Oeste do programa se uniram à administração regional, à Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF) para realizar um mutirão de limpeza ao longo da BR-060, limpando as bocas de lobo e recuperando cerca de sete quilômetros de canaletas.

Além da rodovia, as equipes do GDF Presente também passaram por Samambaia, realizando o recolhimento de entulhos maiores descartados irregularmente em áreas públicas e fazendo a limpeza das ruas, como explica o coordenador do Polo Oeste, Devanir Martins.

“É com a junção de esforços, polo, SLU [Serviço de Limpeza Urbana] e Administração, que conseguimos fazer esse trabalho tão amplo”, afirma.

O administrador de Samambaia, Gustavo Aires, ressalta o impacto da presença do GDF Presente para o ordenamento da cidade e também para as políticas públicas de saúde.

“Nesse período de chuvas, esses trabalhos se fazem ainda mais necessários, evitando alagamentos nas ruas e a proliferação do mosquito da dengue. É extremamente importante essas ações da Administração em conjunto com os órgãos do GDF”, destaca.

Na parte noroeste do DF, o GDF Presente realizou mais serviços do tipo pelas ruas de Brazlândia. Na “terra do morango”, as equipes do programa, reforçadas por operários da Administração Regional, fizeram o recolhimento de entulhos, inservíveis e lixo orgânico, junto com o corte de grama, nas quadras 5 e 12 do Setor Norte, na orla do lago situado na entrada da cidade e no Setor Tradicional.

Não é apenas em Samambaia e Brazlândia que o foco do GDF Presente é na limpeza das ruas. No Plano Piloto, o programa fez parte de uma força-tarefa que, nos dois primeiros dias, recolheu mais de 300 toneladas de materiais orgânicos, galhos e folhas nas Asas Sul e Norte.

 

Fonte: Agência Brasília

Pelo menos 420 crianças e adolescentes, em Samambaia, buscam resgatar a oportunidade de ver o nome de seus pais na certidão de nascimento. A oportunidade de cidadania de quem só teve o reconhecimento materno, será ofertada, em dezembro, pelo Governo do Distrito Federal (GDF), em parceria com a Defensoria Pública do DF. A ação conjunta é parte do Programa de Atendimento Integrado (PAI).

Chancelada pelo projeto Paternidade Responsável, uma carreta da defensoria desembarca na cidade disposta a regularizar pelo menos 200 certidões de nascimento. Com o suporte da administração regional e um raio-X da regional de ensino nas 42 escolas públicas e 29 creches parceiras de Samambaia, foram mapeados os alunos registrados apenas pela mãe.

Diante disso, os defensores públicos vão receber no centro olímpico da região os pais interessados na regularização da paternidade. Serão três frentes de trabalho: a primeira com o reconhecimento consensual das duas partes e realização do exame de DNA; o interesse manifestado apenas pela mãe, onde se abre um processo judicial; e o reconhecimento de pagamento de pensão alimentícia.

“É uma oportunidade para mulheres, que nunca tiveram tempo ou conhecimento para buscar esse suporte jurídico, resgatarem valores e darem dignidade aos seus filhos registrados sem o nome do pai”, afirma a coordenadora Regional de Ensino de Samambaia, Maria Elizabete Ferreira.

De acordo com a Associação dos Notários e Registradores do Distrito Federal, entidade que representa os cartórios, de 4% a 5% dos registros de nascimento feitos mensalmente por aqui não possuem a paternidade estabelecida. Como são feitos, em média, 4 mil deles por mês, pode-se afirmar que entre 160 e 200 certidões consta apenas o nome da mãe.

Apesar do alto número de casos sem reconhecimento do pai apurados em Samambaia, apenas 130 mulheres manifestaram até agora o interesse em buscar o registro paterno dos seus filhos – seja por já terem reconstruído suas famílias com outros companheiros, o pai biológico já ter falecido ou simplesmente por não quererem mais contato com o antigo parceiro. Vinte e seis unidades de ensino ainda não concluíram a adesão ao projeto.

Capacitando novos defensores

O Programa de Atendimento Integrado (PAI) foi lançado pela Defensoria Pública do DF em 2021 com o propósito de levar aos cidadãos em situação de vulnerabilidade os serviços dos equipamentos públicos aos quais muitos não têm acesso. O órgão promove este mês um curso para capacitação de defensores populares que atuarão em parceria nas escolas públicas da região.

Samambaia foi escolhida pela Defensoria Pública por ser a segunda maior região do DF, com a participação de alunos de creches e escolas públicas. “É a identificação de um Brasil que está longe da Justiça, mas que podemos aproximá-lo, inclusive expandido esse atendimento a outras regiões administrativas e tirar a invisibilidade dessas pessoas, buscando-as onde estiverem e estendendo a elas esse atendimento”, avalia o defensor público Evenin Ávila.

Administrador Regional de Samambaia, Gustavo Aires afirma que o projeto é importante para devolver a esses cidadãos um direito garantido na Constituição. “A carreta trará um trabalho social importante para as crianças que não têm o registro do pai na certidão de nascimento. Isso trará direitos básicos essenciais, que servirão para a vida toda dessas crianças”, declara.

Em comemoração aos 32 anos de Samambaia, pra fechar a programação de aniversário, neste sábado (06), a partir das 10h, no estacionamento da Castelo Forte, vai acontecer a Feira de Artesanato. E você que é artesão e pretende expor os seus produtos, não perca essa oportunidade, no qual só será válido mediante inscrição.

Link: https://forms.gle/QQ7smR9mWv3WNvuC7

Participe!

Protocolo:

  • Qual o prazo estabelecido para disponibilizar documentos e processos?

Conforme a Lei de Acesso à Informação (LAI), o pazo é de 20 (vinte) dias.

  • Qual o valor para efetuar o desarquivamento de processos?

Paga-se uma taxa de R$9,91 (nove reais e noventa e um centavos).

  • Qualquer pessoa pode solicitar o desarquivamento de processos?

Sim, salvo nos casos de tirar cópias parciais ou integrais do processo.

Junta Militar:

  • Qual o período do alistamento militar?

De 02 de janeiro até 30 de junho, no ano que completa 18 anos.

  • O que deve ser feito para requerer o certificado após ser dispensado do serviço militar?

Deve-se procurar a Junta Militar mais próxima da sua residência para marcar o Juramento à Bandeira e posteriormente receber o certificado.

Central de Aprovação de Projeto (CAP):

  • Como faço para dar entrada no alvará de construção?

Mediante o nº do processo, o interessado deve consultar no Protocolo da Administração, como está o andamento do seu processo.

Gerência de Licenciamento de Obras e Atividades Econômicas (GELOAE):

  • É necessário ir à Administração Regional para dar início ao processo de licenciamento?

Não. O requerimento deve ser feito pelo site www.redesimples.df.gov.br

  • A Administração Regional é responsável por emitir o certificado de licenciamento?

Para que o estabelecimento seja licenciado é necessário a aprovação de outros órgãos, além da Administração Regional ao final do processo, o certificado será emitido no site www.redesimples.df.gov.br

  • Porque o lote que tinha destinação comercial hoje não tem mais?

A LC 948/2019 troxe outras destinações para os lotes e a análise de viabilidade de endereço é feita de acordo com a lei vigente.

  • Quanto é o metro da Taxa de área Pública?

O m² é R$0,49 (quarenta e nove centavos).

  • Por que a viabilidade foi indeferida? Ex: abertura de lava-jato em área residencial.

Esta atividade não é permitida para esse local, conforme Lei Complementar nº 948, PDL 90 de 1998.

  • Como faço para dar entrada no Sistema de Registro e Licenciamento de Empresas (RLE)?

O RLE é totalmente digital, basta acessar o portal e serviços da REDESIMPLES/DF, disponível em www.redesimples.df.gov.br e conferir as 6 (seis) etapas para o processo de registro e licenciamento de uma empresa:

– Viabilidade

– Coletor Nacional (DBE)

– Integrador (FCN/RE)

– Entrega de Documentação (JCDF)

– Inscrições Tributárias

– Licenciamento

  • O que é necessário para dar entrada na Licença Eventual?
  1. Cadastrar o evento na Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), com 30 (trinta) dias de antecedência ao evento;
  2. Toda a documentação deve ser entregue na Administração, no Setor da GELOAE, 10 (dez) dias antes do evento.
  • Qual o prazo para resposta à consulta de viabilidade?

O prazo é de 05 (cinco) dias úteis, mas pode ser mais rápido, de acordo com a demanda.

COLOM (GEAPRO – Gerência de Elaboração e Aprovação de Projetos)

  • Como faço para saber o andamento do meu processo de engenho publicitário?

Procurar o setor da GEAPRO na Administração de Taguatingaou fazer a pesquisa mediante o nº do processo, via SEI.

  • Dúvidas a respeito de parâmetros construtivos, notas de gabarito, afastamentos, enre outros.

A orientação dada é procurar o setor da Central de Aprovação de Projetos (CAP).

  • Como faço para realizar solicitações diversas (PEC's, praças, estacionamentos, calçadas…)?

Procurar a Ouvidoria da Administração para fazer a solicitação.

  • Como faço para solicitar cópia do croqui de área interessada na cidade de Taguatinga?

A Geapro disponibiliza para o solicitante.

  • Como faço para obter requerimento de Raio ed Anuência?

Deve-se dar entrada no Protocolo da Administração. Logo após, a Geapro providenciará o formulário de Anuência de Vizinhança.

GECEL/DIART;

  • Como faço para realizar o agendamento para utilizar o espaço público?

Deve vir pessoalmente na GECEL, escolher o local do evento, a data e fazer a marcação.

  • Para eventos de pequenos porte, sem estrutura, qual a quantidfade de pessoas?

Até no máximo 200 pessoas.

  • Qual o prazo para fazer o agendamento para utilização do espaço público?

Com 30 dias de antecedência ao evento.

  • Qual a documentação necessária para dar entrada na utilização do espaço público?

– Preencher o requerimento disponível na GECEL;

– Documento de identidade;

– Certidão negativa emitida pela Secretaria de Fazenda.

  • Sobre a taxa cobrada pelo espaço público, como ela é realizada?

Conforme Decreto nº 17.079, de 28 de dezembro de 1995, é gerado um boleto bancário pela Secretaria de Fazenda para fins de pagamento.

  • A solicitação de isenção de taxa pode acontecer em quais situações?

a) Órgão ou entidade da Administração Pública Direta (solicitação via SEI);

b) Estiver em parceria com órgão governamental na realização e evento de caráter social sem fins lucrativos e de conveniência comunitária;

c) Eventos que constam no Calendário Oficial de eventos do GDF.

Algumas das principais áreas de desenvolvimento econômico de Samambaia receberam nas últimas semanas um “tapa no visual” para deixar tudo mais agradável. A 1° Avenida Norte, mais conhecida como Avenida Joaquim Domingos Roriz, foi a primeira a ser contemplada com diversas ações dos órgãos de governo, seguida das avenidas 100/300 e 300/500.

Podas das árvores, instalação de quebra-molas, reposição das placas de sinalização, troca das lâmpadas comuns para LED e pintura das faixas de pedestres, ciclovias e meios-fios foram algumas das melhorias executadas.

Os moradores da região aprovaram as benfeitorias, como Rosa Maria Rocha, 41 anos. “Sempre tive muito orgulho da minha cidade, mas agora, tá demais! Ela está com um ar de sofisticação, de cidade grande. Brasília sempre foi minha referência de organização, mas Samambaia está tão bonita que só faltam os monumentos para ficar igual”, compara.

“Estamos com esse projeto para levar também para as outras avenidas da cidade”, afirma o administrador da região, Gustavo Aires. Esse trabalho cotidiano realizado pela administração tornou-se ainda mais ágil com o apoio da Novacap, SLU, Detran e CEB. “As portas da administração estão sempre abertas para recebermos as demandas da comunidade, e o governador Ibaneis Rocha tem trabalhado todos os dias para que todo o GDF esteja integrado, para melhorar a qualidade de vida da população”, afirma Aires.

“Há muito tempo, me perguntava por que não instalavam um quebra-molas aqui [Avenida 300/500]. Vi muita gente sendo atropelada nessa travessia. Agora, refizemos os pedidos, e em poucos dias o quebra-molas foi construído”, diz, com alegria, Cláudio Santos, 35 anos, contador, que celebra agora a resolução da aflição de muitos pedestres.

Arroz, feijão, óleo e outros produtos essenciais para estarem na mesa dos brasileiros, infelizmente, estão em falta dentro de alguns lares. Pensando nisso, uma ação para o Dia das Mães distribuiu mais de 100 cestas básicas para essas guerreiras, chefes de família, que moram em Samambaia.

A iniciativa partiu de Thallys Dourado, que com a arte milenar da cutelaria, fez a divulgação de rifas, cujo produto era uma faca artesanal exclusiva. Com o dinheiro arrecadado, ele comprou as cestas. “Com a pandemia, tudo ficou mais caro e muitas pessoas perderam os seus empregos”, conta Dourado.

Uma das mães que ganhou os alimentos, foi Keila Freire. “Quero agradecer por essa oportunidade, pois como foi falado, o momento é muito delicado e que outras pessoas possam tomar pra si esse exemplo, de doar ao próximo”, conta Keila.

Assim, o almoço para essa data especial, está garantido. Essa ação contou com a participação da Administração Regional de Samambaia, que com o atendimento à comunidade, tem uma lista das pessoas que solicitam as cestas básicas.

“Nós entramos com o apoio lojístico e ficamos muito felizes de sermos procurados. Pessoas como o Dourado, fazem a diferença para a população”, afirma o administrador da cidade, Gustavo Aires.

Neste dia das Mães (9/5) a Administração de Samambaia, com o apoio do projeto Seja Afeto, em parceria com a Loja JK Veículos e Lojas Meninil, doou produtos de higiene e enxovais para mulheres em trabalho de parto, ou com recém nascidos, que estavam internadas no Hospital Regional de Samambaia (HRSam).

Ao todo, 20 kits de enxovais e 30 kits de higiene foram doados. O administrador de Samambaia, Gustavo Aires, e o diretor do HRSam, Ruiter Arantes, entregaram os presentes para as mães na manhã deste domingo. 

As pacientes ressaltaram que os kits serão úteis. De acordo com Gustavo Aires, o objetivo da ação é cuidar dos mais vulneráveis. “Afirmo que nossas portas estarão sempre abertas para bons projetos como esse”.

Na visita, o diretor do HRSam e o administrador aproveitaram para parabenizar as mães que estavam no hospital.

Diariamente, mesmo debaixo de sol ou chuva, os reeducandos da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) prestam serviços à população da cidade,  de forma à garantir que esteja sempre organizada. Mas como forma de levar mais conhecimento técnico para esses profissionais, a Administração Regional de Samambaia realizou na sexta-feira (07), um treinamento sobre segurança do trabalho, com o objetivo de desenvolver habilidades para prevenção de qualquer tipo de incidente para esses colaboradores.

A aula foi possível graças a uma parceria com a Associação dos Profissionais de Segurança, Saúde e Meio Ambiente do Trabalho (APSESMT), que de forma voluntária, ensinaram cuidados essenciais para o cotidiano das atividades de tapa-buracos, retirada de entulhos e outros serviços executados por esses colaboradores.

Segundo a diretora de obras da regional, Loyane Damares, o trabalho das RAs é o espelho de um comprometimento sério, por isso, ela espera que essa semente também seja plantada por outros colegas de governo.

“A capacitação das equipes reflete diretamente no cuidado com o profissional, como o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e dos coletivos, como cintos de segurança e uso de escadas. Quando o time trabalha integrado, temos a qualidade dos serviços garantida e, principalmente, todos atuando em segurança”, comenta a diretora.

Esse zelo pela capacitação veio por sugestões do governador Ibaneis Rocha. Segundo o administrador de Samambaia, que inclusive foi secretário das cidades no início desta gestão, esse tipo de aplicação do conhecimento sempre foi uma prioridade dentro da gerência pública. “Participei sempre dos cursos que as outras Administrações faziam. Mas essa se tornou ainda mais especial, por ser direcionada aos reeducandos, que fazem trabalhos muito importantes para a comunidade”, afirma Gustavo Aires.

 

 

 

PAULO RIBEIRO DA SILVA NERY, nascido em Brasília / DF e nomeado no dia 01/07/2019,  é Servidor Efetivo e Analista de Gestão Rodoviária do DER/DF. Possui formação superior em Recursos Humanos e é pós-graduado em Normatização de Trânsito. Possui dedicação no atendimento ao cidadão e presteza para resolver as solicitações.

Curriculo Vitae

As Lâmpadas mais potentes e econômicas atenderão com prioridade vias com maior circulação de pessoas, grande fluxo de comércio e paradas de ônibus mais movimentadas Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio de ação conjunta da Secretaria de Obras com a CEB Iluminação Pública, iniciou a troca de lâmpadas convencionais por LED em vias públicas na cidade de Samambaia. Serão 2.282 substituições que deixarão ruas e avenidas mais iluminadas e seguras para pedestres e condutores de veículos.

"Priorizamos as vias de maior circulação de pessoas, com grande fluxo de comércio e paradas de ônibus mais movimentadas. Nosso objetivo é, à medida que conseguirmos novos recursos, ir investindo até atender toda a cidade", garante o administrador regional Gustavo Aires.O projeto atenderá a 1ª Avenida Sul e Norte nas quadras pares (200 e 400) e a Avenida Noroeste. A escolha atendeu a um projeto feito em parceria com a Administração Regional de Samambaia. O investimento autorizado pela Secretaria de Obras é de mais de dois milhões e meio de reais (R$ 2.580.463,74),  Será iniciada a execução nesta semana com prazo de conclusão de 90 dias, a cargo da CEB. 

Mais visibilidade 

Mais modernas e econômicas, as lâmpadas de LED produzem uma luz branca, mais próxima à solar, o que aumenta a visibilidade das vias durante a noite.

A economia média com a eficientização da iluminação pública pode chegar a 40%. Desde o início da atual gestão, o GDF já substituiu mais de 30 mil lâmpadas ? 16.290 em 2019 e 13.823 em 2020. O investimento ficou em torno de R$ 25 milhões.

Programa de eficiência energética da CEB Iluminação Pública e Serviços (CEB IPES) tem como meta substituir quase 100% das lâmpadas até o final de 2022 em todas as regiões administrativas

Mutirão da iluminação

Presidente da CEB e da CEB Iluminação Pública e Serviços, Edison Garcia afirma que o programa de eficiência energética tornou-se prioritário da empresa, que tem a meta de substituir quase 100% das luminárias do Distrito Federal até o final do ano que vem. 

"Está em andamento um mutirão da iluminação em todas as regiões administrativas, identificando pontos com falta de luz ou que necessitem melhorias e substituições", diz ele.

O jornalista José do Egito, 27 anos, é morador de Samambaia e já sente a diferença da iluminação das ruas nestes primeiros dias de substituição. Para ele, as lâmpadas de LED deixam tudo muito mais claro, inclusive neste período de restrição de circulação.

"Algumas pessoas estavam se aproveitando da pouca iluminação para se esconder e cometer delitos. Agora, com esses pontos mais claros, isso já não acontece", afirma.

Onde em muitos locais, as medidas para controle do agravamento da pandemia, foram consideradas como sinal de atrito e de manifestações passivas. Em Samambaia, o cenário encontrado é outro completamente diferente. Com a ampliação do grupo prioritário para vacinação, foi cogitada a necessidade de abertura de mais pontos de imunização, a fim de contribuir para mais agilidade no processo e, posteriormente, diminuir o quanto antes a faixa etária, para acesso às doses. 

Pensando em cooperar para o fim deste cenário, empresários locais, mais um vez, se dispuseram em contribuir com o governo, no sentido de permitir um acesso ágil à imunização dos grupos vulneráveis. Em nome do grupo, André Barbosa, sócio proprietário da rede de Supermercados Primor, conta sobre o desejo do segmento. “Nós, empresários aqui de Samambaia, desde do ínicio, ainda em 2020, não medimos esforços em contribuir e ajudar na prevenção contra à Covid. Desejamos que tudo isso passe logo, para que a vida volte ao normal, esperamos que nossa população seja vacinada o mais breve possível.”

 

“Em um momento tão complicado, poder contar com o apoio de todos vocês, me deixa emocionado, pois nem mesmo a dificuldade enfrentada, por suas empresas, criou barreiras entre nós” conta Gustavo Aires, Administrador de Samambaia ao relembrar detalhes desta parceria. “Agradeço em nome do nosso Governador, o apoio recebido todo este tempo”, diz Aires, em sinal de reconhecimento. Endossando a importância da participação coletiva, Luiz de Melo Porto Neto, conta na sua opinião, como se pode vencer a pandemia “Vimos que a melhor maneira de combater o vírus é a consciência, a união do povo com sua solidariedade e sua humanidade”.

Desde o início do Plano Operacional de Vacinação, a Superintendência Regional de Saúde Sudoeste, através de sua equipe técnica, tem demonstrado grande empenho e dedicação em colaborar para o fim desta pandemia. O trabalho ora admirado por muitos estudantes da área, contará com o apoio de alunos do Centro Universitário –  UNICEPLAC, que se voluntariam para auxiliar na campanha, garantido maior retaguarda e agilidade nos atendimentos.

Início da boa relação 

Em maio de 2020, foram iniciadas as primeiras conversas entre o Administrador da cidade e empresários locais, que preocupados com o crescimento da doença e a iminência do Governo, em decretar o primeiro lockdown na cidade, uniu as forças para intensificar o plano de conscientização local. Na ocasião, vários materiais midiaticos foram espalhados pela cidade, além de ações de conscientização e distribuição de máscaras em pontos comerciais. 

Com o passar dos meses, este apoio não se manteve neste nível, mas mostrou-se cada vez mais presente e necessário, haja vista, as inúmeras situações emergenciais para a contenção no avanço da doença. Maria do Socorro Rocha, 71 anos, aposentada, conta sobre a ansiedade para ser vacinada, “estava contando os dias, para chegar a minha vez, o medo de adoecer é muito grande. Já tive covid uma vez, tenho muito medo de ter novamente” 

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

O Drive-Thru estará funcionando, de segunda à sexta, das 09 às 17h, na quadra 302, conjunto 13, ao lado da Castelo Forte. Sem necessidade de agendamento para os grupos prioritários.

A partir de sexta-feira, dia 26, o atendimento para pedestres estará acontecendo na Clínica da Família, na Quadra 302 Conjunto 05 Lote 01 – Samambaia Sul, das 09 às 17h.

A espera foi longa, mas chegou a vez da diarista Irene Souza, 43 anos. Moradora há quase dez anos da Expansão de Samambaia, onde vivia em um terreno não regularizado, nesta quarta-feira (24), ela se mudou para a própria casa. Irene faz parte de um grupo de 30 pessoas beneficiadas hoje pelo projeto Módulo Embrião, coordenado pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF).

Irene recebeu as chaves do novo lar e o termo de ocupação das mãos da secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. A diarista conta que chegou cedo para providenciar a limpeza da morada, na qual vai residir com os dois filhos. Uma simpática casinha pintada de verde que, para ela, representa dignidade.

“Foram tantos anos de aluguel, de dificuldades, que pensei que ia morrer e não ter o meu canto”, relata. “Tenho inscrição na Codhab há uns 15 anos e hoje meu sonho se realizou. Tenho muita gratidão ao governador Ibaneis. A partir de hoje, posso pensar num futuro melhor pra minha família”, projeta a diarista.

Módulo Embrião integra o subprograma Moradia Digna, que beneficia cidadãos que não possuem moradia e enfrentam situação de vulnerabilidade. Nesta quarta-feira foram entregues  cinco unidades na QS 607, em Samambaia Norte, que custaram, juntas, R$ 375 mil aos cofres do governo.

Agora já são 20 unidades distribuídas de um total de 108 módulos destinados aos moradores da região administrativa. O projeto já investiu R$ 7 milhões na cidade desde 2019.

De acordo com a secretária, essas casas representam “ninhos de amor” onde essas pessoas podem construir uma nova vida. “São lares habitáveis, e não simplesmente lotes doados onde as pessoas têm de se virar para construir. E elas chegam num momento de pandemia, em que a situação de vulnerabilidade aumentou muito”, observa Mayara.

Segundo o presidente da Codhab, Wellington Luiz, as entregas em Samambaia continuam nos próximos meses. “Temos mais 69 quase prontas em que está sendo finalizada a parte estrutural. Isso demonstra a sensibilidade do governo em relação a essas famílias que precisam tanto”, afirma.

Atendimento pela assistência social

 

As unidades habitacionais têm 44m2 e são compostas por cozinha, banheiro, sala, um quarto e área de serviço, com ligações de água, energia, cobertura, vedações e todos os acabamentos. O projeto é o ponto de partida para que as famílias possam, posteriormente, dar continuidade às melhorias na casa com o acompanhamento de arquitetos e engenheiros da companhia.

Todas as famílias são atendidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). Elas precisam ser inscritas no Cadastro Único há pelo menos cinco anos e ter o acompanhamento da assistência social há dois.

O administrador de Samambaia, Gustavo Aires, foi outro a celebrar mais uma melhoria para RA. “Ficamos muito felizes, pois além de dar um alento a essas famílias, isso estimula o crescimento econômico e social de nossa cidade”, finaliza.

 

A política pública de manutenção urbana no DF ganhou importantes reforços. Na manhã desta quarta-feira (24), a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) entregou cinco rolos compactadores de asfalto e 17 reboques tipo carreta prancha para 17 administrações regionais. No total, foram adquiridas 35 unidades dos dois tipos de equipamento, fruto de um investimento de R$ 8,1 milhões do GDF.

Alguns equipamentos já haviam sido entregues para outras administrações regionais. Com isso, agora, cada região administrativa conta com um compactador de asfalto, equipamento vital para executar as operações tapa-buracos e levar mais segurança e estabilidade para as ruas e avenidas do DF. O reboque também é indispensável para os serviços, sendo a maneira mais rápida de transportar o rolo compactador.

O presidente da Novacap, Fernando Leite, participou da cerimônia de entrega e comentou o impacto que os equipamentos terão nos cuidados e na manutenção das cidades. “Estamos dando autonomia para as administrações regionais cumprirem o seu papel de fazer a linha de frente nas operações tapa-buracos, dando mais qualidade de vida para a população”, avalia. “Tendo os instrumentos, os atendimentos às demandas emergenciais, que tanto preocupam e incomodam, podem ser feitos de maneira eficiente”, garantiu.

 

Já o secretário executivo das Cidades, Valmir Lemos, destacou que a entrega dos rolos compactadores e dos reboques só foi possível por meio da união de esforços entre as pastas do GDF: “Quero agradecer à Novacap pelos investimentos que estão sendo feitos, além da Secretaria de Economia, que liberou os recursos para que pudéssemos fazer as licitações. Nós brigamos muito, mas é com a intenção de trabalhar, porque esse é um governo que realmente faz com que as coisas aconteçam”.

E quem recebeu o maquinário mal vê a hora de colocá-lo para funcionar nas ruas. “Há mais de 10 anos que não tínhamos máquinas desse tipo. Vamos conseguir otimizar o nosso serviço com os rolos compactadores e os reboques vão nos ajudar a levar as máquinas até as áreas rurais mais distantes”, explica o administrador regional do Paranoá, Sérgio Damasceno.

Além dos representantes das regiões administrativas, também participaram da cerimônia alguns coordenadores do GDF Presente, programa que trabalha em parceria com as administrações regionais nas ações de manutenção* urbana por todo o Distrito Federal. Para auxiliar nas operações tapa-buracos, a Novacap também fornece massa asfáltica produzida por sua usina para todas as regiões.

 

A iniciativa surgiu de uma conversa entre o Administrador de Samambaia, Gustavo Aires e a promotora de justiça Drª Hiza Maria Silva, onde foi discutida a preocupação da Administração da cidade e do Ministério Público com a atual situação enfrentada na localidade, onde todos os leitos de UTI estão ocupados. Assim, toda comunicação da Administração Regional passou a ser direcionada para a comoção e apelo emocional que a pandemia requer.

Em um momento cada vez mais complicado, o que tem se tornado evidente, por toda parte, é o descumprimento das normas de segurança pelos mais jovens. Pelas ruas de Samambaia algo tem tirado o sono dos gestores, “por toda parte vemos jovens aglomerando, festejando, andando sem máscaras. Em nossas abordagens temos buscado orientar, entregar máscaras, mas ainda sim a resistência é muito grande” conta Aires, administrador da cidade.

Com o aumento alarmante da propagação da doença, a procura pelo serviço de saúde pública por jovens tem sido muito grande, superando a capacidade de atendimento dos hospitais, unidades de saúde e Upas. Sendo destacado pelo Superintendente de Saúde da Região Sudoeste, Luciano Gomes, a forma como mudou o comportamento do público adoecido “os leitos de UTI estão preenchido por pessoas muito jovens, isso além de preocupar nos faz pensar, a possível contribuição para isso, pode ser a imperícia dos mais jovens ”.

Quem anda pela cidade, se depara com uma beleza inigualável, ,avenidas largas, muitas árvores, comércio diversificado e muito movimento. Porém, em virtude das medidas para controle da pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, deu espaço para uma movimentação diferente.  Ao passar pela Avenida Joaquim Domingos Roriz, em Samambaia, a comunidade se depara com equipes terceirizadas da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil  (Novacap), em um trabalho de várias mãos, se desdobrando entre a realização de  poda, recolhimento de galhos e roçagem.

A operação tem como objetivo atender as avenidas comerciais da cidade, contribuindo assim para melhorar a iluminação do calçamento, o que irá garantir mais segurança para os pedestres que transitam no período noturno pela localidade.

Rotineiramente, os serviços de poda de árvores são solicitados em nossa ouvidoria, contudo a execução é realizada pela Novacap. Após conversa com o órgão, foi alinhado que a empresa estaria enviando equipes para a cidade, com o objetivo de atender o maior número de solicitações possíveis. “A comunidade nos procura sempre para pedir atenção e mais agilidade na execução das podas. Nós, não executamos, contudo, recebemos as queixas e repassamos prontamente a NOVACAP que tem nos atendido prontamente” explica  Gustavo Aires, como  funciona o serviço de poda.

“A cidade está bonita, muito bem cuidada, eu como moradora só tenho a parabenizar, tanto o Administrador da cidade, como o Governador Ibaneis que tem se disposto a cuidar de tudo. Parece coisa boba, mas pra gente, não é” celebra Thauanna Lima, 34 anos, estudante universitária.

O pleito estava em discussão há pouco menos de um ano, onde era tratado com grande celeridade pelo Governo do Distrito Federal, que tendo ciência das necessidades da região abriu espaço para que o tema em questão fosse discutido pela Administração de Samambaia em conjunto com a Superintendência de Saúde Sudoeste, TERRACAP e a Secretaria de Saúde. Devido a crescente necessidade de investimentos para suportar a demanda do Sistema público de saúde, o processo foi tramitado com grande urgência em todas as esferas governamentais.

O anúncio oficial foi dado pelo Governador Ibaneis Rocha na última sexta-feira (12). Sendo oficialmente documentado, nesta segunda (15), por meio do decreto Nº 41.899, que prevê a desapropriação em caráter de  utilidade pública do terreno localizado ao lado do hospital, que mede 2.080,00m², onde deverá será edificado o hospital de campanha que irá ofertar mais de 100 novos leitos de UTI.

“Essa é uma grande conquista para a população de Samambaia, apenas lamentamos que tenha ocorrido em um momento de grande tristeza”, celebra  Gustavo Aires, Administrador de Samambaia. 

Reuniões de trabalho

 

Ainda no início de dezembro de 2020 aconteceu a primeira reunião colegiada, de iniciativa da Administração de Samambaia com a participação do Secretário de Saúde, Osnei Okumoto, do Presidente da Terracap, Izídio Santos, do Superintendente de Saúde da Região Sudoeste, Wendel Moreira e do Diretor do HRSam, Luciano Gomes.  Após comum acordo, o processo foi encaminhado para a Secretaria de Governo, onde foi para as mãos do Governador.

A Unidade Básica de Saúde (UBS) 1 de Samambaia passou recentemente por algumas adequações físicas e abriu três novos serviços, sendo eles o laboratório, sala de vacina e a farmácia, que já estão disponíveis para a população.

A UBS 1 de Samambaia fica na QS 408 Área Especial 1 e oferece cobertura aos moradores das quadras 201, 202, 203, 205, 401, 402, 403, 404, 405, 406, 408, 602, 601, 602,603, 604, 605, 606 e 608. A unidade possui nove equipes de Estratégia Saúde da Família e uma equipe de saúde bucal.

“A gestão da Região de Saúde Sudoeste tem procurado elevar a resolubilidade das equipes através da incorporação de recursos humanos qualificados e de tecnologia adequada, no campo da infraestrutura”, explica a diretora de Atenção Primária da Região Sudoeste, Clenici Godois.

Segundo ela, o objetivo é ter a gestão dos serviços de forma que permitam o acompanhamento e avaliação da melhoria da situação de saúde das famílias, especialmente os grupos mais vulneráveis a riscos de contrair doenças e de sofrer danos à saúde.

Com a ampliação de serviços, agora os usuários têm disponíveis uma sala de vacina, conforme prevê o Programa Nacional de  Imunização; farmácia com dispensação de medicamentos previstos para a Atenção Primária e com funcionamento até as 22h; dispensação de medicamentos psicotrópicos, conforme normas da assistência farmacêutica; sala de coleta de exames laboratoriais e; realização de eletrocardiograma, sendo referência para a demanda da Região Administrativa de Samambaia.

Em Samambaia, a preocupação com acessibilidade tem sido pauta séria. As obras de calçamento iniciadas nesta semana, compreendem o terceiro momento de benfeitorias projetado para a região. O que totaliza mais de 2 km em calçadas com acessibilidade, além da instalação de faixas de pedestre e sinalização vertical.

O local escolhido beneficiará pedestres, comerciantes, servidores do hospital e além de colaborar para acessibilidade igualitária aos cidadãos com mobilidade reduzida. “Esta área de comércio, hospital e escola tem muito movimento e carecia de mais infra-estrutura. As calçadas são muito importantes para os pedestres por oferecerem mais conforto e  segurança, gerando acessibilidade, além de  proteger da lama na época da chuva” celebra Andressa Sharon Santos, servidora pública.

 

 

Além da região, outro endereços também foram beneficiados com a construção de novo calçamento, é o caso das quadras QR 125, QR 202, QR 107, QR 409, QR 614, QR 419, QS 619, QN 504, QN 429, QD 429 e QD 431, e calçadão da Avenida Oeste.  Tendo como total de benfeitorias dois quilômetros de passagem renovada, com 75 rampas de acessibilidade, 90 balizadores para proteção e muito mais passagem para pedestres e ciclistas.

Gustavo Aires, Administrador de Samambaia explica como funciona a classificação de prioridade para a execução das obras “nosso trabalho e planejamento, vem sendo realizado de forma alinhada e democrática, buscando sempre ir de encontro com as demandas da comunidade. Esse sempre foi objetivo do nosso governador Ibaneis, que todas as calçadas do DF sejam acessíveis e estejam em perfeitas condições para atender os cidadãos”.  O serviço vem sendo executada pela NOVACAP e fiscalizada pela Diretoria de Obras da Administração de Samambaia, devendo ser finalizado dentro dos próximos dias.

Samambaia é uma cidade que tem crescido e, com isso, a necessidade em fazer modificações na região é necessária. De acordo com dados da Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central (Codeplan) de 2018, há mais de 230 mil habitantes na localidade. Assim, foi realizada nesta sexta-feira (05), uma reunião entre o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) e a Administração Regional, com o objetivo de averiguar melhorias na mobilidade. 

 

Com um diálogo para elaborar projetos pontuais sobre áreas de ligação pra desafogar o trânsito, como o da Boca da Mata, um pedido da comunidade, no qual a equipe da Administração está em busca de desenvolver o projeto e, após aprovação, a abertura para licitar a obra – que entra como uma das prioridades do pacote de construções em 2022. Além disso, a duplicação da DF-180, trecho  Samambaia. 

 

"Vamos correr atrás agora do projeto pra que além dos moradores da nossa cidade, os de Taguatinga também sejam beneficiados", afirmou Gustavo Aires, administrador de Samambaia.

Programa “Jornada Zero: violência contra mulheres e meninas”, vai embarcar na cidade para conscientizar a comunidade

 

União tem sido a palavra de ordem nessa temporada. Sobretudo, com a sensibilidade que a pandemia da Covid-19 tem gerado na vida das pessoas. Assim, o lema da solidariedade e força, se mostram os requisitos fundamentais para diversas frentes, como foi o caso de uma videoconferência que ocorreu nesta quinta-feira (04), que dialogou sobre o programa “Jornada Zero: violência contra mulheres e meninas”, com o foco em executar ideias para conscientizar a comunidade sobre a violência doméstica.

 

Lideranças e influenciadores digitais participaram do debate, junto com a secretária da mulher, Éricka Filippelli e o administrador de Samambaia, Gustavo Aires. A secretária abriu a conversa, dizendo que um dos focos é ter essa participação de todos para o sucesso do projeto. “Agradeço o espaço e a parceria da população, pois trabalhando em conjunto, vamos conseguir mobilizar a maior rede possível”, afirma Éricka.

 

Com previsão para acontecer neste mês de março, o Jornada Zero capacita homens e mulheres, oferecendo palestras e visitas focais, de modo a formar líderes a serem vozes nas cidades que atuam. Segundo o administrador de Samambaia, Gustavo Aires, já existe uma expectativa para a segunda edição. “Ano passado foi um sucesso. Realizamos até uma caminhada de conscientização contra o feminicídio. E, agora, sendo um período atípico, estamos planejando outras formas de todos participarem”, conta Aires.

 

Além das lideranças e influenciadores digitais, instituições sociais também participaram, como o Conselho de Mulheres Evangélicas (COMEV), cuja presidente do núcleo de Samambaia, Cleonice Rabelo, comentou. “Foi muito bom o que fizemos em 2020, esse corpo a corpo com as instituições fez a diferença”.

 

Assim, durante uma semana, o projeto ficará na cidade, distribuindo folders e panfletos nas áreas comerciais.

 

O momento é delicado, porém, é necessário o apoio de todos para vencermos essa batalha". Essa foi a fala do administrador de Samambaia, Gustavo Aires, durante visita às feiras da cidade que aconteceu neste domingo (28). Essa ronda aconteceu por causa do decreto n° 41.849, de 27 de fevereiro de 2021, que trata sobre a emergência em saúde pública em decorrência da Covid-19.

 

Segundo o decreto, as feiras podem vender produtos alimentícios, porém, sem consumo no local. "Temos que ir adaptando a nova realidade até que essa pandemia seja amenizada", afirma Aires.

 

Durante o encontro, máscaras foram entregues e orientações de prevenção foram dadas pelo gestor e equipe da Administração, por um pedido do governador Ibaneis Rocha.

Nesse período de chuvas, não tem jeito. O volume de águas, principalmente neste mês de fevereiro no Distrito Federal, está intenso. Assim, com os galhos das árvores que são arrancadas por uma ação natural do vento e outras sujeiras já existentes nas ruas, as bocas de lobo entopem. Por isso, o programa “Mãos Dadas”, da Secretaria de Segurança Pública, está em Samambaia, com uma equipe de trabalho com 17 internos em cumprimento de pena do regime semiaberto.

 

A intervenção começou de forma mais intensa nesta última semana de fevereiro, sobretudo, preparando o ambiente para os próximos meses. Cerca de 100 bueiros estão limpinhos, nos quais dez toneladas de sujeiras foram retiradas. Sobretudo, na Expansão de Samambaia. E para quem mora ali, foi um alívio, pois segundo o morador Isaías Oliveira, vai evitar as enchentes. “Estou muito satisfeito com o trabalho feito aqui nas quadras 800/1000. Fico alegre porque vejo o governo do Ibaneis lembrando da população mais pobre. Pois aqui, somos mais emergentes. A gente vê que nos governos passados, eles lembravam das áreas mais desenvolvidas”, agradece o morador.

 

Esse trabalho, realizado pelo projeto “Mãos Dadas”, além de solucionar os pedidos da população, ainda alcança a reintegração de internos. “Aqui em Samambaia, durante esta semana, o trabalho foi muito ágil. Ajudou a nossa equipe a resolver as demandas de uma forma ainda mais rápida”, comenta o administrador de Samambaia, Gustavo Aires.                     

 

Na quarta-feira, dia 24 de fevereiro, às 19h30min, ocorreu a 311º Reunião Ordinária do Conselho Regional de Cultura de Samambaia, no centro comunitário da QN 317, onde funciona a ASSISNE – Associação dos Idosos de Samambaia.

Na reunião foram eleitos o Presidente e Vice-Presidente do CRC, conforme determina a Lei Orgânica da Cultura para todos os CRCs e também acrescentada à estrutura o cargo de Secretária Executiva. O conselheiro Jad Teles foi eleito o Presidente do CRC, a conselheira Dorinha Freitas a Vice-Presidente, e para a Secretária Executiva a conselheira Késia Paos. A tradição do CRC Samambaia sempre foi a atuação coletiva e colegiada de seus membros, sem hierarquia instituída, algo que mudou com a Sansão da LOC em dezembro de 2017.

O local da reunião foi simbolicamente escolhido para fortalecer a luta pela revitalização dos centros comunitários, “os próprios”, que são ocupados por associações que desenvolvem atividades culturais, esportivas e sociais gratuitas à população, a exemplo deste, que era referência no acolhimento do idoso. Coordenado pelo Sr. Muniz, e hoje, por sua filha a conselheira Josy Pacello. A ASSISNE – Associação dos Idosos de Samambaia já foi muito viva e culturalmente ativa no espaço e contava com mais de 70 idosos, mas desde a retirada dos postos de segurança patrimonial do local pelo GDF, que alega incompatibilidade com os termos de cessão de espaço público para associações, estes locais tem sido depredados, assaltados e deteriorados por vândalos e outros. Hoje suas atividades estão suspensas por estas questões e também por conta da pandemia.

Isso tem atingido outros espaços como o Imaginário Cultural, coordenado pela Conselheira Marília Abreu, que sofreu uma invasão na última quarta-feira, em que estava prevista uma reunião do CRC, que acabou não acontecendo e todos se mobilizando para um mutirão de retirada dos pertences e materiais de trabalho por conta de mais um arrombamento e furto, inviabilizando a continuação das suas atividades. Uma tristeza recorrente em todos esses espaços não só de Samambaia, mas no Distrito Federal.

A reunião teve a presença dos Conselheiros, do Administrador Gustavo Aires e sua Equipe da estrutura de Cultura, Esporte e Lazer da Administração Regional. Foram discutidas outras pautas importantes como o andamento da Construção da Biblioteca Pública de Samambaia, Monumentos para Samambaia, Sinalização na cidade para o Complexo Cultural, e avaliação da gestão do atual Gerente de Cultura Ricardo Gonçalves.

 

 

 

Os serviços essenciais para as manutenções diárias nas cidades estão ganhando mais um reforço. Dessa vez, é o programa Renova DF, que a partir do dia 04 de março, embarca por 30 dias em Samambaia para dar aquele “grau” que a região tanto merece.

Uma das particularidades desse projeto, além de oferecer uma melhor infraestrutura para as regiões do DF nos quais o programa planeja passar, é a oferta de trabalho para aqueles que buscaram capacitação durante a pandemia. Isso porque o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-DF) está participando dessa força-tarefa, colocando os seus alunos para por a “mão na massa” de forma a praticar tudo o que já aprenderam.

Somente em Samambaia, 500 novos profissionais estão previstos para mexer com os serviços de bocas de lobo, tapa-buracos, melhorias em quadras poliesportivas e outras atividades de zeladoria. Porém, há projetos de estacionamentos que também estão inclusos no pacote.

E essa é uma grande ação, que o administrador da cidade, Gustavo Aires, fez questão de comentar. “O governador Ibaneis Rocha sempre traz ótimas ideias para aprimorar a gestão nas RA’s. E como estamos em uma região extensa, muitas demandas chegam pra gente todos os dias. Mas essa força-tarefa vem para agilizarmos ainda mais esses pedidos, pra serem solucionados”, agradece Aires.

Entre os órgãos envolvidos, estão a Secretaria de Governo, Secretaria Executiva das Cidades, Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Secretaria de Trabalho, Companhia Energética de Brasília (CEB), Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran), Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e a Administração Regional de Samambaia.                     

 

                                                                                            

Quarenta quilômetros de estrada na área rural, passaram por manutenção e benfeitorias diversas. 

Em Samambaia, as estradas rurais são utilizadas para o escoamento de produtos agrícolas, pecuários e laticínios. Até o momento, foi possível concluir 40 km, restando apenas 30 km para finalizar toda extensão da via rural. 

As medidas adotas no setor servem para evitar o assoreamento e aumento de erosões, além de contribuir para a preservação e cuidado com o meio ambiente. As intervenções foram iniciadas em meados de outubro, com o objetivo de preparar a área para o período chuvoso. Pois, conforme os moradores da região, costuma ser neste momento, que os impactos provocados pela força das águas aparecem.   

Como prioridade, estava a manutenção das vias. Assim, o serviço de terraplanagem era essencial para o ajuste das estradas sem pavimentação, levando mais qualidade de vida aos moradores e produtores da região, evitando problemas com atoleiros, alagamentos e erosões.

 

 

A senhora Rose da Silva, moradora da região rural de Samambaia conta, “Eu fui em uma reunião com o Administrador de Samambaia e eles prometeram arrumar a estrada da gente”, pouco tempo depois, foi traçado um plano de intervenção para toda a região rural da cidade, que vai desde as margens da BR-190, DF-280 e DF-180. Em tom de empolgação, Rose diz, “Estou muito feliz pela promessa que ele cumpriu rapidinho. Nossa estrada está ficando maravilhosa!”. 

Com o intuito de prolongar a durabilidade do serviço, as equipes de trabalho, executaram a limpeza das bacias de contenção, a construção de saídas de águas pluviais e o abaulamento da pista – que é fazer curvatura nas bordas da via, conduzindo as águas das chuvas para fora dela, além da limpeza e troca de manilhas sob as pontes, serviço indispensável para evitar alagamentos. 

O Administrador Regional de Samambaia, Gustavo Aires, explica as principais demandas da cidade, “Samambaia é muito extensa em território. Então, recebemos solicitações que vão, desde problemas corriqueiros de toda área urbana, como os mais recorrentes na zona rural. Então, conferir atenção para todos é uma missão árdua, mas que temos contado com a participação popular”. Aires, conta ainda que, “esse é o desejo do Governador Ibaneis, que todos tenham direitos, atenção e tratamento de forma igualitária. Assim temos feitos, toda parte da cidade tem necessidades importantes, basta nos chamar, que estamos abertos para conversar e registrar todas solicitações”. 

 


Outras ações executadas no setor

Além do serviço realizado na manutenção de vias, outra grande dificuldade era o acesso dos agricultores a aquisição de adubo. O SLU fornece o adubo de forma gratuita aos produtores rurais do Distrito Federal e dos municípios que compõem a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno – RIDE, basta seguir os critérios estabelecidos pelo órgão, e estejam de acordo com o termo de recomendação, que é oferecido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal – EMATER/DF. 

Entretanto, a dificuldade dos agricultores estava no transporte do composto. Com a pandemia e as limitações para o funcionamento do comércio e feiras, muitos produtores deixaram de vender seus produtos, tendo baixa em seus rendimentos diários. Assim, foram entregues 180 toneladas de adubo para diversos produtores do setor. Carlos Barbosa, agricultor, manifesta sua satisfação “Agradeço muito a atenção do nosso Governador com a gente, eu e toda minha família só tem gratidão. O Gustavo, Administrador está sempre por aqui, ouvindo a gente, coisa que a gente não via, isso nunca foi assim”.

 

     

                                                     

 

 

A primeira semana de novembro foi marcada por diversas atividades em Samambaia. Serviços sociais foram os grandes destaques.

Esperando pela reabertura do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), que estava sem local fixo há mais de dois anos, para atender uma das regiões da cidade que mais requer atenção, que é a Expansão de Samambaia, o administrador, Gustavo Aires, esteve presente na reinauguração, que ocorreu na quarta-feira (04). “Nos meus atendimentos no Gabinete, eram corriqueiros os pedidos para a reabertura do local. Com o apoio da população, conseguimos finalmente trazer de volta esses serviços que são muito importantes para os moradores daqui”, conta o administrador, Gustavo Aires.


.
A satisfação esteve estampada no rosto da dona Lúcia Almeida. "Aqui nós somos dependentes do Cras pra tudo. Nem todo mundo tinha dinheiro para ir na unidade lá de cima. Então, corremos atrás pra que voltasse os atendimentos daqui e agradecemos ao administrador, Gustavo Aires, por ter trabalhado por isso”. 

Sua Vida Vale Muito Itinerante

Além disso, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e a Secretaria de Saúde, com o apoio da Administração Regional, fizeram um grande evento para atender a comunidade com serviços médicos, além do corte de cabelo e entretenimento para as crianças. A ação ocorreu entre os dias 5, 6 e 7 em sua 5° edição, que teve como foco a “Semana do bebê”, proposta pelo Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância (Unicef). 

 

O acesso a informações produzidas e armazenadas pelo Estado é um direito do cidadão garantido pela Constituição Federal.
No Distrito Federal, esse direito é regulamentado pela Lei Distrital nº 4.990, de 12 de dezembro de 2012, elaborada nos termos da Lei Federal nº 12.527, de 2011.

A Lei de Acesso à Informação – LAI estabelece procedimentos e prazos para que todos os órgãos públicos prestem informações aos cidadãos, seja por meio da Internet ou por meio do Serviço de Informações ao Cidadão – SIC, que funcionam nas ouvidorias do GDF.

Nesta seção, é possível consultar dados sobre o funcionamento do órgão, ações, programas, despesas, contratos, servidores, dentre outros. Além disso, o GDF disponibiliza para consulta o Portal da Transparência do Distrito Federal.

Caso não encontre no site do órgão ou no Portal da Transparência a informação que procura, faça um pedido ao Serviço de Informações ao Cidadão por meio do sistema e-SIC.

Se preferir fazer um pedido pessoalmente, consulte o local e horário de funcionamento do SIC clicando em Serviço de Informações ao Cidadão – SIC no menu ao lado.

Caso não busque uma informação e queira somente fazer uma sugestão, elogio, crítica ou reclamação, saiba como aqui.

O acesso a informações produzidas e armazenadas pelo Estado é um direito do cidadão garantido pela Constituição Federal.

O Serviço de Informação ao Cidadão – SIC é o canal por meio do qual qualquer pessoa física ou jurídica pode fazer solicitações de informações.

FAÇA AQUI O SEU PEDIDO E-SIC

http://www.e-sic.df.gov.br/Sistema/

 

Na Administração de Samambaia você poderá fazer o pedido presencialmente no Núcleo de Ouvidoria, no seguinte endereço e horários:

Responsável pelo e-SIC

SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO – SIC
Endereço Quadra 302 conjunto 13 Lote 05 – Centro Urbano – CEP 72300-655 – Samambaia – DF
Horário de funcionamento Segunda a Sexta de 08:00 as 12:00h e de 14:00 as 18h
Responsável pelo SIC Paulo Ribeiro da Silva Nery
Cargo Chefe de Ouvidoria
E-mail ouvidoria.samambaia@df.gov.br
Telefone (61) 3359.9325 – 9354
AUTORIDADE DE MONITORAMENTO
Autoridade de monitoramento Paulo Ribeiro da Silva Nery
Cargo Chefe de Ouvidoria
E-mail ouvidoria.samambaia@df.gov.br

 

Atenciosamente,

Administração Regional de Samambaia

 

Atualizado em: Novembro/2020

Com o objetivo de acabar com os buracos em Samambaia (DF), o Governo do Distrito Federal executou a força-tarefa “Buraco Zeco” nas quadras residenciais e comerciais da região. Foram quinze dias trabalhados e 800 buracos tapados.

“Com essa benfeitoria aqui, eu só tenho a agradecer em nome de todos os vizinhos. Samambaia é uma cidade muito grande e que uma obra dessa aqui, é essencial”, disse a moradora da 415, Valdirene Souto.

A operação também interferiu no combate a proliferação do mosquito aedes aegypti, que com as chegadas das chuvas podiam se aproveitar da água parada nos buracos. “Agradeço ao nosso governador (Ibaneis Rocha) que num instantinho resolveu a situação aqui pra gente. Principalmente por causa da dengue”, diz aliviado Nilton Ribeiro

Toda a força-tarefa foi coordenada pelo administrador da cidade, Gustavo Aires. “Nossa cidade não conseguiria alcançar esses números, sem o apoio da Secretaria de Governo, da Secretaria Executiva das Cidades e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Nós, da Administração de Samambaia, só temos a agradecer pelo cuidado do governador Ibaneis Rocha com a nossa população”.

As Administrações Regionais, órgãos da Administração Direta, vinculadas à Secretaria de Estado das Cidades, observado o disposto no Decreto nº 37.625, de 15 de setembro de 2016, sem prejuízo da orientação normativa e técnica dos órgãos integrantes da estrutura administrativa do Governo do Distrito Federal e da auditoria realizada pelos órgãos competentes, tem por competência representar o Governo do Distrito Federal no âmbito das Regiões Administrativas, supervisionar, fiscalizar e executar programas, projetos e ações governamentais de interesse público em sua jurisdição, em articulação com a Secretaria de Estado das Cidades.

Regimento Interno –  (Veja aqui)

GABINETE

O Gabinete é a unidade central da Administração Regional e é dividido em: 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO (ASCOM) – É a unidade responsável pela comunicação institucional da Administração Regional do Riacho Fundo I. A ASCOM busca criar uma cultura de bom relacionamento com os meios de comunicação e com a comunidade, garantindo o acesso às informações dos serviços e políticas do Governo do Distrito Federal relacionadas à Administração. O trabalho, orientado pelos critérios de transparência e eficiência, contribui para a interlocução entre sociedade, mídia e governo na compreensão da informação como um direito do cidadão e dever do estado. 

ASSESSORIA TÉCNICA (ASTEC) – unidade orgânica de assessoramento, responsável por prestar orientação jurídica à Administração Regional, promover exame prévio e emitir parecer de atos normativos, termos, contratos, convênios, ajustes e outros assemelhados inerentes às atividades da Administração Regional, sem prejuízo da manifestação da Assessoria Jurídico-legislativa da Secretaria de Estado das Cidades, bem como da manifestação conclusiva da Procuradoria-Geral do Distrito Federal, quando for o caso.

ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO – É a área que coordena a elaboração e a consolidação dos planos e programas anuais e plurianuais da Administração Regional do Riacho Fundo I, de acordo com as metas institucionais, além de acompanhar a sua execução e desempenho. A ASPLAN coordena o desenvolvimento das atividades voltadas para o planejamento estratégico, gerencial e de avaliação do desempenho institucional do erário. Responsável por planejar, promover, coordenar, monitorar e orientar a elaboração de estudos, propostas, planos e projetos referentes ao planejamento estratégico e regional, bem como de programas e projetos especiais a serem implementados na Região Administrativa, em articulação com as demais áreas e a Secretaria de Estado das Cidades.

OUVIDORIA – Realiza atividades de encaminhamento das demandas recebidas pela Ouvidoria da Administração à obtenção de soluções às solicitações e denúncias, sob responsabilidade e dentro da área de atuação da poligonal da Administração Regional do Riacho Fundo I.  Faz apuração das denúncias registradas nos canais de atendimento do serviço de Ouvidoria. A Ouvidoria é um espaço para a organização da comunicação entre o cidadão e o Governo, que garante a participação popular, a transparência e auxilia na eficiência da prestação dos serviços públicos. Também através da Ouvidoria o cidadão tem acesso ao Serviço de Informação ao Cidadão – SIC.

COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL (COAG) –  É responsável por supervisionar, coordenar e controlar as atividades relacionadas ao orçamento, finanças, contratos e gestão administrativa, de pessoas, informática, material, patrimônio, transporte, arquivo, protocolo e serviços gerais, bem como, a execução de atividades relacionadas à modernização administrativa. Compete ainda à COAG, em conjunto com a Assessoria de Planejamento, a elaboração da programação anual de trabalho e a proposição do planejamento estratégico da administração. Possui sob sua responsabilidade três gerências (Gerência de Administração, Gerência de Pessoas e Gerência de Orçamento e Finanças). Cada uma dessas gerências possui núcleos específicos e servem de porta de entrada para o cidadão e para os servidores acessarem alguns dos serviços prestados pela Administração Regional e o Governo do Distrito Federal. Assim, trabalham para garantir a transparência e auxiliar na eficiência da prestação dos serviços públicos

COORDENADORIA DE LICENCIAMENTO, OBRAS E MANUTENÇÃO (COLOM) – É a Unidade Gestora responsável por coordenar e supervisionar a execução de obras, licenciamentos, topografia e desenho técnico no âmbito da Administração Regional do Riacho Fundo I. Possui em seu organograma duas diretorias: Diretoria de Obras, Diretoria de Aprovação e Licenciamento. Cada uma dessas Diretorias possui gerências específicas. Esta Coordenadoria realiza as tratativas referentes às demandas da Região Administrativa do Lago Norte, sempre em contato direto com os diversos órgãos e com a população, incluindo Conselhos, Prefeituras e Lideranças Comunitárias.

COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO (CODES) –  é responsável por planejar, coordenar, controlar e supervisionar a execução das atividades relacionadas à desenvolvimento econômico, desenvolvimento comunitário e social, gestão do território, atividades rurais, e cultura, esporte e lazer no âmbito da Região Administrativa.

 

 

Atualizado em: Novembro/2020

LEIS​

 

 

 

 


DECRETOS

 

 

 

 

NORMAS

 

 

Atualizado em: novembro/2020.

Prezado Cidadão,

A Administração Regional do Samambaia não realizou despesas com diárias e passagens.

 

Atenciosamente,

Administração Regional do Samambaia

 

Atualizado em: novembro/2020

 

 

 


Força-tarefa tem sido realizada desde agosto 

Uma força-tarefa está sendo realizada desde agosto em Samambaia para a limpeza e manutenção das bocas de lobo. Justamente, para prevenir qualquer interferência que possa ocorrer neste período de chuvas. Por semana, 300 toneladas de lixo são retirados desses espaços. 
No decorrer desses meses, vários endereços foram assistidos, totalizando mais de 3.107 bueiros. Uma das quadras contempladas, foi a 125, que segundo o morador do local, Antônio Nobre, estava cheio até de materiais de construção. “Esse bueiro estava aberto a bastante tempo. Assim que a gente fez a denúncia, a administração veio arrumar. Nós estamos satisfeitos com o serviço”, conta Antônio.

Além das limpezas, são realizadas reposições de tampas ocorrem diariamente, com o apoio de 15 reeducandos da Subsecretaria do Sistema Penitenciário (SESIPE). “Temos alertado a população para evitar descartar o lixo nas ruas. Essa é uma das formas de ajudar a não termos maiores problemas nessa temporada”, alerta o administrador de Samambaia, Gustavo Aires.

O serviço está sendo executado pela Novacap em conjunto com a Administração de Samambaia.

Não poderia ser diferente. Um Dia das Crianças especial tem de ter brinquedos. E foi isso que ocorreu em Samambaia. Tomando as devidas precauções devido a pandemia do novo coronavírus, mais de dois mil brinquedos foram distribuídos nesta segunda-feira (12), nas ruas onde moram pessoas mais vulneráveis. Essa era a proposta da campanha "Vem Brincar Comigo", idealizada pela primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Noronha Rocha.

"Uma senhora me parou na fila e disse que pela primeira vez a filha tinha ganhado uma boneca. Isso porque ela tinha mais de uns cinco anos", disse emocionado o administrador de Samambaia, Gustavo Aires. "Esse é o objetivo do governador Ibaneis Rocha, levar um pouco de alegria para as pessoas que, muitas vezes, não têm condições de comprar um objeto como esse", concluiu Aires.

Desde o dia 25 de agosto, os órgãos de governo estavam recebendo as doações, no qual o resultado pôde ser visto na manhã desse dia das crianças. Bolas, carrinhos, bonecas estavam entre os itens distribuídos nos Morros do Macaco, Sabão e na Expansão da cidade.

 

"Eu quero agradecer muito. Que vocês possam voltar mais vezes aqui. Fiquei muito feliz", comentou Ellen Medeiros, uma das crianças que foi presenteada.

 

Vem Brincar Comigo

 

Esta foi a segunda edição do projeto, que desde o ano passado tem integrado todos os órgãos de governo para desenvolver assistência às crianças que necessitam de maiores ações das políticas públicas.

Projeto da primeira-dama do DF, Mayara Noronha, é voltado para crianças vulneráveis

Pelo segundo ano consecutivo, Samambaia foi destaque na campanha do Governo do Distrito Federal (GDF) na arrecadação de brinquedos e livros, para a campanha “Vem Brincar Comigo”, idealizado pela primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. A Administração Regional da cidade conseguiu, graças aos esforços dos moradores locais e empresários, a quantidade de 2.075 brinquedos. A entrega dos produtos ocorreu nesta quarta-feira (30), no Palácio do Buriti e, depois, será distribuído no período do dia das crianças, para instituições que atendem meninos e meninas mais vulneráveis e que seguem os critérios estabelecidos para fazer parte do programa.

Esta é a segunda edição do projeto que, de acordo com o administrador Gustavo Aires, se apresenta como uma das principais ações do GDF. “Ano passado, me emocionei com as crianças que recebiam os brinquedos. Vemos que pequenos gestos podem fazer muita diferença na vida de alguém”, conta Aires.

Fonte: Agência Brasília

Chegou a vez de a expansão de Samambaia ganhar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para chamar de sua. É mais um compromisso feito do Governo do Distrito Federal (GDF) com a população – a entrega da unidade que beneficiará cerca de 14 mil pessoas que moram nas quadras 627, 629, 631, 633, 827, 829, 831, 833, 1029, 1031 e 1033, além da área rural da cidade e dos morros do macaco e do sabão. Mais três ainda serão entregues este ano.

A UBS 11, fica na QR 831, oferecerá atendimento médico e odontológico para os moradores com todo o conforto. Com investimento de R$ 3,2 milhões, a obra foi supervisionada pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e atende a uma reivindicação antiga dos moradores da cidade.

“Antes, para sermos atendidos, trocar uma receita ou, até mesmo, vacinar minhas crianças, era preciso ir até outra unidade de atendimento, debaixo de sol e chuva”, conta a moradora da expansão Drielly Cristina. Discurso endossado por outra moradora, Fabiana Costa, que com dois filhos pequenos, enfrentava muitas dificuldades para conseguir atendimento para ela e as crianças. “Espero que tenha, pelo menos, como vacinar os meninos nesta UBS”, disse, esperançosa.

Com quatro equipes completas que incluem enfermeiros, médicos e técnicos de enfermagem, a Unidade Básica de Saúde 11 vai oferecer muito mais que a expectativa da Fabiana e dos outros moradores que observavam a solenidade de inauguração. A sala de vacinação está garantida, assim como farmácia, laboratórios e consultórios.

Motivos para comemorar também teve Silene Ferreira, que mora na primeira casa bem em frente à UBS. Ela torcia para que a unidade oferecesse tratamento odontológico. E, não apenas dentistas estão disponíveis para atendimento, como uma equipe completa de saúde bucal. “Graças a Deus, que maravilha. É muito sofrimento não termos dinheiro nem condições de ir ao dentista”, comemorou a moradora.

“Para fazer um bom governo, é preciso ouvir a população e atendê-la. Entregar às pessoas o que eles querem. E é isso que estamos fazendo aqui hoje”, frisou o vice-governador Paco Britto que garantiu que, apesar de já contarem com cobertura de mais de 80% da população de Samambaia atendida pela saúde, o objetivo é ainda maior. “Não queremos nem 99%, vamos chegar a 100%. É nossa meta”, afirmou.

De acordo com o presidente da Novacap, Fernando Leite, a entrega da UBS demonstra o compromisso histórico da empresa com a capital.

“Além de a entrega de uma obra representar que o governo está saldando uma dívida com a população, que foi a promessa do governador Ibaneis Rocha em construir a unidade aqui”, lembrou.

Secretários de Saúde, Osney Okumoto, de Governo, José Humberto Pires, e administrador da cidade, Gustavo Aires, comemoraram, juntamente com a população, a inauguração da nova UBS.

“Um marco para a expansão”, afirmou Aires. “É a saúde mais perto da população”, completou Pires. De acordo com o gestor da Saúde, a estrutura da unidade conta com salas bem equipadas, equipe de profissionais e todo o conforto que a população de Samambaia merece. “É muito gratificante estar aqui e entregar essa obra”, concluiu Okumoto.

Recanto das Emas

Em julho, o governo inaugurou a UBS do Recanto das Emas, na quadra 804, para atender cerca de 20 mil moradores da região. De acordo com o vice-governador, a prioridade do Governo Ibaneis é a saúde – maior reivindicação da população de todo o Distrito Federal. “Quando o dinheiro é colocado na saúde, não é gasto. É investimento”, pontuou. A obra da UBS 5 do Recanto contou com investimento de R$ 2,3 milhões.

Fotos: Marcos Soares

SEDE:
Endereço:
Quadra 302 conjunto 13 Lote 05 – Centro Urbano – CEP 72300-655 – Samambaia – DF
Funcionamento: Segunda à Sexta de 08:00 às 12:00h e de 14:00 às 18:00h
Telefone Geral : (61) 3550-6230 

 

ADMINISTRADOR 

 

GUSTAVO ALMEIDA AIRES

Gabinete Recepção:(61) 3550- 6230 Ramal – 1202
E-mail: gabinete@samambaia.df.gov.br

CHEFIA DE GABINETE – GAB

Chefe: Denilson Bento Da Costa 

Telefone (61) 3550-6230 Ramal – 1205
E-mail: gabinete@samambaia.df.gov.br

 

OUVIDORIA -OUV 

Ouvidor: Paulo Ribeiro da Silva Nery 

Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1230/1231

E-mail: ouvidoria@samambaia.df.gov.br

E-mail: paulo.nery@samambaia.df.gov.br

 

ASSESSORIA TÉCNICA – (ASTEC)

Chefe: Carmen Melo Bacelar Freire
Telefone:  (61) 3550-6230 Ramal – 1212

E-mail: astec@samambaia.df.gov.br

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO – (ASCOM)

Chefe: Kalyne Rocha Pires Nascimento
Telefone:  (61) 3550-6230 Ramal – 1207/1208

E-mail: ascom@samambaia.df.gov.br

 

ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO – (ASPLAN)

Chefe: Renata Letícia de Almeida Garcia
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1213
E-mail: asplan@samambaia.df.gov.br

 

JUNTA REGIONAL DO SERVIÇO MILITAR 

Chefe: Daniel 
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1243
E-mail: jsm@samambaia.df.gov.br

 

COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO – CODES

Coordenador: José Dalmo Peres
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1228

E-mail: codes@samambaia.df.gov.br

 

DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO 

Diretor: Ivonte 
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1214
E-mail: diart@samambaia.df.gov.br / gersam@samambaia.df.gov.br

 

GERÊNCIA DE POLITICAS SOCIAIS, CULTURA, ESPORTE E LAZER – (GEPOSCEL)

Gerente: Ricardo Macedo
Telefone:  (61) 3550-6230 Ramal – 1229
E-mail: geposcel@samambaia.df.gov.br

 

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO E ORDENAMENTO TERRITORIAL

Diretor: Ricardo 
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1216

E-mail: didot@samambaia.df.gov.br

 

GERÊNCIA DE GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL E ECONÔMICO

Gerente: Carlos Carlos 
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1215
E-mail: gegest@samambaia.df.gov.br

 

COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL – (COAG)

Coordenador: Cleide Moreira Duarte
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1206
E-mail: coag@samambaia.df.gov.br

 

GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO – (GEAD)

Gerente: Keiliane De Oliveira Gonçalves
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1211/1221
E-mail: gead@samambaia.df.gov.br

 

GERÊNCIA DE PESSOAL – RH (GEPES)

Gerente: Eliane Ferreira Dias
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1217/1218
E-mail: gepes@samambaia.df.gov.br  

 

GERÊNCIA DE ORÇAMENTO FINANÇAS – (GEOFIN)
E-mail: geofin@samambaia.df.gov.br

Telefone: (61) 3550-6230 Ramal -1209

NÚCLEO DE ATENDIMENTO, PROTOCOLO E ARQUIVO – NAPA

Chefe: Aline de Sousa Santana
Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1232/1233
E-mail: protocolo@samambaia.df.gov.br

 

 

NÚCLEO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO – NUMAP

Chefe: Antonio Soares Feitosa 

Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1210
E-mail: numap@samambaia.df.gov.br

 

NÚCLEO DE INFORMÁTICA – (NUINF)

Chefe: Marcos 

Telefone: (61) 3550-6230 Ramal – 1220

E-mail: nuinf@samambaia.df.gov.br

 

 

COORDENADORIA DE LICENCIAMENTO, OBRAS E MANUTENÇÃO – (COLOM)

Coordenador: Alessandro Celso dos Santos SIlva 
Telefone: (61)3550-6230 Ramal – 1224/1225

E-mail: colom@samambaia.df.gov.br


 

 

DIRETORIA DE APROVAÇÃO E LICENCIAMENTO – (DIALIC)

Diretor: Antonio Alexandre Cavalcante Leite 
Telefone: (61)3550-6230 Ramal – 1222

E-mail: dialic@samambaia.df.gov.br


 

GERÊNCIA DE ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO DE PROJETOS (GEAP)

Gerente: Angelita Henrique Moreira

Telefone: (61)3550-6230 
E-mail: geap@samamabaia.df.gov.br

 

 

GERENCIA DE LICENCIAMENTO DE OBRAS E ATIVIDADES ECONÔMICAS – GELOAE

Chefe:  Alexandre Rodrigues de Mendonça
Telefone: (61)3550-6230 Ramal – 1226
E-mail: gealic@samambaia.df.gov.br

 

DIRETORIA DE OBRAS – (DIROB)

Diretor: Loyanne 

Telefone: (61)3550-6230 Ramal – 1236/1237/1238
E-mail: dirob@samambaia.df.gov.br

PABX (GERAL)

Telefone: (61)3550-6230

 

Atualizado em: Abril/2021.

As equipes de trabalho estão na cidade com um único objetivo – zerar as demandas relativas a manutenção do asfalto. A força tarefa irá permanecer por 10 dias na cidade e segue cronograma de trabalho estabelecido entre a Administração de Samambaia, Secretaria Executiva das Cidades e Companhia Urbanizadora Nova Capital (NOVACAP).

Inicialmente, os órgãos envolvidos foram distribuídos em 5 equipes, composta por pessoal e máquinario específicos para manutenção de vias. Em apenas dois dias,  cerca de 80 toneladas de massa asfáltica foram aplicadas nas vias residências da cidade.

"A operação chegou em boa hora,  o serviço de tapa-buracos  acontece diariamente em  Samambaia. Entretanto,  agora com todo esse pessoal e maquinário, em poucos dias, vamos zerar as demandas registradas", afirma Gustavo Aires,  Administrador de Samambaia.

Essa iniciativa visa preparar a cidade para o período chuvoso que se aproxima, e  "caiu nas graças" da comunidade. "Estou achando o serviço de extrema qualidade@, elogia Pedro Tenório, morador da quadra 405. 

"Moro em Samambaia desde o início,  mas nunca vi um serviço com essa qualidade. Já vi muitas operações tapa-buraco, mas desse jeito, é a primeira vez", admira-se Tenório, "o Governador Ibaneis tem feito um excelente trabalho mesmo com essa pandemia", conclui o morador.

Em sua permanência na cidade,  o mutirão pretende passar por aproximadamente 30 quadras distintas, contemplando assim seus respectivos conjuntos residências. 


COMO REGISTRAR SUA DEMANDA 

Qualquer cidadão pode registrar sua solicitação pela internet no site —www.ouvidoria.df.gov.br— ou pelo telefone 162, os atendimentos presenciais devem ser evitados como medida de segurança.

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) lançou virtualmente, nesta terça-feira (25/08), a campanha de doação de brinquedos e livros “Vem Brincar Comigo 2020”. A iniciativa tem o objetivo de arrecadar brinquedos e livros infantis para crianças em situação de vulnerabilidade no Distrito Federal.

A campanha será coordenada pela Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância, vinculada à Chefia de Gabinete do Governador e responsável pelo planejamento, promoção e execução das políticas públicas sociais em parceria com as secretarias do GDF.

 

Entre 25 de agosto e 30 de setembro, será realizada a arrecadação dos materiais, que podem ser doados nas Administrações Regionais e nos batalhões da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. As doações dos brinquedos e livros infantis arrecadados será feita pela Defesa Civil entre 5 e 12 de outubro, quando é comemorado o Dia das Crianças.

A semana em que antecede a data comemorativa, entre 5 e 9 de outubro, vai marcar também a Vem Brincar Comigo Digital, evento que reunirá atividades de entretenimento voltadas para as crianças no canal do YouTube da Secretaria de Economia.

 

Para a primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Rocha, o ato de brincar é essencial na vida de uma criança, pois ajuda no desenvolvimento da criatividade e estimulação da concentração e da memória. “As brincadeiras estimulam as crianças a se auto conhecerem e atuam na formação da personalidade”, completa. Dessa forma, além do gesto de solidariedade com milhares de crianças em situação de vulnerabilidade no Distrito Federal, a ação visa proporcionar momentos marcantes para todas as crianças beneficiadas.

 

Devido aos protocolos e medidas de segurança sanitárias para evitar a propagação do novo coronavírus, recomenda-se a higienização com água e sabão ou álcool 70% de todos os materiais a serem doados, além de priorizar a entrega em sacolas plásticas transparentes para facilitar a identificação.

 

“Com as Administrações Regionais, Batalhões da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros atuando como pontos de arrecadação, os doadores terão a facilidade de pontos próximos às suas residências”, enfatiza Anucha Soares, chefe da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância.

 

*Agência Brasília com informações da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância

 

 

Memórias, histórias e muitas prosas marcam o cotidiano dos moradores de Samambaia, que ajudaram a cidade a ser erguida. Marias, Franciscos e tantos outros cidadãos samambaenses, que têm os seus olhinhos brilhando ao falar da terra que já foi de chão batido e hoje é a segunda maior região administrativa do Distrito Federal. 

Ah, Samambaia. Quantos “causos” e contos se firmaram nesses quase 31 anos de vida. E foi pensando justamente nisso, que a Secretaria de Cultura e Administração Regional decidiram fazer uma enquete para escolher o cartão postal que representa melhor essa gente. A votação começou nesta segunda-feira (31) e vai até o dia 10 de setembro, pelas redes sociais da Administração, além de um formulário  disponível (que se encontra no final desta matéria). 

Chafariz, parque três meninas, estádio rorizão, complexo cultural, restaurante comunitário, centro olímpico e igreja da barca foram os pontos escolhidos pelos órgãos. Mas a ideia é que o próprio morador aponte o espaço que se sinta melhor representado.

Segundo o administrador de Samambaia, Gustavo Aires, essa ideia surgiu já nos preparativos de aniversário da RA. "Algumas cidades são conhecidas por um ponto turístico específico, como Taguatinga e Ceilândia. E, infelizmente, não temos um símbolo aqui em Samambaia, mas vamos mudar isso, com todo o empoderamento oferecido pelo governador Ibaneis Rocha", conta Aires.

Assim, ele conclui. "Vamos fazer parte dessa mudança. Já está na hora da região ter o seu próprio ícone". 

Para votar, clique neste link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSduMyWELcexKbx7ERCeBUTmqn2YyUqLvDeAhFJQaoH7c5UH7g/viewform

Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

 

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: ISABEL DE AGOSTINI

Criatividade e bom humor tomam conta das ruas, comércios, parques e estações do metrô de Samambaia. O humorista Marquinho Candango tornou a ação de entrega de máscaras, um tanto inusitada e despertou sorrisos e elogios das pessoas que foram abordadas. Nesta sexta-feira (19), a administração inicou na ação cotidiana de conscientização e orientação da população.

O combate à Covid 19 tem sido tratada com grande seriedade pelos órgãos de governos e por todos os integrantes da administração de Samambaia. O administrador  acredita que a ação poderia ir além, por isso, convidou o artista para atuar nas ruas da região e alertar a população de forma divertida.

 

“O tema tem grande seriedade e vem despertando grande preocupação em todos nós. Por isso, imaginei que seria possível abordar a problemática de forma diferenciada, trazendo um pouco de alegria e descontração para os moradores da nossa cidade”, explica Gustavo Aires, Administrador de Samambaia.

A iniciativa distribuiu aproximadamente 2 mil máscaras e agradou a comunidade. Em meio a risos, Cláudia Alves relata “Tomei um grande susto, estava caminhando quando fui abordada por ele que chegou cantando. Ações como essas são importantes, está tudo tão difícil, tão sério, muita tensão por todo canto. A Administração acertou com esse artista”.

Empresários

A ação de hoje faz parte da campanha “Todos contra  à Covid” que está estampada em outdoors, panfletos impressos, vídeos institucionais, tanto nas redes sociais da Administração, como de empresas locais. Essa ação foi lançada em parceria com o governo e empresários de Samambaia e tem o objetivo de conscientizar a população para o distanciamento social, o uso de máscaras e enfatizar a importância do isolamento social neste período de pandemia.

Todos contra Covid-19

A ação teve início há duas semanas e tem contado com a participação de artistas, atletas e personalidades do DF que se envolveram em prol do objetivo de conscientizar a comunidade da importância de se cuidar e de seguir as orientações de segurança para controlar o aumento dos casos do novo coronavírus na cidade.

*Com informações Ascom Samambaia


O governo do Distrito Federal tem intensificado ações de combate ao mosquito aedes aegypti na cidade.

Na manhã desta quinta-feira (21), Samambaia foi assistida pela ação do programa Sanear Dengue, que é uma iniciativa da Secretaria Executiva das Cidades, da Secretaria de Governo, em parceria com a Diretoria de Vigilância Ambiental (DIVAL), cujo objetivo é promover o combate à dengue em diversos pontos do Distrito Federal.

Em Samambaia, foram deslocados 15 (quinze) militares do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), 30 (trinta) agentes da DIVAL e 10 (dez) servidores da Administração Regional da cidade que prestaram apoio no recolhimento de inservíveis identificados como foco de proliferação do mosquito.

A ação aconteceu entre as quadras 303 a 309 e da 104 a 108, e para avisar a população sobre as inspeções nas residências, uma viatura do CBMDF anunciava a presença dos militares e agentes de vigilância na localidade. O 1º Sargento do CBMDF explica a função do Corpo de Bombeiros na ação “faremos vistorias em cada casa, quando o militar adentrar, caso seja facultada isso, será realizada a inspeção na residência. Os profissionais irão olhar calhas, vasos de plantas e possíveis locais que possam acumular água. Nossa orientação é para que cada Bombeiro esteja vistoriando com extrema atenção cada espaço”.

Para a Senhora Terezinha Aparecida da Silva, 65 anos, “esse é um trabalho de suma importância. Há muita orientação, a população não faz porque não quer. O trabalho de vocês é importantíssimo”.

“Estamos recebendo total atenção por parte do Governador Ibaneis Rocha, a nossa Administração tem seguido todas as orientações da Secretaria de Governo para conseguir reduzir o número de casos de dengue na cidade. Agora contamos a participação da comunidade para que as ações que estão acontecendo sejam efetivas” destaca Gustavo Aires, Administrador de Samambaia.


Ação visou proteger a população contra a Covid-19

Para se proteger contra a Covid-19, a população de Samambaia recebeu nesta terça-feira (19), 3000 (três mil) máscaras. Os equipamentos foram distribuídos pela Administração Regional em parceria com outros órgãos.

 

Em um dos pontos de entrega, o funcionário de um supermercado local agradeceu pela ação ter chegado à cidade. "Vocês estarem aqui hoje é muito importante pra ajudar a gente, pois têm muitas pessoas que não estão respeitando", disse Aldenir Ramos. 

A obrigatoriedade do uso de máscaras no Distrito Federal está valendo desde o dia 11 de maio, e a não utilização da proteção, acarretará em uma multa de R$2000 (dois mil).

Por isso, o administrador de Samambaia, Gustavo Aires, disse que esse auxílio do governador Ibaneis Rocha para a população é essencial, de forma que todos estejam protegidos contra o novo coronavírus. "Com essa força-tarefa de hoje, ao total, mais de quatro mil máscaras foram concedidas nas estações de metrô, terminais rodoviários, bancos e supermercados", conta Aires. 

Mais de 30 servidores da Secretaria de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, DETRAN DF, Vigilância Sanitaria, Secretaria de Governo, Secretaria Executiva das Cidades e o DF Legal participaram da atuação.

Fotos: Marcos Soares


Os produtos foram entregues na Praça da QR 519.

 

“Acho muito interessante essa ação, porque ajuda as pessoas mais necessitadas e é importante que na cidade a gente tenha esse tipo de movimento, pois é um lugar carente”, assim comenta a moradora de Samambaia, Samara Marques, que comemorou o Dia da Família sendo uma das 600 contempladas pela doação de cestas verdes, que ocorreu nesta sexta-feira (15), na Praça da quadra 519.

Uma iniciativa da Administração Regional de Samambaia com a empresa Agricultura RR Silva, que chegou para dar auxílio neste período do novo coronavírus. “Esse é um trabalho muito importante, nessa época que estamos passando pela pandemia, em que muitas pessoas estão sem trabalhar, passando por dificuldades em colocar o alimento na mesa”, disse o empresário Ro  bson Pereira, que doou as cestas.

Segundo o administrador da localidade, Gustavo Aires, que coordenou a execução dessa atividade, o Governo do Distrito Federal (GDF) não tem medido esforços para ajudar a população nesses últimos meses. “Em uma data como hoje, que é comemorado o dia da família, não poderíamos deixar de prestar assistência a comunidade, como tem feito o governador Ibaneis Rocha, antes mesmo de termos casos do coronavírus no DF”, disse Aires.

E a moradora, Samara Marques, concluiu. “Tem pessoas que poderiam estar ajudando e não fazem isso. Então, o que o governo e a administração estão fazendo, é muito legal”.

Outras ações

Nesta semana, mil máscaras de proteção facial foram entregues nas ruas de Samambaia, incluindo o Morro do Sabão, na Expansão. E em abril, a primeira-dama do DF e secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, esteve na área para doar mil cestas básicas para famílias cadastradas em programas sociais.

Mil máscaras são distribuídas para a população de Samambaia

Administração Regional entregou no Morro do Sabão e áreas de maior movimento

 

 

Atendendo o Decreto n° 40.648, de 23 de abril de 2020,  que trata sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção no Distrito Federal, a Administração Regional de Samambaia, em  parceria com órgãos do governo, entregaram mil máscaras para moradores da cidade.

 

"O governador Ibaneis Rocha tem prestado toda assistência necessária à população nesta pandemia", agradeceu o administrador Gustavo Aires.

 

 

Entre os locais que receberam os equipamentos, esteve o Morro do Sabão, na Expansão, além das avenidas principais para as pessoas que circulavam na região e não possuíam o equipamento de proteção individual.

 

Para Aires, esse é um fruto da assistência que a gestão pública tem prestado em decorrência do novo coronavírus, mas que todos precisam fazer a sua parte. "Pedimos constantemente para que se puder, a pessoa só saia de casa em casos necessários. Essa é uma doença séria e que precisa do apoio de cada pessoa".

 

Essa foi uma ação integrada entre a Secretaria de Governo, além das pastas de cidades, segurança pública, DF Legal, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

 

Ações na RA

 

Por conta do aumento de casos confirmados com a Covid-19 na RA e para conscientizar a comunidade, um carro de som tem passado pelas áreas de maior circulação falando sobre a importância do isolamento social. Além disso, nesta semana, iniciaram os testes em massa no Anexo da Administração.

O agendamento está sendo realizado pelo site testa.df.gov.br e em dois dias, já foram realizados cerca de mil testes.

Mapa do site Dúvidas frequentes